Consulte a Bússola de Investimentos ADVFN desta quarta-feira, dia 19

LinkedIn

• A Anima (BOV:ANIM3) aprovou a recompra de até 2,6 milhões de ações ordinárias em 12 meses.

• A Polícia Federal deflagrou hoje pela manhã a terceira fase da Operação Greenfield que investiga a aquisição de ações do Banco Pan (BOV:BPAN4), antigo banco do apresentador de televisão Silvio Santos, pela CEF (Caixa Econômica Federal). A Justiça determinou o bloqueio de até 1,5 bilhão em contas bancárias vinculadas à operação.

• Na safra 2016/17, a Biosev (BOV:BSEV3) atingiu volume de moagem igual a 31,5 milhões de toneladas. Esse volume supera em 1,9% a moagem da safra anterior e é a maior das últimas 6 safras.

• O Banco Central aprovou o processo de aumento do capital social do Bradesco (BOV:BBDC4) no valor de R$ 8 bilhões, com bonificação de 10% em ações (1 ação nova para cada 10 ações). Os acionistas que estiverem inscritos nos registros do banco até 28 de abril serão beneficiados. Considerando as ações bonificadas, haverá um incremento de 10% sobre os juros sobre o capital próprio pagos mensalmente.

• Paulo Remy Gillet Neto foi eleito pelo conselho da Brasil Pharma (BOV:BPHA3) para substituir Gabriel Monteiro, que renunciou, segundo comunicado. Gillet Neto ocupará o cargo de diretor presidente pelo restante do mandato, que se encerrará na data da AGO 2017.

• A Contour Global do Brasil fará a Oferta Pública para Aquisição (OPA, na sigla em inglês) das ações da Afluente Geração de Energia Elétrica pelo valor por ação de R$ 5,32. A Afluente foi comprada da Neoenergia em março deste ano pelo valor de R$ 771,948 milhões. O laudo de avaliação da OPA, realizado pelo Banco Fator, estabeleceu um preço entre de R$ 5,07 a R$ 5,57, apurado segundo a metodologia do fluxo de caixa descontado.

• A CVM absolveu o empresário Eike Batista da acusação de não divulgar tempestivamente fato relevante sobre as negociações que envolviam a venda do controle da antiga LLX Logística. No entanto, o diretor de relações com investidores à época terá de pagar multa de R$ 200 mil.

• As vendas contratadas líquidas da Gafisa (BOV:GFSA3) tiveram alta de R$ 117,4 milhões no primeiro trimestre, 76% superior se comparado ao mesmo período de 2016. A construtora não realizou nenhum novo empreendimento no primeiro trimestre, uma vez que tinha o objetivo de vender unidades em estoque. “Apesar dos projetos estarem aprovados e disponíveis para lançamento, a companhia optou por seguir uma postura mais conservadora diante do atual cenário macroeconômico e também devido ao efeito sazonal do período”.

• O Paraná Banco (BOV:PRBC4) informou que os acionistas definiram preço de R$ 11,59 por ação em OPA.

• A Petrobras (BOV:PETR4) apresentou documento à consulta pública do Ministério de Minas e Energia se posicionando fortemente contra o programa Renovabio, voltado ao incentivo da expansão da produção de biocombustíveis no País. Além disso, o jornal Folha de S.Paulo noticia que a fundação Petros, que administra a previdência privada da Petrobras, fechou 2016 com um deficit acumulado de R$ 27,3 bilhões, 14,2% maior do que as perdas de 2015.

• A agência de classificação de risco S&P cortou a nota de crédito da construtora Odebrecht em um nível, para CCC+, com perspectiva negativa, citando sua estrutura de capital insustentável no longo prazo.

• A AES Tietê (BOV:TIET11) comprou da Renova (BOV:RNEW4) o conjunto de parques eólicos que constituem o complexo Alto Sertão II, por R$ 600 milhões. Além do pagamento do preço de aquisição, a companhia assumirá a dívida do projeto no valor de R$ 1,15 bilhão.

• Sobre, a Transmissão Paulista (BOV:TRPL4), a Aneel decidiu ontem que as tarifas de energia não vão incluir a parcela referente à RBSE das distribuidoras, uma conta da ordem de R$ 9 bilhões. Algumas companhias do setor, como a Light, já estavam pagando pelo RBSE cheio. A ANEEL optou por retirar a cobrança da RBSE cheia de todos os consumidores pois eles entendem que ou se reverte a decisão ou não se aplica pois poderá haver no futuro várias ações judiciais. O pleito das associações (Abrace, Abividro e Abrafe) não questiona o valor original da RBSE tampouco a correção dos recebíveis pela inflação e sim o componente real adicionado ao fator de ajuste.

• A diretoria executiva da Vale (BOV:VALE5) terá mais uma mudança, de acordo com a coluna do Broad. Além de Murilo Ferreira, que deixa a presidência no próximo mês, Humberto Freitas, responsável pela Logística e Exploração Mineral da companhia, hoje com 63 anos, decidiu sair da empresa. O executivo assumiu o cargo seis meses depois de Murilo Ferreira ser indicado como presidente da mineradora, em maio de 2011. A Vale não comentou.

