Dólar cai 0,84% após anuncio da nova meta fical

LinkedIn

dólar fechou em queda nesta quarta-feira, com valor de venda em R$3,1463, após ter atingido o valor de R$3,1743. O mercado reagiu com cautela, após o anúncio de aumento nas metas fiscais de 2017 e 2018.

Dólar hoje

O valor da moeda caiu 0,84% em comparação com o dia anterior. O preço de venda ficou em R$3,1463 e o de venda ficou em R$3,1448. Essa foi a segunda queda consecutiva do dólar, que ontem caiu 0,91%.

Dólar em Agosto

No mês de agosto, após doze pregões, a moeda norte-americana apresenta uma valorização de 0,90%. São sete pregões de alta contra cinco de baixa ao longo do mês. No último pregão de julho, o dólar fechou cotado a R$ 3,1176 para compra e a R$ 3,1181 para venda.

Dólar em 2017

Em 2017, após cento e cinquenta e seis pregões, o dólar acumula uma queda de 3,18% ante o real. São setenta e sete pregões de alta contra setenta e nove de baixa, até o momento, no ano. No ano passado, a divisa dos Estados Unidos fechou cotada a R$ 3,2492 para compra e a R$ 3,2497 para venda.

Cenário Nacional

O governo anunciou o aumento das metas fiscais de 2017 e 2018 para R$159 bilhões nos dois anos. O presidente Michel Temer decidiu divulgar os números ontem, para evitar especulações e enviar um sinal positivo para o mercado.

Com as arrecadações em queda e a frustração de algumas receitas, como a baixa repatriação de recursos e o recuo no aumento do PIS/Cofins sobre o etanol, o governo optou por alterar a estimativa inicial.

Cenário Internacional

A agência classificadora de Risco Moody’s falou que a mudança na metal não teria impacto na avaliação de rating do Brasil. Ao mesmo tempo, a Standard & Poor’s tirou a possibilidade de cortar a nota do país sem um aviso prévio, como uma mostra de confiança no governo.

O dólar também foi influenciado pela ata do banco central norte-americano sobre a crescente preocupação dos membros da instituição com a inflação fraca, o que significa que a economia americana está menos aquecida e possivelmente não haverá um aumento nos juros.

Deixe um comentário