Em IPO, Uber revela que tem 91 milhões de usuários, mas desacelera crescimento

LinkedIn

A Uber Technologies tem 91 milhões de usuários, mas o crescimento dessa base está desacelerando e a empresa pode nunca atingir lucro, afirmou nesta quinta-feira a companhia de transporte urbano por aplicativo em seu pedido de oferta pública inicial de ações (IPO).

O documento deu aos investidores a primeira imagem financeira ampla da companhia que iniciou serviço em 2009 depois que seus fundadores tiveram dificuldade para encontrar um táxi em uma noite de neve.

O pedido do IPO demonstra o rápido crescimento dos negócios da Uber nos últimos três anos, mas também como uma série de escândalos e aumento da competição de rivais pesaram sobre seus planos para atrair e reter motoristas.

O IPO também ressalta o quão longe a Uber está de obter lucro. A companhia alerta que espera que as despesas operacionais “aumentem significativamente no futuro previsível” e que “pode não atingir lucratividade”. A Uber teve prejuízo de 3,03 bilhões de dólares em 2018, excluindo ganhos não recorrentes.

Os documentos para a oferta revelaram que a Uber teve em 2018 91 milhões de usuários mensais ativos em média em suas plataformas, que incluem o serviço de entrega de comida Uber Eats. A base de usuários representa um crescimento de 33,8% sobre 2017, mas um ano antes a expansão havia sido de 51%.

A receita da companhia em 2018 somou 11,3 bilhões de dólares, alta de cerca de 42% sobre 2017, de novo abaixo do ritmo do ano anterior, de 106%.

A Uber não definiu no pedido o tamanho do IPO. A Reuters publicou esta semana que a companhia planeja vender cerca de 10 bilhões de dólares em ações, o que deve atribuir à companhia um valor de mercado de entre 90 bilhões e 100 bilhões de dólares.

O IPO da Uber virá na sequência da abertura de capital da rival menor Lyft. As ações da Lyft fecharam nesta quinta-feira a 61,01 dólares, 15% abaixo do preço do IPO, realizado no mês passado.

Com Reuters. 

Deixe um comentário