Criptoweek: Bitcoin perde fôlego e bate a menor cotação do ano

LinkedIn

Ao decorrer desta semana, o mercado de criptomoedas permaneceu oscilando, mas acabou não resistindo às fortes quedas apresentadas nas últimas sessões.

Na madrugada da última sexta-feira (29), o Bitcoin (BTCUSD) marcou a sua menor cotação do ano ao apresentar US$ 5.835, além de acumular perda de 50% no primeiro trimestre do ano e quase 75% inferior a sua alta recorde, que ocorreu há seis meses.

Ao conceder uma entrevista ao El País nesta semana, o professor e diretor associado do Departamento de Engenharia Eletrônica e Ciências da Computação do Massachusetts Institute of Technology (MIT), revelou que “o bitcoin é uma receita para o desastre”. Questionado sobre a utilidade da criptomoeda, Micali explicou que, “para ser considerada útil,  ela precisa ter pelo menos três propriedades básicas: escalabilidade, descentralização e segurança. Deve ser escalável para permitir milhares de transações por segundo. O Bitcoin pode produzir no máximo nove transações por segundo. E depois?”, contou o professor ao jornal.

Em contrapartida, dados do relatório da divisão de estratégia e consultoria da PwC e da Crypto Valley Association divulgados nesta semana, apontou que, apenas nos primeiros cinco meses de 2018, as negociações com moeda digital dispararam para US$ 13,7 bilhões. De acordo com a Reuters, startups de tecnologia que usam blockchain no mundo, ergueram fundos com base na venda de criptomoedas diretamente para investidores em ofertas iniciais de moeda (ICO), deixando de lado bancos e companhias de capital de risco como intermediários.

E, por fim, o Facebook voltou atrás nesta semana, e decidiu liberar novamente anúncios de criptomoedas na rede social. Na quinta (28), Rob Leathern, diretor de gerenciamento de produtos do Facebook, disse em um post que a rede social “estudou a melhor maneira de refinar sua política – para permitir alguns anúncios enquanto trabalha para garantir que eles sejam seguros”. No entanto, a Facebook anunciou a volta, mas com condições: “a empresa continuará a bloquear qualquer anúncio que promova opções binárias e ofertas iniciais de moedas”, lembrou.

A medida começou a ser praticada na última terça-feira.

Histórico

Na segunda-feira (25), o bitcoin registrou alta de 1,74%, cotado a US$ 6.245,81. No dia seguinte, a criptomoeda despencou 2,71%, cotado a US$ 6.076,32.

No meio da semana, ela voltou a ampliar 1,03%, negociado a US$ 6.138,61. Na quinta-feira (28), a moeda recuou 4,34%, cotada a US$ 5.872,00.

Ontem (29), ela teve alta de 5,72%, cotado a US$ 5.872,00.

 

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.