Consulte a Bússola de Investimentos ADVFN desta quinta-feira, dia 02

LinkedIn

• A assembleia geral extraordinária de acionistas da Petrobras (BOV:PETR4) aprovou a venda da subsidiária Liquigás por R$ 2,67 bilhões para a Ultrapar (BOV:UGPA3). A operação ainda não está concluída, sujeita ao cumprimento de outras condições negociadas.

• O Bradesco (BOV:BBDC4) estima um crescimento entre 1% e 5% em sua carteira de crédito neste ano, e despesas de provisão para devedores duvidosos entre R$ 21 bilhões e R$ 24 bilhões.

• O conselho de administração da Oi (BOV:OIBR4) autorizou a diretoria da companhia a prosseguir com entendimentos junto aos credores, aprofundando alguns itens críticos, incluindo a possibilidade de conversão de parte da dívida em ações. Em comunicado ao mercado, a Oi afirma que as interações com credores estão evoluindo e continuará reunindo-se regularmente com demais partes interessadas e potenciais investidores, para reunir impressões, comentários e sugestões.

• A Bombril (BOV:BOBR4) aprovou a segunda emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, no valor total de até R$ 25 milhões. Os recursos captados serão utilizados para reforço do capital de giro.

• A General Motors (BOV:GMCO34) vai dar férias coletivas a mais de 2 mil funcionários da fábrica de São José dos Campos (SP) para adequar a produção dos modelos S10 e Trail Blazer.

• A Superintendência Geral do CADE identificou preocupações concorrenciais na aquisição da Alesat Combustíveis pela Ipiranga, subsidiária da Ultrapar, e recomendou oferecimento de impugnação ao Tribunal do CADE, que deverá avaliar o caso.

• O BTG Pactual (BOV:BBTG11) cancelou a venda da Pan Seguros e da Panamericano Administração e Corretagem de Seguros e de Previdência Privada para a CNP Assurances com a impossibilidade de satisfazer de determinadas condições precedentes para o fechamento definitivo do negócio.

• A Shell registrou lucro líquido de US$ 3,5 bilhões em 2016, queda de 7,9% no ano.

• O banco central dos EUA decidiu manter a taxa básica de juros do país em 0,75% ao ano na reunião que terminou ontem. A autoridade monetária não deu indicações de quando deverá elevar novamente a taxa básica de juros no país.

• O Deutsche Bank elevou a recomendação para as ações da Gol (BOV:GOLL4) de manutenção para compra e o preço-alvo dos ADRs de US$ 24,00 para US$ 36,00, afirmando que o pior para a companhia ficou para trás. De acordo com os analistas do banco, a expectativa é de que a Gol mantenha uma abordagem disciplinada e seja beneficiária do plano de governo que permite a participação do capital estrangeiro nas aéreas.

• O Bradesco BBI elevou a recomendação para as ações da TIM (BOV:TIMP3) de neutra para outperform, com preço-alvo de R$ 10,50.

• A São Martinho (BOV:SMTO3) teve a recomendação iniciada com outperform pelo Bradesco BBI.

• A BR Properties (BOV:BRPR3) concluiu a alienação de fatia na BRPR 46 por um valor de R$ 240,2 milhões.

• Após o BTG Pactual e o Bradesco BBI (veja mais no Insights do dia da última quarta-feira), o Itaú BBA iniciou a cobertura para as ações da Sanepar (BOV:SAPR4), com preço-alvo de R$ 20,00 e apontando que a companhia está construindo um novo ambiente regulatório. “Esperamos que o novo ambiente regulatório desbloqueie valor para os acionistas da empresa através de uma alta tarifária de 15% em abril de 2017 e antecipamos novos fluxos de notícias nas próximas semanas”, avaliam os analistas.

• A Porto Seguro (BOV:PSSA3) aprovou a recompra de até 5 milhões de ações preferenciais no período de um ano, entre 22 de fevereiro de 2017 e a mesma data em 2018. O montante representa cerca de 5% do total em circulação. Em fato relevante publicado nesta quinta-feira (1º), a seguradora informou que não utilizará instrumentos derivativos e que a Itaú Corretora intermediará as operações.

• A Valid (BOV:VLID3) autorizou a recompra de até 1 milhão de ações ordinárias, que correspondem a cerca de 1,57% dos papéis em circulação. O prazo final estipulado para as operações é 02 de fevereiro de 2018. A BTG Pactual Corretora e a Credit Suisse Corretora intermediarão os negócios.

