Mercados acionários globais em alta; vitória de Bolsonaro tem impacto positivo

LinkedIn

Atividade econômica

Ajuste na mediana das expectativas do mercado continua a sinalizar uma depreciação da taxa de câmbio. O relatório Focus do Banco Central do Brasil apresentou ajustes no IPCA e no PIB. A mediana das expectativas do mercado para o IPCA foi de 4,44% para 4,43% no final do ano. Já a expectativa do PIB subiu de 1,34% para 1,36%. A taxa de câmbio, por outro lado, manteve tendência negativa de 3,75% para 3,71% no final do ano.

Mercados acionários

O dia é de alta no primeiro dia de pregão dos mercados acionários internacionais. Enquanto a safra global de balanços continua intensa e majoritariamente positiva no mundo, mercados olham para o conjunto de riscos menos intenso na Zona do Euro e o noticiário corporativo nos EUA. Entre os destaques: 1) governo da China pretende cortar pela metade tarifas cobradas sobre compras de carros, impulsionando alguns setores das bolsas europeias; 2) S&P não rebaixou o rating da Itália; 3) IBM anunciou compra da Red Hat por US$ 34 bilhões, causando um forte animo em Wall Street.

No Brasil, o dia teve um início promissor, no primeiro dia pós eleições. Com a vitória do candidato Jair Bolsonaro, os mercados emergentes chamaram atenção com apreciação das moedas da região em relação ao dólar pela manhã. Os agentes acompanharam ações e fundos estrangeiros com sensibilidade ao mercado acionário brasileiro, que registraram valorização expressiva. O Ibovespa passou por uma abertura eufórica, atingindo máxima de 88.377,16, alta de 3,1%. O otimismo foi se dissipando com realização de lucros, e a bolsa mantem alta de aproximadamente 1%, enquanto isso, os juros futuros mantiveram queda relevante. O movimento mais tímido do mercado evidencia a complexidade do rali, que deve continuar somente se o presidente Jair Bolsonaro manter sua postura liberal, progredindo em sua agenda reformista. Diversos líderes regionais enviaram felicitações ao presidente eleito, incluindo o presidente Donald Trump, que disse ter tido uma conversa muito boa por telefone.

Expectativas dos agentes

Os mercados internacionais vão digerir os resultados de empresas com importância global, como HSBC e Mondelez. No mercado doméstico, teremos Itaú como destaque entre balanços, que já começaram nesta segunda-feira com Klabin.

A semana terá uma agenda bastante importante ao longo da semana. Na terça-feira (30/10): PIB da Zona do Euro, IGP-M e PNAD contínua. À noite o PMI composto da China. Quarta-feira (31/10): Decisão de política monetária do Copom e dados de vagas de trabalho nos EUA. Quinta-feira (01/11): Balança comercial, IPC-S, produção industrial e mais uma série de dados sobre a indústria americana. Por fim, na sexta-feira (02/11): PMI da indústria da Zona do Euro e Payroll nos EUA.

Deixe um comentário