Itaú pode captar US$ 3,4 bilhões em bônus perpétuos, calcula Credit Suisse

LinkedIn

A possibilidade de o Itaú (ITUB4) realizar sua primeira emissão de bônus perpétuos no mercado internacional deve liberar mais capital aos acionistas, avalia o Credit Suisse. A informação da captação externa foi publicada pelo Valor Econômico nesta quarta-feira (29).

De acordo com o jornal, o banco se prepara para realizar tal emissão, podendo oferecer uma taxa de juro de 7%. Ainda conforme o Valor, a instituição organiza uma série de encontros com investidores na Ásia, Europa e Estados Unidos a partir do dia 30.

Os títulos de dívida seriam usados para compor o chamado índice de capital de nível 1 do banco sob as regras de Basileia 3, cuja meta do Itaú é chegar a 13,5%. O Credit Suisse calcula que até 1,5% desse percentual, apresentado pelo Itaú no último “dia do investidor”, deve contemplar bônus perpétuos, o que representaria R$ 10,8 bilhões ou US$ 3,4 bilhões.

Naturalmente, porém, o tamanho da emissão vai depender das condições de mercado.

Em síntese, “o banco deixa muito claro que não pretende ter capital superior aos níveis estabelecidos sem qualquer uso planejado e que qualquer excesso desse tipo deverá ser devolvido aos acionistas”, escrevem os analistas Marcelo Telles, Lucas Lopes e Alonso Garcia.

A recomendação do Credit Suisse aos papéis do Itaú é “neutra”, com preço-alvo de R$ 48.

Fonte: Money Times

Deixe um comentário