Aluguel sobe 0,13% em maio e acumula 1,9% no ano, diz FipeZap; perda real é de 2,19% em 12 meses

LinkedIn

O Índice FipeZap de Locação Residencial,  que acompanha o preço de aluguel novo de imóveis em 15 cidades brasileiras, subiu 0,13% em maio, após subir 0,29% em abril e 0,54%, em março. A variação no último mês, entretanto, foi inferior à da inflação segundo o IPCA do IBGE, de +0,40%. Com a alta de maio, o índice acumula alta de 1,90% em 2018, superando a inflação de 1,33%. Nos últimos 12 meses, o Índice FipeZap aponta alta nominal de 0,60%, bem abaixo dos 2,85% do IPCA. Considerando a inflação, o índice registra queda real de 2,19% nos últimos 12 meses, estima a FipeZap. O estudo considera os contratos novos de aluguel, já que os antigos são renovados com a correção fixada em contrato, em geral o IGP-M.

São Paulo sobe e Rio cai em maio

Os dados mostram uma recuperação dos aluguéis, mas ainda modesta, diante da perda de fôlego nos últimos meses. Há também muitas diferenças regionais, com São Paulo registrando alta de 0,13% em maio, depois de subir 0,39% em abril, e acumulando 2,82% no ano e 3,13% em 12 meses. Rio de Janeiro, por sua vez, cai 0,22% em maio, depois de subir 0,15% em abril, acumulando 0,18% de alta no ano, mas queda de 6,56% em 12 meses, reflexo da crise econômica e da quase falência do governo estadual.

Em maio, 7 das 15 cidades monitoradas pelo Índice FipeZap acompanharam o movimento de alta no preço médio do aluguel residencial, com destaque para as variações observadas no Distrito Federal (+0,94%), em Belo Horizonte (+0,88%) e em Recife (+0,80%). Já entre as cidades que registraram queda incluem-se: Florianópolis (-0,89%), Niterói (-0,59%) e São Bernardo do Campo (-0,42%).

No ano, apenas Niterói e São Bernardo do Campo registraram recuo no preço médio (-1,17% e -0,66%, respectivamente).

Já em 12 meses, o resultado positivo, em boa medida, é influenciado pelo avanço do preço do aluguel residencial em 10 das 15 cidades monitoradas pelo índice, com destaque para: Recife (+5,70%), Goiânia (+4,94%) e Salvador (+4,84%). Entre as cidades com queda nominal de preço, incluem-se: Rio de Janeiro (-6,56%), Niterói (-6,25%) e Fortaleza (-1,94%).

O preço médio do aluguel residencial em maio foi de R$ 28,50 por metro quadrado (m²). São Paulo foi a cidade com o maior valor médio por m2 (R$ 36,64), seguida por Rio de Janeiro (R$ 31,24) e Distrito Federal (R$ 29,62). Já entre as cidades com aluguel mais barato destacaram-se: Goiânia (R$ 16,15/m2), Fortaleza (R$ 16,26/m2) e Curitiba (R$ 17,13/m2).

Rentabilidade do aluguel fica em 4,4% ao ano

Comparando-se o preço médio de locação com o preço médio de venda dos imóveis, é possível obter uma medida da rentabilidade para o investidor que opta por alugar seu imóvel. O indicador é relevante, em particular, para se avaliar a atratividade do mercado imobiliário em relação a outras opções de investimento disponíveis. Em maio de 2018, o retorno médio anualizado do aluguel foi estimado em 4,4%.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.