Economia e Mercados: PMI afora e resultados no mercado local

LinkedIn

Mercados Globais

 

As principais bolsas estão em queda, em um movimento que combina realização, decepção com os dados PMI e queda do dólar.

Primeiro o PMI da Zona do Euro: ele veio em 55,8, quando as expectativas eram de 56,2 e após um índice de 56,3 em junho. O indicador de atividade calculado pela consultoria internacional IHS Markit apresentou queda da atividade industrial de julho, mas se mantem em um patamar historicamente elevado. O indicador indica expansão quando está acima de 50 e ele está assim desde 2013, veja o gráfico:

O resultado abaixo do esperado na atividade industrial produziu um sentimento negativo que está levando as bolsas à queda no pregão de hoje. Apesar da queda, na margem, as expectativas continuam positivas em relação ao crescimento anual esperado para a região. A mesma coisa não podemos esperar para os EUA e Reino Unido, que tiveram suas taxas de crescimento para 2017 rebaixadas pelo relatório World Economic Outlook do Fundo Monetário Internacional. Os EUA devem crescer 2,1%, e o Reino Unido 1,7%, quedas de 0,2% e 0,3%, respectivamente. Os EUA não conseguiram ver implementadas as medidas de estímulos prometidas em campanha por D.Trump e a Inglaterra deve ampliar as decepções trazidas com a com saída da União Europeia, através do BREXIT.

O Euro e o yen continuam se valorizando em relação ao dólar por conta das revisões de estimativas em relação ao crescimento dos EUA. O euro está sendo negociado a 1,1652 e o yen a 110,80, sinalizando mais valorizações para o real. Hoje o destaque fica por conta do resultado da Alphabet, holding da Google, que deve apresentar faturamento de US$ 25 bilhões no segundo trimestre. Ao longo da semana saem também os resultados do Facebook, 3M, Caterpillar, Citi e outras gigantes.

 

   Brasil

 

O IBRE-FGV divulgou o IPC-S da terceira semana de julho e ele veio em 0,09%, depois de cair 0,05% na semana anterior. A principal mudança na inflação semanal, que a fez subir 0,14%, foi a alta da tarifa de energia elétrica residencial, que saiu de -0,72% para 2,24%. Veja a tabela da FGV:

A inflação esperada pelo mercado para julho e divulgada pelo BC em seu relatório semanal FOCUS caiu de 0,17% para 0,15%, mesmo após a alta dos preços da gasolina e do diesel. Para a inflação de 2017 a mediana das expectativas do TOP 5 subiu de 3,7% para 3,09% , uma leve alta que não deve comprometer a queda dos juros nessa semana. O comitê de política monetária do BC se reúne a partir de amanhã e deve anuncia, na quarta, uma queda dos juros de 0,75% a 1%. Mantemos nosso “call” de queda de 1%, mesmo após o aumento dos preços dos combustíveis. As expectativas do mercado medidas pelo BC indicam uma taxa SELIC de 7,88% no final do ano, consistente com nossas estimativas de SELIC entre 7,5% e 7,75%.

Em uma semana em que mais de 30 empresas devem anunciar seus resultados, a bolsa deve ter um viés positivo, com a volta dos resultados mais animadores, mesmo com um trimestre fraco em temos de crescimento. Hoje divulgam seus resultados a Via Varejo e a Localiza.

Deixe um comentário