Papéis da Taesa devem ser pressionados no curto prazo, alerta Citi

LinkedIn

O Citi avisa que as units da Taesa (TAEE11) serão pressionadas no curto prazo como o resultado do anúncio de que a Cemig (CMIG4) irá vender 34 milhões de papéis (18,42% do free float existente e cerca de 9,9% do capital total) em leilão marcado para sexta-feira, 24 de novembro, às 13hs.

“O anúncio deve elevar a pressão sobre as ações da Taesa”, alerta o analista Marcelo Britto. A recomendação para as units é de compra, com preço-alvo de R$ 25,90. Já para a Cemig, a notícia será recebida com entusiasmo pelos investidores, argumenta Britto em um relatório enviado a clientes nesta quinta-feira (23).

“Esperamos uma reação positiva do mercado. A venda das ações da Taesa deve ser utilizada para o pagamento de dívida. A venda é outro passo na direção da reestruturação de cerca de R$8,5 bilhões em dívida vencendo entre 2017-18”, explica. A recomendação às ações da Cemig é de compra. O preço-alvo projetado é de R$ 10,20.

Britto ressalta que o desinvestimento das ações da Taesa não está ligado ao acordo de acionistas que foi desenhado pela gestão da Cemig como parte do plano de venda de ativos anunciado em junho de 2017. “Após a conclusão do leilão, a Cemig ainda deve reter uma participação de 21,7% na Taesa”, calcula.

Fonte: Money Times

Deixe um comentário