Consulte a Bússola de Investimentos ADVFN desta terça-feira, dia 25

LinkedIn

• A BRF (BOV:BRFS3) informou a aprovação de linhas de trade finance PPE de US$ 150 milhões com Rabobank e Safra.

• As ações da Copasa (BOV:CSMG3) já registram queda de mais de 20% em suas ações após a revisão tarifaria proposta pela Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais.

• As ações da Embraer (BOV:EMBR3) passarão a ser negociadas “ex-dividendos” a partir de terça-feira, por conta do anúncio do pagamento de dividendos de R$ 74,9 milhões, ou R$ 0,1019 por ação, a partir do dia 10 de maio. Terão direito ao provento os investidores que possuíam o papel em carteira nesta segunda-feira.

• A Helbor (BOV:HBOR3) divulgou prévia operacional do primeiro trimestre de 2017, com os lançamentos atingindo alta de 117%na comparação anual. As vendas contratadas totais foram de R$ 261,5 milhões, queda de 1,2% na base anual, enquanto as vendas contratadas parte Helbor foram de R$ 203,4 milhões, queda de 1,6% na base anual.

• Após questionamento da B3 e CVM, a Hypermarcas (BOV:HYPE3) negou que seus maiores acionistas estejam estudando a venda de suas participações na companhia. As ações da companhia chegaram a registrar alta de até 7,3% no pregão de ontem após o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, afirmar que os controladores da companhia estavam analisando três propostas de compra.

• O Itaú BBA elevou a recomendação do Santander Brasil (BOV:SANB11) de underperform para marketperform, de forma a incorporar novas premissas macroeconômicas e novo custo de capital. O preço-justo para a SANB11 ao final do ano é de R$ 27,00 por unit, de R$ 23,3 anterior. Segundo os analistas do banco, o Santander Brasil parece estar no caminho certo para reduzir gap de lucratividade com bancos privados brasileiros de grande capitalização. Já a Gafisa (BOV:GFSA3) teve a recomendação elevada para outperform pelo Bradesco BBI. Ainda no radar de recomendações, a Telefônica Brasil (BOV:VIVT4) foi iniciada com recomendação outperform pelo Safra, enquanto a Tim Participações (BOV:TIMP3) foi iniciada com recomendação neutra.

• A Kroton (BOV:KROT3) teve alta de 10 por cento na captação de alunos de graduação presencial no primeiro trimestre sobre o mesmo período do ano passado, mas as rematrículas recuaram 4 por cento na mesma comparação, informou o maior grupo de educação superior privada do país nesta terça-feira.

• A Lojas Marisa (BOV:AMAR3) renovou o contrato de representação de seguros com a Assurant Seguradora por mais cinco anos. A companhia receberá a quantia de R$ 75 milhões, a título de antecipação.

• Segundo a rede de notícias Bloomberg, a Natura (BOV:NATU3) pretende fazer uma proposta para a compra da rede de cosméticos The Body Shop, da francesa L-Oreal.

• Gilberto Kassab, ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Telecomunicações, disse que a medida provisória para regular uma possível intervenção na Oi (BOV:OIBR4) deverá ser publicada nos próximos dias.

• A Tenda informou que, a partir de 4 de maio de 2017, as ações de sua emissão passarão a ser negociadas no segmento básico da B3 – Brasil, Bolsa, Balcão (antiga BM&FBOVESPA), conforme aprovado em Assembleia Geral Extraordinária da Companhia realizada em 20 de fevereiro de 2017, às 12h.

• A Justiça de Minas Gerais negou o pedido de liminar do grupo Nippon Steel que buscava anular a eleição de Sérgio Leite para a presidência da Usiminas (BOV:USIM5). A informação é do jornal Valor Econômico.

• A fabricante de motores elétricos e tintas industriais WEG  (BOV:WEGE3) anunciou nesta segunda-feira planos de entrar no mercado de energia eólica indiano e fabricar aerogeradores na fábrica de Hosur, na Índia.

Bolsas mundiais
As bolsas mundiais seguem a sessão de ânimo registrada na última segunda-feira com a redução do risco político na França. Contudo, o fôlego é bem menor do que o observado na véspera. Além disso, o mercado fica de olho nas tensões geopolíticas crescentes entre EUA e Coreia do Norte: Pyongyang conduziu um grande exercício de artilharia nesta terça-feira para marcar a fundação de seu Exército, enquanto um submarino dos Estados Unidos atracou na Coreia do Sul, em meio a crescentes preocupações sobre os programas nuclear e de mísseis da Coreia do Norte.

