Dólar sobe para R$ 3,31 e Ibovespa ganha 0,3% antes das reuniões do Copom e do Fomc

LinkedIn

Num dia de tensões no mercado de câmbio, a moeda americana fechou no maior valor do ano. O dólar comercial encerrou esta terça-feira (20) vendido a R$ 3,308, com alta de R$ 0,024 (0,73%). A divisa está no nível mais alto desde 28 de dezembro (R$ 3,314).

O dólar operou em alta durante toda a sessão, fechando com valorização pelo segundo dia consecutivo. Amanhã, o Comitê de Mercado Aberto (Fomc) do Federal Reserve (Fed) reúne-se para definir os juros da economia americana. Juros mais altos nos Estados Unidos estimulam que os investidores vendam ações na bolsa de valores e comprem títulos do Tesouro americano, considerado os papeis mais seguros do planeta.

Da mesma forma, as taxas maiores nos EUA propiciam a fuga de capitais de países emergentes, como o Brasil, para cobrir prejuízos em mercados de economias avançadas. Amanhã também o Comitê de Política Monetária (Copom) deve reduzir o juro básico no Brasil de 6,75% para 6,5% ao ano.

Na bolsa de valores, o dia foi de otimismo. O índice Ibovespa, da Bolsa de Valores de São Paulo, interrompeu uma sequência de cinco quedas seguidas e fechou a terça-feira com valorização de 0,3%, aos 84.164 pontos.

Estrangeiros tiraram R$ 4 bi da bolsa no mês

O saldo de investidores estrangeiros, porém, continua negativo na bolsa. Segundo dados da B3, no pregão de 16 de março, os estrangeiros venderam R$ 532,5 milhões mais do que compraram. As retiradas do mês já atingem R$ 4,0 bilhões, mas o saldo do ano ainda mostra ingressos de R$ 1,35 bilhão.

Segundo Álvaro Bandeira, economista-chefe do home broker ModalMais, a notícia positiva no exterior foi que Paul Ryan, presidente da Câmara dos EUA, obteve garantias de que o procurador Robert Mueller não será demitido por Trump. E que a lei do teto de gastos que vence na próxima sexta-feira pode ser votada um dia antes. Aliviou os mercados apesar de novas pressões sobre as ações do Facebook arrastando outras ações da Nasdaq, principalmente as do Google. O Facebook está sendo atingido pelas investigações de uso de dados pela Rússia na eleição de Trump. O Reino Unido investiga uso de dados do Facebook, que teria vazado informações pessoais de 50 milhões de usuários nos EUA.

No Brasil,  o presidente da Câmara parece querer votar a reoneração da folha de pagamentos ainda nesta semana, mas o Ministério da Fazenda não se posicionou. Aparentemente, entre 16 e 18 setores pleiteiam manter desoneração, mas o governo luta para deixar apenas setores essenciais. O presidente Temer diz que não é improvável sua candidatura, mas ainda não se decidiu.

O mercado especulava também com a informação do site “O Antagonista”, que o Tribunal Regional Federal da 4[ Região (TRF4) analisará os recursos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na segunda-feira, o que poderia resultar em um pedido de prisão no mesmo dia, afastando ainda mais a possibilidade de uma candidatura do líder do PT.

Com informações da Agência Brasil.

Deixe um comentário