Consulte a Bússola de Investimentos ADVFN desta quinta-feira, dia 23

LinkedIn

• A Alliar (BOV:AALR3) comprou a Multiscan Imagem e Diagnóstico, líder em diagnósticos por imagem no Espirito Santo, por R$ 104 milhões.

• Edemir Pinto, presidente da BM&FBOVESPA (BOV:BVMF3) será sucedido por Gilson Finkelsztain, atual presidente da Cetip, que assumirá a presidência da nova companhia formada a partir de maio deste ano.

• A BM&FBOVESPA (BOV:BVMF3) e a Cetip (BOV:CTIP3) conseguiram todas as aprovações para consumar o processo de fusão entre as duas companhias. Os acionistas da Cetip receberão aproximadamente 0,93849080 ação ordinária de emissão da nova companhia.

• O conselho de administração da Copel (BOV:CPLE6) aprovou a indicação de Antonio Sergio de Souza Guetter para presidência da elétrica estatal, de acordo com ata de reunião realizada na véspera. Guetter completará o mandato 2015-2017, substituindo Luiz Fernando Leone Vianna, nomeado para a diretoria-geral de Itaipu.

• A CPFL Renováveis (BOV:CPRE3) não conseguiu reverter perdas e registrou prejuízo consolidado de R$ 143,7 milhões em 2016.

• A Even (BOV:EVEN3) registrou lucro consolidado de R$ 39,89 milhões em 2016, queda de 73,3% no ano.

• A ação da Fleury (BOV:FLRY3) foi rebaixada para neutra pelo Bradesco BBI, mantendo o preço-alvo de R$ 48,00.

• A fabricante de materiais de fricção Fras-le (BOV:FRAS4) anunciou nesta quinta-feira guidance para 2017, projetando uma receita líquida consolidada de 900 milhões de reais e investimentos da ordem de 30 milhões de reais. A empresa ainda estima as receitas no exterior em 140 milhões de dólares, e as importações em 20 milhões de dólares. “Tais indicadores foram validados no processo de planejamento estratégico da Companhia e respaldados pela avaliação do cenário macroeconômico doméstico e dos países com os quais ela mantém relações comerciais”, informou a Fras-le em fato relevante divulgado nesta manhã.

• No âmbito da oferta pública de aquisição (OPA) da Gerdau , a Metalúrgica Gerdau poderá adquirir até a totalidade das ações ordinárias remanescentes de emissão da companhia. A OPA se dará mediante a permuta das ações ordinárias emitidas pela companhia (BOV:GGBR3) por ações preferenciais (BOV:GGBR4). A relação de permuta da OPA atribuirá uma ação preferencial para cada uma ação ordinária.

• A Hermes Pardini (BOV:PARD3) teve a cobertura iniciada pelo Bradesco BBI com recomendação outperform, com preço-alvo de R$ 24,00, destacando as vantagens competitivas da companhia e vendo boas perspectivas para o setor de medicina diagnóstica em meio ao envelhecimento da população brasileira, a maior penetração dos planos de saúde privados e introdução de novas tecnologias. A Hermes Pardini foi iniciada com recomendação overweight pelo JPMorgan. As ações da companhia estrearam na Bolsa em 14 de fevereiro.

• Segundo o jornal Valor Econômico, como resultado da Operação Carne Fraca, o abate de bovinos pela JBS (BOV:JBSS3) caiu entre 25% e 30%. Ainda segundo o jornal, a Marfrig (BOV:MRFG3), que não foi envolvida a operação, manteve a escala de abates.

• O Supremo Tribunal Federal deu despacho favorável à JB Duarte (BOV:JBUD4) em recurso extraordinário impetrado pela Receita Federal em questionamento sobre ressarcimento de imposto de importação de trigo, segundo comunicado da empresa à CVM. A companhia calculou que ressarcimento será de R$ 110 milhões, ainda a depender de determinação de valor pela Justiça. O valor ainda não se encontra contabilizado pela JB Duarte.

• A Movida (BOV:MOVI3) viu seu lucro cair 92,6% no quarto trimestre na comparação anual, de R$ 15,28 milhões para R$ 1,129 milhão. A receita, por sua vez, teve crescimento de 30,5%, atingindo R$ 493 milhões, enquanto o Ebit caiu 10,8% para R$ 60,6 milhões.

• A Oi (BOV:OIBR4) registrou prejuízo consolidado de R$ 7,12 bilhões, crescimento de 27% em relação ao prejuízo registrado no ano anterior. Segundo a companhia, o resultado foi impactado principalmente por baixa contábil de R$ 2,8 bilhões de créditos tributários sobre prejuízo fiscal acumulado, refletindo as estimativas de resultado tributário do plano de recuperação judicial. O conselho de administração da Oi aprovou novas condições financeiras básicas como ajustes ao seu plano de recuperação judicial e apresentará, assim que possível, aditivo à Justiça. O ajuste prevê a entrega de 25% das ações aos credores, além de outras condições facilitadas para o pagamento de dívidas.

• A Petrobras (BOV:PETR4) colocou à venda sete sondas de perfuração. O atual cenário de baixos preços de petróleo tem levado a uma redução da demanda por sondas afirmou a companhia. O foco em projetos de desenvolvimento da produção em águas profundas e ultra-profundas, também reduziu a demanda por sondas para atividades em águas rasas.

