Bom dia, Investidor! 12 de julho de 2018

Google+ LinkedIn

Esse é o Bom Dia, Investidor, com tudo o que você precisa saber antes da Bolsa abrir!   

Para saber o que aconteceu ontem após o fechamento do mercado, confira o nosso Boa noite, Investidor!

Pré Market 

Por: Álvaro Bandeira

Guerra comercial e petróleo afetaram bastante os mercados na sessão desta quarta. Logo cedo as bolsas asiáticas já refletiam o efeito de os EUA ter imposto tarifas adicionais ao comércio com a China sobre US$ 200 bilhões em 10% e envolvendo mais de 6000 produtos. A China como sempre dizendo que responderá na mesma proporção. Resultado, bolsas logo cedo operando com fortes quedas.

O segundo efeito veio da Líbia, que ontem já tinha noticiado que tinha retomado o controle de portos exportadores de petróleo. Hoje foi dia de divulgar que estaria operando normalmente no mercado. Isso provocou forte queda do preço da commodity no mercado internacional e queda também das ações de empresas ligadas ao segmento. Junto com isso a notícia que a Arábia Saudita tinha aumentado a produção de óleo no mês de junho e relatório da OPEP prevendo desaceleração de demanda. Segundo a OPEP o Brasil será o segundo país de maior aumento de produção.

Ainda no exterior os EUA anunciaram a inflação medida pelo PPI (atacado) de junho com elevação de 0,3% e núcleo também em 0,3%. A taxa anualizada está em 3,4%, o maior patamar desde 2011. Lá o estoque de petróleo encolheu forte na semana anterior, mas não o suficiente para inibir a forte queda do petróleo. No Canadá o banco central decidiu elevar a taxa de juros para 1,50%, vindo de 1,25%. Donald Trump antes da reunião da OTAN declarou que a Alemanha era refém da Rússia, declaração rebatida por Merkel e também por Macron em seu encontro de hoje com Trump.

No mercado internacional o petróleo WTI negociado em NY mostrava queda de 4,16% (chegou a beirar 5,0%) com o barril cotado em US$ 71,03. O euro era transacionado em queda para 1,167 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 2,84%. O ouro e a prata com quedas na Comex e commodities agrícolas com comportamento de queda na bolsa de Chicago.

No segmento local o IBGE divulgou que a produção industrial de São Paulo em maio encolheu 11,4% e contra igual período de 2017 em queda de 4,8%. Houve queda em 14 de 15 ramos pesquisados. Já o Bacen mostrou o fluxo cambial até 06/07 com ingresso líquido de US$ 2,03 bilhões. No ano o fluxo é também positivo em US$ 24,56 bilhões. As perdas em operações de swap no mês já acumulam R$ 5,3 bilhões.

Destaques corporativos 

Eletrobras (BOV:ELET3): O governo brasileiro decidiu realizar o leilão das distribuidoras de energia no dia 26 deste mesmo, mesmo que o Senado adie para agosto a votação do projeto de lei que reforça a segurança jurídica da operação.

Magazine Luiza (BOV:MGLU3): A agência de classificação de risco S&P comunicou na noite desta quarta-feira (11), após o encerramento do pregão, que elevou o rating da Magazine Luiza para ‘brAAA’ na escala nacional, com perspectiva estável.

Petrobras (BOV:PETR4): A maior demanda por combustíveis durante o mês de junho, após a paralisação de 11 dias dos caminhoneiros, fez com que a Petrobras aumentasse a produção de suas refinarias.

Cesp (BOV:CESP6): O Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu nesta quarta-feira (11), em plenário que o Ministério de Minas e Energia reveja o valor mínimo do bônus de outorga fixado para o leilão de privatização da elétrica paulista Cesp, agendado para 2 de outubro, o que poderá elevar a cobrança em cerca de 20%.

Gafisa (BOV:GFSA3): A Gafisa divulgou nesta quarta-feira (11), após o fechamento do mercado, os resultados operacionais do segundo trimestre de 2018. De acordo com a empresa, no 2T18 a companhia lançou 3 empreendimentos, com Valor Geral de Vendas total de R$ 399,9, que somados aos R$ 138,7 milhões lançados no 1T18, totalizam R$538,6 milhões neste primeiro semestre.

Itaúsa (BOV:ITSA4): A Itaúsa informou nesta quarta (11), após o pregão, que adquiriu 2.500.000 ações preferenciais de emissão própria, durante o mês de junho, aos preços de R$ 8,74 (mínimo), R$ 9,07 (médio) e R$ 9,30 (máximo) por ação.

Recomendação de ativos 

Engie Brasil (BOV:EGIE3): O banco Credit Suisse reiniciou a cobertura da Engie Brasil com recomendação outperform e preço-alvo de R$ 40,20.

B3 (BOV:B3SA3): A equipe do Credit Suisse revisou para baixo o preço-alvo do papel da B3, passando de R$ 30 para R$ 28.

Energisa (BOV:ENGI11): A cobertura da Energisa foi retomada pela equipe do Credit Suisse, com preço-alvo de R$ 35,75 e recomendação outperform.

Notícias

Guerra comercial: O governo norte-americano elevou o tom no conflito e ameaçou impor novas tarifas de 10% sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses na terça-feira. A alíquota de 10% entraria em vigor em pelo menos dois meses e atingiria uma série de bens, entre eles soja, aço, alumínio, produtos químicos e alimentícios.

Tabelamento do frete: O tabelamento do frete deve causar impacto de R$ 3,3 bilhões sobre a indústria paulista, entre os meses de junho e dezembro deste ano, estimou nesta quarta-feira (11) a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Minério de Ferro: Os contratos futuros do minério de ferro, negociados na bolsa de Dalian, na China, encerraram a jornada desta quinta-feira com importante valorização de 1,97% a 466 iuanes por tonelada.

Agenda Econômica

CapturadeTela2018-07-12às09.06.40

Fique por dentro:

Aviso ao acionista: Confira as principais empresas que pagarão dividendos e juros sobre capital próprio nos próximos dias

Bruna Rodrigues é estudante de jornalismo pela universidade FIAM-FAAM. Repórter da ADVFN e responsável pela Bússola de Investimentos, Destaques do Dia, Criptomoedas e Boletim Focus. Contato: brunar@advfn.com.br

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.