Bolsas mundiais
A quinta-feira é de leve queda para a maior parte das bolsas mundiais, enquanto o dólar tem um dia de leve queda nas principais praças refletindo a manutenção de sinal gradualista pelo Federal Reserve, enquanto investidores seguem monitorando Donald Trump e esperam payroll nesta sexta.

Na Europa, atenção especial para a temporada de balanços, com grande destaque para os números do Deutsche Bank, cuja ação registra queda de cerca de 6% após reportar um prejuízo líquido de US$ 1,46 bilhão, decepcionando os analistas de mercado. Atenção ainda para o Brexit: ontem, o parlamento do Reino Unido decidiu, por 498 votos a favor e 114 contra, a utilização do Artigo 50 até o final de março, iniciando o processo pelo qual a região vai sair da União Europeia, conhecido como Brexit. A primeira-ministra precisava desta aprovação para poder dar início oficial ao processo, que ela espera ocorrer no próximo mês.

Já na Ásia, o índice Nikkei do Japão caiu 1,22%, atingindo a mínima em mais de uma semana, com o iene mais forte afetando a confiança. Vale destacar que o mercado chinês reabre amanhã após feriado do Ano Novo Lunar;

Entre as commodities, o petróleo mantém alta após ganhos de 2% na véspera com aumento de estoque informada pelo DOE sendo contrabalançado pelo corte de produção da Rússia. Os metais sobem em Londres, com destaque para o níquel, que dispara após Filipinas
anunciar fechamento de minas que somam 50% da produção, enquanto o cobre avança com ameaça de greve na maior mina do metal no mundo, no Chile.

Desempenho dos principais índices:

Ibovespa (Brasil) -0,64%

Dow Jones (Estados Unidos) +0,00%

Nasdaq Composite (Estados Unidos) +0,00%

Sse Composite Index (China) +0,31%

FTSE 100 (Reino Unido) +0,64%

DAX Index (Alemanha) -0,03%

Cac 40 (França) +0,13%

Nikkei 225 (Japão) -1,22%

Commodities

Ouro +1,07%

Prata +0,88%

Cobre -0,57%

Petróleo +1,14%

Petróleo Brent Crude +1,18%

Café -0,49%

Açúcar +1,36%

Agenda de indicadores
Sem indicadores domésticos, as atenções dos investidores se voltam para a decisão de política monetária do BoE (Banco da Inglaterra), às 10h e para aos pedidos de auxílio desemprego nos EUA, às 11h30. às 23h45, será conhecido o PMI Industrial da China. Vale destacar que Mario Draghi, presidente do BCE, fala em conferência em Ljubljana, às 10h15; já o presidente do BoE Mark Carney fala às 10h30, após a decisão de política monetária.

Eleição na Câmara e STF
Em Brasília, com o fim do recesso parlamentar, o evento do dia é a eleição para a mesa diretora da Câmara, que começa às 9h. Serão eleitos um presidente, dois vice-presidentes, quatro secretários e quatro suplentes para o período de 2017 a 2019. A votação é secreta e realizada em cabines eletrônicas. São seis candidatos na disputa: Jovair Arantes (PTB-GO); Luiza Erundina (Psol-SP); Júlio Delgado (PSB-MG); Andre Figueiredo (PDT-CE); Jair Bolsonaro (PSC-RJ); e Rodrigo Maia (DEM-RJ). Este último é o favorito para ganhar a votação e teve a candidatura permitida pelo ministro do STF Celso de Mello. Para as 16h, está prevista a sessão de abertura das atividades do Congresso Nacional. A condução dos trabalhos caberá ao presidente do Congresso e do Senado.

Na última quarta-feira (1º), Eunício Oliveira (PMDB-CE) foi eleito presidente do Senado com 61 votos. Ele é citado duas vezes na Operação Lava Jato e, segundo os investigadores, seria o “Índio” na tabela de repasse de propinas da construtora Odebrecht. Também na véspera, o STF retomou os trabalhos, mas a decisão sobre o novo relator dos processos da Operação Lava Jato na Corte ficou para esta quinta. O sorteio deve ocorrer entre 8h e 19h, segundo técnicos do Supremo. De acordo com informações do jornal O Globo, o ministro Edson Fachin, que deve se mudar para a segunda turma do STF, é o favorito do Ministério Público para ser o relator.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.