• A Restoque (BOV:LLIS3) aprovou a proposta para o grupamento de suas ações na proporção de 8:1, sem modificação no capital social.

• O Conselho da Sanepar (BOV:SAPR4) aprovou nesta quarta-feira pedir à Agepar que seja acatada a sugestão de fixar o percentual de 25,63% como o necessário para que a empresa continue prestando o serviço adequado, disse a estatal paranaense em fato relevante. A empresa também pede à agência que seja reduzido o prazo de diferimento previamente proposta de 8 anos para até 4 anos, ou dentro do próprio ciclo tarifário. A Sanepar disse que participará de audiência pública no dia 24 de março, às 18h, para defender seus interesses.

Bolsas mundiais
A sessão é de maior alívio para as bolsas mundiais nesta quinta-feira, após duas últimas sessões bastante tensas em meio à percepção de que o presidente dos EUA Donald Trump terá capacidade para implementar as suas reformas.

O investidor aguarda hoje pela votação no Congresso americano da mudança em projeto de lei sobre saúde, que servirá de termômetro sobre a aprovação de outras reformas.

Antes disso, a chairwoman do Fed Janet Yellen falará, o que será acompanhado atentamente pelos mercados para reforçar a percepção sobre o tom gradualista da autoridade monetária. Na China, as bolsas fecharam em alta, apesar da continuidade das preocupações com o aperto da liquidez e o aumento das regulações.

No mercado de commodities, o dia é de alívio: o petróleo tem a primeira alta em quatro dias, enquanto o minério de ferro de Qingdao sobe e de Dalian registra baixa.

Desempenho dos principais índices:
Ibovespa (Brasil) +0,00%

Dow Jones (Estados Unidos) +0,00%

Nasdaq Composite (Estados Unidos) +0,00%

Sse Composite Index (China) -0,50%

FTSE 100 (Reino Unido) -0,15%

DAX Index (Alemanha) +0,24%

Cac 40 (Reino Unido) +0,2%

Nikkei 225 (Japão) +0,23%

Commodities:
Ouro +0,34%

Prata +0,74%

Cobre -0,63%

Petróleo -0,73%

Petróleo Brent Crude -0,65%

Um pouco de política
Em destaque, a Câmara aprovou o texto-base do projeto de terceirização por 231 votos a 188 e 8 abstenções. Apesar da vitória do governo, a margem estreita, de 43 votos, é sinal de que haverá dificuldades em reformas da Previdência e Trabalhista, conforme destaca a Folha.

O governo anunciou ainda que o Orçamento de 2017 tem rombo de R$ 58,2 bilhões e ainda não decidiu tamanho do contingenciamento nem se haverá aumento de impostos. O corte mínimo será de R$ 44 bilhões sem aumento de impostos, disse o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. O aumento de tributo é uma grande possibilidade. Segundo o Valor, o governo cogita reonerar empresas com contribuição sobre a folha. O aumento do PIS/Cofins e IOF sobre câmbio também são possibilidades.

O mercado também fica de olho na reforma da Previdência, em meio às mudanças no projeto. Na última terça-feira, o presidente retirou os servidores estaduais e municipais da reforma e, em entrevista à GloboNews ontem, disse que isso ocorreu porque acabou invadindo uma competência do estado membro da federação (veja mais destaques clicando aqui). Contudo, a decisão de Temer causou apreensão entre os governadores, destaca O Globo. Eles queriam que as mudanças no regime de aposentadorias de policiais militares, bombeiros e professores – que hoje podem requerer benefícios mais cedo – fosse definida na reforma apresentada ao Congresso pela União. Assim, não teriam o ônus de tratar de um tema impopular nas assembleias legislativas, onde já é difícil conseguir aprovar qualquer medida de ajuste fiscal.

A coluna de Ribamar Costa, do jornal Valor Econômico, também destaca a percepção de alguns líderes governistas de que o mercado se precipitou ao precificar aprovação da reforma da Previdência enviada pelo governo, Algo da reforma será aprovado, mas referência não será a preocupação com eventual reação negativa dos investidores a uma reforma mais modesta. O foco dos parlamentares será eleição de 2018, destaca a coluna.

Agenda de indicadores
Os destaques do dia são o discurso da presidente do Fed, Janet Yellen, e os dados de auxílio-desemprego dos Estados Unidos, ambos às 9h30. Às 11h, saem dados do setor imobiliário norte-americano e os investidores acompanham falas dos presidentes regionais do Fed de Minneapolis, Neel Kashkari, Às 13h30, e de Dallas, Robert Kaplan, às 20h. No Brasil, o único evento importante é o Leilão Tradicional de LTN e LFT que o Tesouro Nacional realiza, às 11h30.

Na agenda do dia, o presidente do BC Ilan Goldfajn tem reunião com executivos do Eurasia Group, com deputada federal Tereza Cristina, com executivos da Oliver Wyman, todos no edifício-sede do BC em Brasília; também se reúne com Henrique Meirelles, ministro da Fazenda; Aloysio Nunes, ministro de Relações Exteriores; e Marcello Estevão, secretário de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda, no Palácio do Itamaraty. Já Blairo Maggi, ministro da Agricultura, realiza coletiva de imprensa para falar sobre Operação Carne Fraca, 11h00. A “crise da carne” segue com restrições da China, Vietnã e Arábia Saudita.

Deixe um comentário