Já nos mercados asiáticos, os índices chineses se estabilizaram nesta terça-feira após vendas generalizadas na sessão anterior e com o maior ânimo internacional, também repercutindo as eleições na França. Atenção ainda para os dados econômicos vindos da China: a taxa de desemprego urbano registrado no país caiu abaixo de 4% pela primeira vez em anos, em um sinal de que o crescimento econômico mais lento não está criando o forte desemprego que Pequim teme que provoque instabilidade social. O Ministério de Seguridade Social informou nesta terça-feira que 3,34 milhões de novos empregos foram criados no primeiro trimestre. Além disso, o Politburo da China, principal órgão de decisão do Partido Comunista, afirmou que o país vai manter a política fiscal proativa e a política monetária prudente, informou a agência de notícias oficial Xinhua.

No mercado de commodities, o petróleo tem leve alta após seis baixas seguidas, enquanto o minério de ferro tem nova queda em Dalian com aumento de oferta.

Desempenho dos principais índices:
Ibovespa (Brasil) +0,43%

Dow Jones (Estados Unidos) +1,10%

Nasdaq Composite (Estados Unidos) +1,110,63%

FTSE 100 (Reino Unido) +0,15%

DAX Index (Alemanha) +0,16%

Cac 40 (Reino Unido) +0,2%

Nikkei 225 (Japão) +1,08%

Commodities:
Ouro -0,65%

Prata -1,28%

Cobre +0,70%

Petróleo -0,35%

Petróleo Brent Crude -0,12%

Um pouco de política
Na política, os investidores acompanham o início das discussões sobre o relatório da reforma da Previdência na comissão especial ao longo desta semana. O projeto deve ser votado na próxima terça-feira (2) e seguir para o plenário da Casa no dia 15. Vale destacar que a Executiva Nacional do PSB se reuniu na última segunda-feira (24) e aprovou posição contrária às reformas propostas pelo governo de Michel Temer. A Executiva nacional do partido aprovou por 20 votos a 7 posição contrária à reforma trabalhista e, por 21 a 2, posição contrária à reforma da Previdência. Em meio a esse cenário, em busca de apoio para conseguir aprovar as reformas na Câmara, principalmente a da Previdência, o governo deu início a uma ofensiva até sobre os partidos nanicos na Casa, informa o jornal O estado de S. Paulo. Na negociação, essas legendas pleiteiam cargos no terceiro escalão do Executivo e oferecem, em troca, a garantia de que a maioria de suas bancadas votará a favor das reformas.

Antes disso, é esperada a votação da reforma trabalhista. A expectativa em Brasília é que o tema seja apreciado na Comissão já nesta terça e, no plenário, na quarta (25). Já a pauta da recuperação fiscal dos Estados pode ter a apreciação dos destaques concluída nesta terça (24). Dois dos destaques que serão votados pretendem afrouxar as contrapartidas e retirar a possibilidade de privatização de estatais e proibições de realização de novas despesas com pessoal, como contratações, reajustes, auxílios e concessão de incentivos tributários.

Ainda no noticiário político, atenção para a repercussão do depoimento de cerca de duas horas na segunda-feira (24) do marqueteiro João Santana ao TSE, que afirmou que a ex-presidente Dilma Rousseff sabia do esquema de caixa dois utilizado em 2014 em sua campanha à reeleição. A afirmação também foi feita por sua sócia e mulher, Mônica Moura, também delatora da Lava Jato, que contou ter tratado pessoalmente com Dilma naquele ano, em uma reunião no Palácio do Planalto, do esquema ilegal de arrecadação de recursos para a disputa eleitoral.

Na agenda do presidente, Michel Temer reúne-se com Pedro Parente, presidente da Petrobras, 10h00, deputado Vinícius Gurgel (PR/AP), 12h00, Antônio Megale, presidente da Anfavea, 15h00, Robson Andrade, presidente da CNI, 16h00, José Felix, presidente do Grupo América Movil, 18h30.

Já o ministro da Fazenda Henrique Meirelles se reúne com ministro da Agricultura, Blairo Maggi, 10h00, se reúne por videoconferência com a diretora sênior da Fitch, Shelly Shetty, 11h00, com Temer, 12h00, e com o presidente do Novo Banco de Desenvolvimento, Kundapur Vaman Kamath, 17h00.

Agenda de indicadores
Em dia de agenda enxuta, os destaques ficam com a nota de setor externo de março, que o BC divulga às 10h30, com informações das importações e exportações e do IDP (Investimento Direto no País). Nos EUA, serão conhecidos os preços residenciais de fevereiro, às 10h, e as vendas de novas moradias de março e a confiança do consumidor de abril, às 11h.

 

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.