Dollar Week: moeda desvaloriza 0,15% esta semana

Google+ LinkedIn

dólar desvalorizou 0,15% ao longo desta semana, chegando ao menor valor nos últimos três meses. A semana girou em torno da necessidade de mais informações sobre a Reforma da Previdência, enquanto o mercado se prepara para o julgamento em segunda instância do ex-presidente Lula. As incertezas sobre a aprovação da medida fiscal começam a crescer, após o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmar que talvez o governo não consiga todos os votos necessários para dar continuidade ao projeto.

Ontem, a moeda teve queda de 0,26%, cotada a R$ 3,2006  para compra e R$ 3,2013 para venda.

Após 14 pregões no mês, a moeda desvalorizou 3,41%. Já se foram 10 pregões negativos, contra 4 positivos. No último pregão de dezembro, o dólar fechou cotado a R$3,3133  para compra e R$ 3,3144 para venda.

Em 2018, após 14 pregões, o dólar apresenta uma desvalorização de 3,41%. Já se foram 4 pregões em alta, contra 10 em baixa. Em 2016, a divisa dos Estados Unidos fechou cotada a R$ 3,3133 para compra e a R$ 3,3144 para venda.

Resumo da Semana

Na segunda-feira, o dólar teve alta de 0,12%, cotado a R$ 3,2096 para compra e R$ 3,2102 para venda. No dia seguinte, continuou o movimento, subindo 0,58%, cotado a R$ 3,2282 para compra e R$ 3,2289 para venda.

No meio da semana, a moeda teve queda de 0,37%, cotada a R$ 3,2157  para compra e R$ 3,2170 para venda. Na quinta-feira, caiu mais 0,23%, cotada a R$ 3,2089  para compra e R$ 3,2096 para venda.

Ontem, a moeda teve queda de 0,26%, cotada a R$ 3,2006  para compra e R$ 3,2013 para venda.

 

 

 

Repórter da ADVFN, Ana Beatriz Bartolo é formada em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Interessada em política e economia, trabalha por um jornalismo ético que cumpra seu papel social. Twitter: @anabeatrizbart

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.