Banco da Coreia: Criptomoedas do Banco Central representam “risco moral”

LinkedIn

O banco central da Coréia anunciou que não planeja lançar sua própria moeda digital por temer que isso possa desestabilizar a economia. Segundo o The Korea Times na segunda-feira, o BoK disse que a emissão de uma moeda digital do banco central (CBDC) poderia representar um “risco moral” ao afetar adversamente a política monetária e sua implementação e possivelmente causar instabilidade no mercado. Mais do que isso, o Banco da Coreia (BoK) chegou a dizer que “as moedas digitais não funcionam como dinheiro”, em um novo relatório.

Embora o banco central tenha decidido examinar a viabilidade de usar moedas digitais como moeda, “nossa opinião é que as moedas digitais foram expostas a várias categorias de risco associadas ao crédito, à liquidez e à administração legal”, disse Kwon Oh-ik, um economista da BoK, no relatório. Olhando mais amplamente, a emissão irrestrita de moedas tradicionais e digitais pode trazer “custos sociais e minar o bem-estar social”, adverte o jornal, acrescentando:

“É desejável que o BoK seja a única entidade a controlar totalmente a emissão de dinheiro.”

O banco central não é totalmente negativo em CBDCs, no entanto, dizendo que eles poderiam “revolucionar” o sistema bancário. Mesmo assim, eles precisariam ser rigorosamente testados antes de serem aprovados. O documento também recomenda a regulamentação da emissão privada de moedas digitais, de acordo com a Yonhap, acrescentando que o governo deve impor um imposto sobre os emissores para torná-los menos propensos a exagerar o valor de suas participações.

“Melhorias tecnológicas não significam que os setores privados poderão ter os direitos para a emissão de dinheiro. Se isso acontecer, o BoK deve regulá-los, mas adequadamente”, disse Kwon.

O banco central vem estudando a possibilidade de um CBDC e como as criptomoedas podem influenciar o setor financeiro desde janeiro, quando montou uma força-tarefa para pesquisar a tecnologia.

Deixe um comentário