S&P coloca nota da Vale em revisão para possível rebaixamento após Brumadinho

LinkedIn

A agência internacional de risco Standard & Poor’s colocou, em 25 de janeiro, os ratings de crédito corporativo da Vale (BOV:VALE3), incluindo os ratings na escala global em moeda estrangeira ‘BBB-’ e na Escala Nacional Brasil ‘brAAA’, em CreditWatch (revisão) com implicações negativas. Além disso, a agência informou que colocou os ratings das subsidiárias da empresa também em CreditWatch com implicações negativas.

Segundo a S&P, o CreditWatch reflete os riscos contingentes que a Vale enfrentará após o rompimento da barragem em Brumadinho, que resultou em várias mortes e na devastação de uma ampla área na região. Os passivos ambientais e sociais poderão ser substanciais, especialmente ao considerar-se que anteriormente a empresa já havia registrado um acidente deste tipo. A barragem da Samarco, uma joint-venture da Vale com a BHP Billiton, rompeu-se em 2015, causando um imenso desastre ambiental com 19 mortes e a paralisação da empresa, que continua até hoje, e o inadimplemento de suas obrigações.

A S&P diz que acredita que a Vale agora enfrentará múltiplos riscos resultantes desse desastre. As suas obrigações financeiras destinadas à remediação e compensação de perdas poderão ser substanciais, e a empresa poderá enfrentar o impacto de estudos longos e complexos por parte de entidades ambientais e órgão reguladores, podendo assim resultar na suspensão de licenças. “Nossa avaliação dos eventos também levará em conta nossa opinião sobre a capacidade da Vale de operar suas minas de forma segura”, conclui a nota.

Por Arena do Pavini

Deixe um comentário