Santander reduz juros do crédito imobiliário; taxas caem para um dígito mais TR

LinkedIn

Os juros para o financiamento de imóveis estão caindo, acompanhando a redução da Selic, e já chegam a um dígito além da Taxa Referencial (TR). Hoje, o Santander reduziu os juros anuais do crédito imobiliário pelas carteiras do Sistema Financeiro da Habitação (SFH) e a carteira livre ou hipotecária. A partir de hoje, os clientes do Banco terão acesso ao crédito imobiliário a taxas de um dígito porcentual. Os novos juros vigorarão por dois meses, com possibilidade de prorrogação de prazo, segundo nota do banco.

Para ter acesso aos novos juros, é necessário ser cliente pessoa física Santander com relacionamento e optar pelo pagamento do empréstimo em parcelas pelo Sistema de Amortização Constante (SAC), pelo qual as prestações vão diminuindo com o passar dos anos. Pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH), a taxa passa a ser de 9,49% ao ano e para Carteira Hipotecária (CH), 9,99% ao ano.

Crédito digital

O corte das taxas faz parte da estratégia do banco de crescer no mercado imobiliário. Ainda neste mês, o Santander pretende lançar uma plataforma digital pela qual o cliente contará com a facilidade de contratar o financiamento por meio de celular ou internet banking), menores prazos no processo e acompanhamento do seu contrato, entre outras novidades.

“Queremos ser os promotores da virada do mercado de crédito imobiliário neste segundo semestre” afirma Gilberto Abreu, diretor executivo de Negócios Imobiliários e Investimentos. “O banco aproveitou o período de retração do segmento e se antecipou para se posicionar de forma mais competitiva, com pioneirismo.”

Pelas novas taxas, o banco financia imóveis usados com valores de R$ 90 mil a R$ 950 mil (DF, MG, RJ e SP, pelo SFH) e acima de R$ 950 mil (DF, MG, RJ e SP, pela CH). Já em demais Estados, o valor de imóvel usado é de até R$ 800 mil. Para imóveis novos (com até 180 dias de habite-se ou com prazo superior a 180 dias, desde que não tenha sido habitado ou alienado), o limite para uso do FGTS é de até R$ 1,5 milhão, independente do Estado.

Para os demais clientes e formas de contratações, os juros seguirão entre 11,0% na SFH e 12,00% na Carteira Hipotecária (residencial). Para imóveis comerciais a taxa se mantém em 13% a.o. É possível contratar o financiamento imobiliário a partir de R$ 60 mil, com opções de sistema de amortização em parcelas atualizáveis (SAC) ou parcelas fixas (tabela price); prazo máximo de até 35 anos. A renda mínima necessária é de R$ 2,5 mil (composta) e o comprometimento dela com o financiamento deverá ficar entre 30% e 35% (pode variar de acordo com a análise de crédito).

BB, plataforma digital

Outros bancos também estão reduzindo os juros do crédito imobiliário. No Banco do Brasil, os juros para o SFH caíram para 9,99% mais TR em abril. Já na linha Pró-Cotista, os juros são de 9% ao ano mais TR. O BB está também testando, como piloto, um aplicativo para originar operações de crédito imobiliário. Nesta primeira fase, é possível simular crédito, que direciona o cliente de forma assertiva para a opção de financiamento imobiliário mais adequada às suas necessidades e permite solicitar o contato para apresentação de proposta. A expectativa é de que até o final de 2017, já seja possível realizar todo o procedimento de acolhimento de propostas e envio de documentação de crédito imobiliário pelo app do BB.

Atualmente, a maior parte – 60% – das liberações dos contratos para esta finalidade já ocorrem em até 20 dias. A média é de apenas 33 dias.

Na Caixa Econômica Federal, os juros da linha Pró-Cotista variam de 7,85% a 8,85% ao ano mais TR. Pelo SFH, a taxa vai de 10,25% a 11%.

 

 

Deixe um comentário