Inflação dos mais pobres, IPC-C1 sobe 0,73% em abril, diz FGV; alta em 12 meses é de 5,86%

LinkedIn

O Índice de Preços ao Consumidor-Classe 1 (IPC-C1) de abril, que mede o custo de vida para famílias de 1 a 2,5 salários mínimos, subiu 0,73%, ficando 0,06 ponto percentual (p.p.) acima de março, quando o índice registrou taxa de 0,67%. A informação é da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Com este resultado, o indicador acumula alta de 2,52% no ano e 5,86% nos últimos 12 meses. O índice C1 faz parte do IPC-BR, que considera famílias com renda de 1 a 33 salários mínimos. O IPC-BR, por sua vez, faz parte do IGP-DI, índice da FGV formado também pelo IPA, dos preços no atacado, e do INCC, da construção civil. O IGP-DI será divulgado na quarta-feira.

Índice amplo sobe menos

Em abril, o IPC-BR subiu 0,63%. A taxa do indicador nos últimos 12 meses ficou em 5,19%, nível abaixo do registrado pelo IPC-C1,

Sete das oito classes subiram

Nesta apuração, sete das oito classes de despesa componentes do índice C1 apresentaram acréscimo em suas taxas de variação: Saúde e Cuidados Pessoais (0,25% para 1,08%), Transportes (1,27% para 1,67%), Habitação (0,20% para 0,31%), Despesas Diversas (-0,15% para 0,24%) Educação, Leitura e Recreação (0,10% para 0,35%), Vestuário (0,61% para 0,71%) e Comunicação (-0,06% para -0,02%).

Remédios, ônibus, móveis e loterias puxaram inflação

Nestes grupos, vale destacar o comportamento dos itens: medicamentos em geral (0,09% para 1,68%), tarifa de ônibus urbano (0,87% para 2,12%), móveis para residência (-0,20% para 0,76%), bilhete lotérico (1,29% para 31,63%) passagem aérea (-7,25% para -0,69%), acessórios do vestuário (0,81% para 1,93%) e tarifa de telefone residencial (-0,44% para -0,15%).

Em contrapartida, apenas o grupo Alimentação (1,23% para 0,76%) apresentou recuo em sua taxa de variação. Nesta classe de despesa, destaca-se o item arroz e feijão
(6,20% para -0,80%),

A próxima divulgação do IPC-C1 acontecerá no dia 06 de junho.

Deixe um comentário