Brasil: Indústria caiu em Agosto de 2017, encerrando sequencia de quatro meses seguidos de crescimento

LinkedIn

Em agosto de 2017, a produção industrial nacional mostrou redução de 0,8% frente ao mês imediatamente anterior, na série livre de influências sazonais, interrompendo, dessa forma, quatro meses consecutivos de expansão na produção, período em que acumulou ganho de 3,3%.

A queda de 0,8% da atividade industrial na passagem de julho para agosto de 2017 mostrou taxas negativas em duas das quatro grandes categorias econômicas e em 8 dos 24 ramos pesquisados.

Entre os setores, a principal influência negativa foi registrada por produtos alimentícios, que recuou 5,5%, interrompendo três meses consecutivos de expansão na produção, período em que acumulou ganho de 9,3%.

Outras contribuições negativas importantes sobre o total da indústria vieram de máquinas e equipamentos (-3,8%), de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-1,6%) e de indústrias extrativas (-1,1%). Vale ressaltar que, com exceção da última atividade que recuou pelo segundo mês consecutivo e acumulou perda de 2,4% nesse período, as demais apontaram taxas positivas em julho último: 0,3% e 1,8%, respectivamente.

Por outro lado, entre os dezesseis ramos que ampliaram a produção nesse mês, os desempenhos de maior relevância para a média global foram assinalados por veículos automotores, reboques e carrocerias (6,2%) e perfumaria, sabões, produtos de limpeza e de higiene pessoal (5,5%), com o primeiro eliminando a queda de 3,7% acumulada nos meses de junho e julho; e o segundo voltando a crescer após recuar 1,5% no mês anterior.

Outros impactos positivos importantes foram observados nos setores de metalurgia (1,9%), de produtos do fumo (15,2%) e de produtos farmoquímicos e farmacêuticos (2,1%), com o primeiro revertendo o decréscimo de 1,5% registrado no mês anterior; o segundo eliminando a queda de 8,6% acumulada nos meses de junho e julho; e o último assinalando a segunda taxa positiva consecutiva e registrando nesse período ganho de 6,7%.

Média Móvel Trimestral

Entre as grandes categorias econômicas, ainda na comparação com o mês imediatamente anterior, bens intermediários (-1,0%) e bens de consumo semi e não-duráveis (-0,6%) apontaram as taxas negativas em agosto de 2017, com o primeiro interrompendo quatro meses consecutivos de crescimento na produção, período em que acumulou expansão de 3,6%; e o segundo voltando a recuar após mostrar ganho de 3,2% entre os meses de maio e julho.

Por outro lado, o segmento de bens de consumo duráveis, ao avançar 4,1%, assinalou a expansão mais acentuada em agosto de 2017 e intensificou o crescimento de 2,9% verificado no mês anterior. O setor produtor de bens de capital (0,5%) também registrou resultado positivo nesse mês e apontou o quinto mês seguido de crescimento na produção, com ganho acumulado de 10,2%. Ainda na série com ajuste sazonal, a evolução do índice de média móvel trimestral para o total da indústria mostrou variação nula (0,0%) no trimestre encerrado em agosto de 2017 frente ao nível do mês anterior, após acumular expansão de 1,8% em três meses consecutivos de taxas positivas.

Entre as grandes categorias econômicas, ainda em relação ao movimento deste índice na margem, bens de capital (1,2%) assinalou o avanço mais elevado nesse mês e permaneceu com o comportamento positivo iniciado em março de 2017. Os segmentos de bens de consumo duráveis (0,5%) e de bens de consumo semi e não-duráveis (0,4%) também registraram resultados positivos em agosto de 2017, com o primeiro assinalando a quinta expansão consecutiva e acumulando nesse período ganho de 4,7%; e o segundo permanecendo com a trajetória ascendente iniciada em maio de 2017. O setor produtor de bens intermediários (0,0%) também apontou variação nula em agosto de 2017, após dois meses seguidos de taxas positivas: 0,9% em junho e 0,5% em julho.

Pesquisa Industrial Mensal

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), através da Pesquisa Industrial Mensal (PIM), produz indicadores de curto prazo relativos ao setor industrial brasileiro. Essa pesquisa avalia o comportamento da produção real mensal nas indústrias extrativa e de transformação do país. Clique aqui e confira mais detalhes sobre a produção industrial brasileira durante o mês de agosto de 2017.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.