Bom dia, Investidor! 11 de maio de 2018

LinkedIn

Esse é o Bom Dia, Investidor, com tudo o que você precisa saber antes da Bolsa abrir!

Para saber o que aconteceu ontem após o fechamento do mercado, confira o nosso Boa noite, Investidor!

Pré Market

O alívio no mercado financeiro ontem, quando números mais fracos de inflação no Brasil e nos Estados Unidos reforçaram as apostas sobre o rumo da taxa de juros nesses países, pode ter continuidade hoje, em meio à agenda econômica menos relevante do dia. O investidor tenta manter o apetite por ativos de risco, acionando o modo risk on, mas o fôlego de alta dos negócios parece encurtado.

Os índices futuros das bolsas de Nova York amanheceram sem uma direção definida, oscilando na linha d’água, um dia após o Dow Jones voltar a acumular ganhos em 2018. Na Europa, o sinal positivo tampouco tem força e algumas praças migraram para o vermelho, após uma sessão de valorização na Ásia – à exceção de Xangai (-0,35%). Nas commodities, os metais básicos recuam.

O petróleo, por sua vez, exibe leves perdas, mas sustenta-se acima da faixa de US$ 70, diante da ausência de trégua na tensão geopolítica no Oriente Médio. O dólar também está de lado, ao passo que o juro projetado pelo título norte-americano de 10 anos (T-note) segue abaixo de 3%, com o mercado se consolando que a taxa de juros nos EUA pode não subir tão rapidamente quanto se temia.

Os dados de inflação ao consumidor (CPI) e ao produtor (PPI) nos EUA, divulgados nesta semana, combinados com os números sobre o mercado de trabalho (payroll) no país, na sexta-feira passada, contribuem para as chances de apenas mais duas altas no juro norte-americano neste ano – em vez de três até dezembro. As leituras de todos esses indicadores abaixo do esperado enfraquece dólar e bônus, favorecendo bolsas e commodities.

Leia: Pré-Market: Mercado testa fôlego

Destaques Corporativos

B3 (BOV:B3SA3): O lucro líquido da B3 no primeiro trimestre de 2018 foi de R$ 448,2 milhões, recuando 15% em relação ao mesmo período do ano anterior. O resultado operacional, medido pelo EBITDA, cresceu 18,4% no 1T18, fechando o trimestre em R$ 760,2 milhões.

PetroRio (BOV:PRIO3): A PetroRio fechou o primeiro trimestre com lucro líquido de R$ 2,7 milhões, queda de 32,5% em comparação ao primeiro trimestre de 2017.

Eneva (BOV:ENEV3): A Eneva informou que o seu Conselho de Administração elegeu Andrea Rangel de Azeredo para o cargo de diretora de finanças da empresa.

Sabesp (BOV:SBSP3): O lucro da Sabesp no primeiro trimestre de 2018 recuou 13,92% no 1T18 em relação ao mesmo período do ano passado. A companhia teve lucro líquido de R$ 580,4 milhões, frente os R$ 674,3 milhões do 1T17.

Equatorial (BOV:EQTL3): A Equatorial Energia fechou o 1T18 com lucro líquido de R$ 64,5 milhões, valor 30,5% maior que os R$ 49,9 milhões do 1T17.

JSL (BOV:JSLG3): A JSL Logística reverteu o prejuízo líquido reportado no primeiro trimestre de 2017 e lucrou R$ 25,2 milhões no 1T18. No ano passado, a empresa fechou o 1T17 com resultado negativo de R$ 18,1 milhões.

Cosan (BOV:CSAN3): No primeiro trimestre de 2018, a Cosan reportou crescimento de 68,4% no lucro líquido, fechando os três primeiros meses do ano em R$ 354,7 milhões.

Cyrela (BOV:CYRE3): A Cyrela fechou o 1T18 com R$ 51 milhões de prejuízo líquido. O resultado negativo, segundo a empresa, foi causado pelo mau momento do setor de atuação do grupo. No 1T17, a Cyrela obteve lucro de R$ 4 milhões.

Energisa (BOV:ENGI11): O lucro líquido da Energisa durante o primeiro trimestre de 2018 foi de R$ 142,3 milhões, o resultado foi 8,7% superior ao mesmo período do ano anterior.

Qualicorp (BOV:QUAL3): A Qualicorp registrou lucro líquido de R$ 102 milhões no 1T18. O valor é 7,5% menor do que o registrado no 1T17.

Randon (BOV:RAPT3): A Randon registrou lucro líquido de R$ 43,2 milhões no primeiro trimestre de 2018, valor 27x superior ao mesmo período do ano anterior, quando a empresa reportou lucro líquido de R$ 1,5 milhão.

B2W (BOV:BTOW3): A B2W registrou prejuízo líquido de R$ 115,1 milhões no 1T18, 35% menor do que o prejuízo do 1T17.

CVC (BOV:CVCB3): A CVC encerrou os três primeiros meses de 2018 com lucro líquido de R$ 81,6 milhões. O resultado foi 21,8% superior ao registrado no mesmo período do ano anterior.

Kroton (BOV:KROT3): A Kroton registrou lucro líquido ajustado de R$ 538,9 milhões no primeiro trimestre do ano, queda de 6,6% com relação ao mesmo período de 2017.

Lojas Americanas (BOV:LAME4): A Lojas Americanas reportou lucro líquido consolidado de R$ 20 milhões no primeiro trimestre de 2018. Segundo a empresa, no mesmo período do ano anterior, a companhia reportou prejuízo de R$ 132,9 milhões.

BRF (BOV:BRFS3): A BRF encerrou o 1T18 com prejuízo líquido de R$ 114 milhões, redução de 60% em relação ao mesmo período de 2017, quando o prejuízo foi de R$ 286 milhões.

Natura (BOV:NATU3): O lucro líquido consolidado da Natura registrou queda de 87,1% em relação ao 1T17, encerrando o 1T18 em R$ 24,4 milhões.

Recomendações de Ativos

(BOV:NATU3): O Itaú BBA elevou a recomendação da Natura para outperform após a divulgação dos resultados do primeiro trimestre. O banco também revisou o preço-alvo, passando de R$ 36 para R$ 40.

(BOV:ANIM3): A equipe do BTG Pactual reiterou a recomendação neutra para o papel da Anima.

Notícias

Minério de Ferro: Os contratos futuros de minério de ferro, negociados na bolsa de Dalian, na China, tiveram alta de 2,6% na jornada desta sexta, encerrando o dia em 482,5 iuanes por tonelada.

Agenda Econômica

CapturadeTela2018-05-11às09.38.17

Deixe um comentário