2018: Santander indica BRF, Camil, JBS e Minerva no setor de alimentos

LinkedIn

Os analistas do Santander acreditam que o setor de alimentos e bebidas ainda não refletiu a retomada da economia brasileira neste ano. Porém, a expectativa é que em 2018 o segmento se fortaleça e supere a volatilidade do mercado.

“Embora nossa expectativa seja de diminuição dos ventos desfavoráveis, permitindo crescimento rápido de EBITDA no futuro (+26% em média para 2018), acreditamos que as empresas ainda enfrentem vários desafios (alguns auto impingidos), o que deve continuar adicionando volatilidade a uma tendência de recuperação”, diz relatório assinado pelo analista Ronaldo Kasinsky.

Confira as recomendações atualizadas para as principais empresas do setor.

Ambev (ABEV3)

O preço-alvo para o fim de 2018 é de R$ 22,00, com recomendação de manutenção para os papéis da Ambev. Para o analista, os “preços mais racionais e concorrência mais branda no Brasil (após a aquisição da Brasil Kirin pela Heineken)” funcionam como catalisadores para que a “Ambev ultrapasse o mercado e continue aumentando sua participação na região”.

BRF (BRFS3)

BRF é a favorita do Ronaldo no setor, com um preço-alvo de R$56,00 para dezembro do ano que vem recomendação de compra. A aposto tem como base o cenário macroeconômico favorável e a perspectiva de “momento de lucros crescente; potencial de baixa limitado para as expectativas do consenso; valuation razoável”.

Camil (CAML3)

Mesmo que o ativo seja novo na B3, Camil se apresenta como um papel defensivo na indústria, já que é líder de consumo em diversos alimentos básicos e possui um posicionamento sólido no mercado. Além disso, o Santander ressalta a margem EBITDA estável (entre 9,8% e 11,7% nos últimos seis anos) e a possibilidade de aquisições estratégicas para diversificar os produtos e seus alcances.  A recomendação para a empresa é de compra, com preço-alvo de R$ 11,50 nos próximos 12 meses.

JBS (JBSS3)

JBS tem como recomendação de compra o preço-alvo de R$ 15,00 para o fim de 2018. Roberto destaca as melhorias operacionais e o fato de 80% da receita ser extraída do mercado exterior. Por outro lado, o analista também comentou o aumento da percepção de risco causado pelo envolvimento da empresas e seus executivos em escândalos de corrupção.

Marfrig (MRFG3)

Marfrig vem apresentando um bom processo de redução da alavancagem, o que pode gerar retornos positivos no futuro. Por outro lado, o analista aponta que os planos de aumentar a produção para acompanhar o ciclo positivo da carne bovina no país pode exigir um capital elevado para os investimentos, impedindo o retorno aos acionistas. A recomendação é de manutenção, com preço-alvo de R$ 8,00.

Minerva (BEEF3)

A recomendação é de compra, com preço-alvo de R$ 15,00 nos próximos 12 meses, para a Minerva. “Acreditamos que o valuation da Minerva deve refletir a menor liquidez da ação, mas, negociada a um VE/EBITDA 2018E de 5,2x, a ação oferece um dos múltiplos mais baixos em nosso universo de cobertura e um desconto considerável frente aos pares domésticos do setor de alimentos, a nosso ver”, avalia o Santander.

Deixe um comentário