Bolsas mundiais
As bolsas mundiais registram um dia misto, entre a alta de commodities e a tensão no Reino Unido: Thereza May, que defende hoje no Parlamento a convocação de eleições antecipadas para o próximo dia 8 de junho, de forma a fortalecer o “Brexit”. Assim, enquanto a maior parte dos mercados europeus registra alta, o FTSE tem leve queda.
Já os principais mercados acionários da China recuaram pela quarta sessão consecutiva nesta quarta-feira, com a intensificação das preocupações dos investidores de que regulações mais rígidas contra especulações e o sistema bancário sem regulação vão prejudicar a recuperação do país. Analistas atribuem a recente fraqueza do mercado às preocupações de que a recuperação impulsionada por estímulo na China desde o final do ano passado está enfraquecendo, em meio à campanha do governo contra a alavancagem excessiva e as bolhas de ativos. As bolsas do restante da região também mostraram fraqueza, com exceção do Japão, cujo índice Nikkei fechou com variação positiva de 0,07 por cento.

No mercado de commodities, o minério de ferro registra um dia de alta na China após dois dias de forte queda, enquanto os metais industriais avançam em Londres; já o petróleo tem leve ganho e sustenta nível de US$ 52, em dia de estoques de petróleo nos EUA.

Desempenho dos principais índices:
Ibovespa (Brasil) -0,05%

Dow Jones (Estados Unidos) -0,08%

Nasdaq Composite (Estados Unidos) +0,61%

FTSE 100 (Reino Unido) -0,36%

DAX Index (Alemanha) +0,18%

Cac 40 (Reino Unido) +0,3%

Nikkei 225 (Japão) +0,07%

Commodities:
Ouro -0,67%

Prata -0,44%

Cobre +0,18%

Petróleo -0,25%

Petróleo Brent Crude -0,27%

Um pouco de política
Em Brasília, as atenções se voltam para a leitura do relatório da reforma da Previdência, adiada para as 9h desta quarta-feira. Na véspera, o governo cedeu em mais um ponto e aceitou reduzir a idade mínima para aposentadoria de mulheres de 65 para 62 anos em troca do apoio de 42 deputadas da bancada feminina. Vale destacar que o relator desistiu de idade mínima de 60 anos para policiais após tentarem invadir o Congresso contra reforma, diz Folha. A ideia é estabelecer idade mínima de 55 anos a partir de 2020, mas relatório pode não prever uma transição até 60 anos.

Vale destacar que ontem o governo sofreu uma vitória e uma derrota na Câmara. Após um mês de tramitação, a base aliada do governo conseguiu vencer a obstrução da oposição e aprovou hoje (18) no plenário da Câmara dos Deputados o texto base do Projeto de Lei Complementar (PLP) 343/17, que trata da recuperação fiscal dos estados superendividados. Ainda falta votar os destaques. Por outro lado, a Câmara rejeitou urgência para reforma trabalhista, que teve apenas 230 votos, dos 257 necessários, o que foi considerada uma derrota para o governo. Segundo a coluna Painel, da Folha, o governo vai usar a reprovação do pedido de urgência para a votação da reforma trabalhista na Câmara para cobrar fidelidade de ao menos dois partidos que atuam de maneira dúbia, o PSB e o PPS.

Em destaque nesta sessão, a Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira (19) a Operação Conclave. A PF informou em nota que o objetivo da ação é investigar a aquisição possivelmente fraudulenta de ações do Banco Panamericano pela Caixa Participações S.A. De acordo com a PF, a transação tem “potencialmente causado expressivos prejuízos ao erário federal”. O inquérito investiga a se houve gestão fraudulenta e prejuízo a correntistas e clientes.

Além disso, destaque para os depoimentos dos marqueteiros João Santana e Monica Moura , que afirmaram ontem que receberam dinheiro de caixa 2 para coordenar a campanha de Dilma Rousseff à presidência da República, em 2010. Em depoimentos anteriores, o casal havia dito que os pagamentos recebidos na Suíça eram referentes a campanhas realizadas fora do Brasil. “Na época, ainda atordoado pela prisão, preocupado com a estabilidade política e com a própria manutenção no cargo da presidente Dilma, eu menti”, afirmou Santana ao juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba. Esta foi a primeira vez que os publicitários são ouvidos na condição de delatores, após homologação do acordo de colaboração pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Por fim, parte dos documentos relacionados à delação dos executivos da Odebrecht, que ainda está sob sigilo, contém citação ao ex-presidente Lula, o ex-ministro Antônio Palocci e o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha. O jornal ‘O Estado de S. Paulo’ teve acesso a essas decisões do ministro Edson Fachin. Os delatores contaram que, para expandir os negócios do grupo em outros países, usavam o nome do ex-presidente Lula como cartão de visitas.

Agenda de indicadores
O destaque doméstico fica com o fluxo cambial semanal, que será conhecido às 12h30. Nos Estados Unidos, atenção para o Livro Bege, às 15h, que reúne as condições da economia dos EUA e embasa a decisão de política monetária do Fed. Sinalizações sobre o ciclo de alta de juros por lá podem vir também do discurso do presidente regional do Fed de Boston, Eric Rosengren, às 13h. Os números dos estoques norte-americanos de petróleo serão conhecidos às 11h30. Mais cedo, na Europa, saíram os dados da balança comercial de fevereiro e da inflação ao consumidor de março, medida pelo CPI da zona do euro.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.