IPCA acumulado termina 2018 em patamar positivo

LinkedIn

Os últimos dados divulgados pelo Banco Central apresentaram redução do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) para o fechamento de 2018. Segundo o relatório Focus, divulgado na última segunda-feira do ano (31), o valor do IPCA acumulado dos últimos 12 meses chegou a um patamar de 3,69%.

Este indicador é importante para projeções sobre o mercado financeiro e sobre a economia brasileira em 2019, indicando o possível caminho que a inflação deve percorrer ao longo do próximo ano.

Para entender a importância desse índice, investidores e interessados no mercado financeiro devem entender o que representa o IPCA. Afinal, esse índice interfere no bolso da população, nas atividades relacionadas aos diversos setores da sociedade e também está relacionado com os investimentos.

O que é IPCA?

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é o indicador usado para medir a inflação no país. Ele é medido por meio de uma análise que acompanha a variação de preços no mercado mês a mês, de acordo com os valores de produtos e serviços oferecidos ao consumidor final.

O IPCA é a forma de monitorar a inflação encontrada no país, por meio do estudo da movimentação de preços. A partir dos dados apurados, o Governo Federal estipula metas que devem ser buscadas para que o custo de vida do país fique dentro dos padrões considerados viáveis para a população.

Para calcular o IPCA em determinado período, são analisados os preços nos seguintes setores:

  • Despesas pessoais: lazer, fotografia, fumo e outras despesas pessoais.
  • Alimentação e bebidas: panificados, leites e derivados, condimentos, bebidas, carnes, frutas, cereais, açúcares, etc.
  • Saúde: serviços médicos, dentários, óticos, laboratoriais, farmacêuticos e afins.
  • Artigos para casa: móveis, eletrodomésticos, cama, mesa, banho, etc.
  • Habitação: aluguéis, taxas, manutenção, energia elétrica, reparos, entre outros.
  • Vestuário: roupas femininas, masculinas, infantis, calçados, tecidos e acessórios.
  • Educação: cursos, livros e materiais de papelaria.
  • Transporte: combustível, transporte público e transporte particular.

Investimentos relacionados ao IPCA

Como o índice é um importante indicador para a economia brasileira, alguns investimentos possuem seus rendimentos influenciados diretamente pela variação do IPCA.

Especialistas apontam que esses investimentos podem ser boas opções, sobretudo, quando a intenção é investir no longo prazo e obter rendimentos acima da inflação. Isso porque os investimentos com rendimento atrelado ao IPCA normalmente oferecem taxa híbrida, isto é, parte da rentabilidade é prefixada e outra parte é vinculada ao IPCA.

Em momentos em que a inflação apresenta uma crescente muito elevada, esses investimentos tendem a ter certo destaque. Atualmente, algumas aplicações financeiras, como a poupança, não conseguem acompanhar o movimento da inflação, causando a desvalorização do dinheiro e a perda do poder de compra.

Investimentos que possuem como base de rendimento o IPCA são opções para estes momentos e devem ficar no radar dos investidores, especialmente em um cenário de possível aumento da inflação.

Previsões para 2019 melhoram

Ainda sobre o relatório Focus, divulgado no último dia de 2018, as previsões do IPCA acumulado para 2019 foram reduzidas. Nos dados divulgados anteriormente, no dia 24 de dezembro, foi apresentado um valor esperado de 4,03%, número que chegou a 4,01% na última previsão realizada pelo Banco Central no dia 31 de dezembro.  

Essa previsão influencia a expectativa para a economia em 2019. A previsão fornecida pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) prevê crescimento de 2,7% na economia ao longo do ano.

Esse cenário positivo pode beneficiar quem deseja começar a investir em 2019. Algumas oportunidades podem ser desenhadas tanto para quem deseja aplicar em opções mais conservadoras e, principalmente, para pessoas que desejam investir na Bolsa de Valores.

Em 2018, a Bolsa de Valores terminou como o investimento que mais apresentou rendimentos para os investidores. Quem conseguiu aproveitar as oportunidades conseguiu colher bons resultados, afinal, segundo dados da B3, o Ibovespa avançou 15,03% entre 1º de janeiro e 28 de dezembro de 2018.

Com a economia mais estável e com a inflação controlada, é esperado que boas oportunidades na Bolsa de Valores voltem a aparecer, oferecendo assim bons rendimentos para quem deseja ver suas aplicações se valorizando bem mais que a poupança. 

Deixe um comentário