Bom dia, Investidor! 24 de outubro de 2018

Google+ LinkedIn

Esse é o Bom Dia, Investidor, com tudo o que você precisa saber antes da Bolsa abrir!

Pré Market

O mercado financeiro brasileiro resistiu bem à pressão negativa vinda do exterior ontem, com o otimismo com a vitória de Jair Bolsonaro no domingo limitando o impacto nos negócios locais do ambiente externo cada vez mais hostil. Mas os números do Ibope sobre a corrida presidencial devem testar essa confiança, em meio à expectativa pelo fim da disputa.

O novo levantamento do instituto, feito entre anteontem e ontem com cerca de 3 mil eleitores, mostrou a menor distância entre os dois candidatos desde o início do segundo turno. A vantagem de Bolsonaro sobre Fernando Haddad caiu de 18 para 14 pontos, a cinco dias da votação, elevando a tensão para o veredicto das urnas, virando a página para o pós-eleição.

Enquanto o deputado oscilou dois pontos para baixo, indo de 59% para 57% dos votos válidos, o petista oscilou dois pontos para cima, passando de 41% para 43%. Ambas as variações estão dentro da margem de erro. Também merecem atenção os dados da pesquisa em relação à rejeição e ao potencial de voto.

Enquanto o grau de certeza entre os eleitores de Haddad cresceu de 28% para 31%, essa convicção em relação ao deputado caiu de 41% para 37%. Ao mesmo tempo, 40% disseram não votar de jeito nenhum em Bolsonaro, ante 35% no levantamento anterior, enquanto a rejeição ao petista caiu de 47% para 41%, mas ainda é a maior.

Esse primeiro revés eleitoral não deve ter potencial para abalar a confiança dos investidores na vitória da extrema-direita no pleito de domingo. Com isso, o foco do mercado financeiro brasileiro se mantém em declarações do provável vencedor da eleição sobre temas sensíveis, como a formação de ministérios, a condução da política econômica e a agenda de governo.

Há, portanto, certa cautela, com os investidores querendo mais detalhes sobre as propostas econômicas, os nomes que farão parte da equipe ministerial e a capacidade de aprovar as reformas no Congresso. E essa “lua de mel” do mercado financeiro brasileiro com o provável presidente eleito deve durar enquanto o exterior deixar.

Por Olívia Bulla

Destaques corporativos 

Weg (WEGE3): Em relatório, a Weg, uma das maiores fabricantes de equipamentos eletroeletrônicos, anunciou os seus resultados trimestrais. Segundo a empresa, o lucro líquido do 3T18 foi de R$ 381.430 milhões, alta de 22,2% quando comparado ao mesmo período do ano anterior. O Ebitda atingiu R$ 489 milhões, 25,9% superior ao 3T17 e 5% superior ao 2T18, enquanto a margem Ebitda de 15,1% foi 0,9 ponto percentual menor que no 3T17.

Cosan (CSAN3): Em fato relevante, a Cosan e Cosan Logística informaram que estão avaliando a possibilidade da incorporação das empresas. Com a operação, a Cosan passaria a ser sucessora universal da Cosan Log e, portanto, acionista controladora direta da Rumo, com a manutenção do controle indireto pela Cosan Limited.

Romi (ROMI3): A Indústrias Romi divulgou nesta terça-feira (23), após o fechamento dos mercados, os seus resultados do terceiro trimestre de 2018. O lucro líquido foi de R$15,9 milhões no 3T18. Esse valor equivale a um aumento de 74,6% na comparação com o 3T17, quando o lucro foi de R$ 9,1 milhões. A receita operacional líquida registrada pela companhia no 3T18 atingiu R$206,0 milhões, montante 22,6% superior ao 3T17 e 30,3% superior ao 2T18.

Fibria (FIBR3): A Fibria divulgou nesta quarta-feira, 24, que teve lucro líquido de R$ 1,130 bilhão no 3T18, alta de 52% em relação ao 3T17. O Ebitda ajustado foi recorde de R$ 3,269 bilhões, 31% e 160% superior ao 2T18 e ao 3T17, respectivamente.

Recomendação de ativos 

XP Investimentos: Para a semana, a XP Investimentos optou por trocar duas ações em sua carteira. Retirando as ações da Gerdau (GGBR4) e Gol (GOLL4) para dar espaço aos papéis da Eletrobras (ELET6) e Porto Seguro (PSSA3).

Guide Investimentos: A Guide Investimentos anunciou a troca da Vale (VALE3) pela Cemig (CMIG4) em seu portfólio semanal.

Notícias

Minério de ferro: A jornada desta quarta-feira é marcada pela forte valorização do minério de ferro na bolsa de mercadorias da Dalian, na China. O contrato de maior liquidez, com data de vencimento em janeiro de 2019, apresentou ganhos de 2,58% indo para 536,50 iuanes por tonelada.

Dólar: O dólar opera em alta nesta quarta-feira (24), de olho no exterior e no cenário eleitoral no Brasil. Às 9h05, a moeda norte-americana subia 0,23%, vendida a R$ 3,7043. (G1)

Índice de Confiança do Consumidor: O Índice de Confiança do Consumidor, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), cresceu 4 pontos de setembro para outubro. Com a alta, o indicador chegou a 86,1 pontos, em uma escala de zero a 200, um patamar ainda baixo em termos históricos.

Agenda econômica 

CapturadeTela2018-10-24às09.21.43

Bruna Rodrigues é estudante de jornalismo pela universidade FIAM-FAAM. Repórter da ADVFN e responsável pela Bússola de Investimentos, Destaques do Dia, Criptomoedas e Boletim Focus. Contato: brunar@advfn.com.br

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.