Dólar tem leve alta em dia de julgamento do ex-presidente Lula no STF

LinkedIn

O dólar manteve uma leve alta nesta quarta-feira (4), em dia do julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), no caso do triplex do Guarujá.

Histórico 

A moeda teve alta de 0,08%, cotada a R$ 3,3401 para compra e R$ 3,3408 para venda.

Após 3 pregoes em abril, a moeda valorizou 1,23%. Não houve fechamento negativo apenas 3 positivos. Em março, a divisa americana fechou cotada a R$ 3,2994  para compra e R$ 3,3001 para venda.

Em 2018, após 63 pregões, o dólar apresenta uma desvalorização de 0,80%. Já se foram 33 pregões em alta, contra 30 em baixa. Em 2016, a divisa dos Estados Unidos fechou cotada a R$ 3,3133 para compra e a R$ 3,3144 para venda.

Influências

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu o primeiro voto favorável a concessão do habeas corpus pedido pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no caso do triplex do Guarujá.

O primeiro a votar foi o ministro Edson Fachin, que rejeitou a concessão do habeas corpus do petista. O ministro abriu seu voto dizendo que o “habeas corpus de Lula não poderia servir para o STF revisar seu entendimento que autorizou a prisão a partir da condenação em segunda instância, enquanto for possível recorrer”. Até o momento desta postagem o placar era de 1X1.

O Banco Central não anunciou qualquer intervenção no mercado de câmbio, por ora. Em maio, vencem US$ 2,565 bilhões em swap cambial tradicional, equivalente à venda futura de dólares.

A China revidou nesta quarta-feira (4) aos planos do presidente norte-americano, Donald Trump, de adotar tarifas sobre US$ 50 bilhões em bens chineses. O país retaliou os americanos com uma lista de taxas similares sobre importações como soja, carros, aviões e produtos químicos. O governo chinês levou menos de 11 horas para reponder com suas próprias medidas – mudança que gerou uma alta na liquidação nos mercados acionários e de commodities.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.