Boa noite, Investidor! 23 de fevereiro de 2018

LinkedIn

Confira o que aconteceu depois da abertura do mercado hoje.

Para mais informações sobre o que foi notícia antes da abertura da Bolsa, confira o nosso Bom dia, Investidor!

Destaques Corporativos

AES Tietê (TIET11) – O governo federal liberou a AES Tietê a importar energia elétrica “de forma temporária”, da Argentina e do Uruguai até o final de 2018.

Oi (OIBR4) – O Conselho diretor da Agência Nacional de Telecomunicação (Anatel) rejeitou por unanimidade o projeto de abertura de retomada da concessão da Oi. De acordo com ele, um dos motivos para a rejeição, está no fato “da assembléia de credores da operadora ter aprovado em dezembro o plano de recuperação judicial da empresa”.

Petrobras (PETR3) (PETR4) – Em nota, a Petrobra afirmou que pretende chegar ao fim de 2018 com dívida líquida de US$ 77 bilhões.

Banco Inter – Banco Inter solicitou registro para realizar uma oferta inicial de ações (IPO). A oferta inclui lotes primários (ações novas) e secundários (papéis detidos pelos atuais sócios), segundo o prospecto preliminar da oferta, que terá como coordenadores as unidades do banco de investimento do Bradesco, Morgan Stanley, Citigroup e Banco do Brasil.

BRF (BRFS3) – S&P Global, agência de classificação de risco, reafirmou o rating da BRF em BBB-  e mudou a perspectiva de estável para negativa.  Para a agência, a empresa foi “incapaz de melhorar seu desempenho operacional no segundo semestre de 2017”.

Oi (OIBR4) – Ministério Público Federal do Rio de Janeiro (MP-RJ) solicitou a suspensão dos direitos políticos da Pharol e do Société por organizarem, neste mês, a assembléia geral de acionistas da Oi questionando o plano de recuperação judicial da companhia aprovado por credores em dezembro e homologado pela Justiça em janeiro.

Banco do Brasil (BBAS3) – A seguradora Maphre deseja “resgatar sua estrutura anterior à sociedade e, como um player independente, obter sinergias e ampliar o volume de negócios de outras áreas como a sua gestora de recursos”. Após um ano de negociação, a Maphre e Banco do Brasil chegaram a um acordo para rever a sociedade, iniciada em 2011. Renovado, o novo acordo será até 2031 e prevê atuação em conjunto apenas nas áreas rural, vida e habitacional na rede de agências do banco e ainda em canais massificados (affinity). Já no caso do seguro de automóvel e grandes riscos, que não vinham performance na parceria, serão recomprados pela Maphre.

CPFL Energias (CPFE3) – CPFL Energias Renováis, do grupo CPFL Energias, anunciou que Gustavo Sousa renunciou aos cargos de diretor presidente, diretor Financeiro e de Relações com Investidores interino e membro do Conselho de Administração da companhia. Ele ficará no cargo até o dia 02 de março, quando será substituido por ndre Dorf, presidente do Conselho de Administração da companhia.

Renova (RNEW11) – A Renova informou que recebeu nova proposta da Brookfield Energia , em substituição à oferta de capitalização primária aceita em 24 de novembro de 2017. A nova oferta é pela aquisição dos ativos de todo o complexo de alto sertão III, bem como de, aproximadamente, 1,1 GW em determinados projetos eólicos em  desenvolvimento.

Petrobras (PETR3) (PETR4) – A Petrobras assinou hoje, com o Instituto Nacional do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Termo de Compromisso que estabelece as ações e medidas necessárias, durante o período de transição de dois anos, para ajustar o processo de descarte de água produzida de algumas plataformas marítimas de produção da Petrobras às recentes exigências do Ibama.

Recomendações

Terra Investimentos – Terra Investimentos anunciou a substituição da Cosan (CSAN3) pela CCR (CCRO3) na sua carteira recomendada desta semana. O preço de entrada na empresa de rodovias é de R$ 14,89, com preço-alvo nos R$ 16,10, visando uma valorização de 8%.

Banco do Brasil (BBAS3)/Benndorf Research – Com base nos resultados do 4T17 do Banco do Brasil, a Benndorf recomendou, em uma análise fundamentalista, um preço-alvo de R$ 42,90, mas a posição foi rebaixada para mantutenção dos papéis, uma vez que eles estão acima do alvo projetado. Já por um perspectiva técnica, o BB está atrativo no longo prazo, apesar de estar sobrecomprado. O stop é nos R$ 39,00 e alvo é nos R$ 44,00.

Notícias

Nota soberana – Fitch Ratings, uma das principais agência de classificação de risco do mundo, anunciou nesta sexta-feira (23), que rebaixou a nota de crédito soberano do Brasil de ‘BB’ para ‘BB-‘. A perspectiva da agência é estável — o que significa que não haverá novos rebaixamentos no médio prazo. A agência destacou em relatório que a decisão de adiar a votação da Reforma da Previdênciafoi um peso importante para a decisão de rebaixar a nota, além do grande déficit fiscal e o crescente endividamento do governo.

 

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.