Mercados iniciam a semana em alta

LinkedIn

ÁSIA: As bolsas da Ásia subiram na segunda-feira, com os rendimentos do Tesouro dos EUA melhorando depois da queda na semana passada.

As ações na China continental lideraram os ganhos na região, com o composto de Xangai adicionando 2,1%, enquanto o Shenzhen Composite avançou 3,05%. No sábado, o Banco Popular da China disse que vai melhorar o mecanismo usado para estabelecer a taxa básica de juros a partir deste mês, numa tentativa de reduzir as taxas de juros reais das empresas, já que o país enfrenta uma desaceleração da economia. Os dados da semana passada mostraram que a economia desacelerou mais do que o esperado no terceiro trimestre.

O índice Hang Seng de Hong Kong subiu 2,17%, depois de uma massiva, mas pacífica marcha pró-democracia. As ações da seguradora AIA subiram 3,22%. As ações da companhia aérea Cathay Pacific subiram 1,32%, após a renúncia do seu CEO na sexta-feira “em vista dos recentes acontecimentos”. A empresa sofreu pressão política de Pequim após a descoberta de que dois de seus pilotos estavam envolvidos em protestos em Hong Kong que abalaram a cidade durante semanas.

No Japão, o Nikkei subiu 0,71%, enquanto o Topix adicionou 0,61%. O Kospi da Coreia do Sul avançou 0,66%.

As exportações japonesas caíram 1,6% em julho, o oitavo mês consecutivo, refletindo a desaceleração da China e de outras economias asiáticas. A queda foi menor do que a previsão de 2,3% dos economistas. O país registrou um déficit comercial de 249,6 bilhões de ienes (US $ 2,35 bilhões) em julho, em comparação com um superávit comercial de US $ 689,6 bilhões no mês anterior. 

Embora o ritmo de queda nas exportações tenha sido mais lento em julho do que nos últimos meses, os economistas dizem que a incerteza provavelmente continuará alta no futuro próximo, à medida que o conflito comercial entre os dois maiores parceiros comerciais do Japão continue. As exportações para a China caíram 9,3% no ano devido, enquanto as exportações para os EUA aumentaram 8,4%.

O S & P / ASX 200 na Austrália subiu 0,97%, encerrando o pregão em 6.467,40 pontos, recuperando parte do prejuízo da liquidação da semana passada. A sessão foi apoiada por ganhos em ações de 148 empresas, enquanto 41 recuaram e 11 permaneceram inalteradas. Os volumes de negociações ficaram baixo da média, em 594 milhões.

A produtora de petróleo Beach Energy encerrou o dia com um aumento de 11%, depois de elevar as projeções de sua produção para até 40 milhões de barris de petróleo por ano, no entanto, os ganhos para 2019-20 devem permanecer estáveis.

A maior queda do dia foi da BlueScope Steel, cujas ações registraram queda de 8,4%. A produtora de ouro Newcrest Mining caiu 3%, enquanto entre as maiores, BHP e Rio Tinto avançaram 0,2% cada e Fortescue Metals recuou 0,2%.

No geral, o índice MSCI Asia ex-Japan subiu 1,24%.

EUROPA: As bolsas europeias operam em alta na manhã desta segunda-feira, sustentada pela esperança de estímulos por parte dos bancos centrais e medidas fiscais das principais economias, como China e Alemanha.

O ministro das Finanças da Alemanha, Olaf Scholz, disse no domingo que a Alemanha tem força fiscal para mitigar qualquer crise econômica futura com “força total” e sugeriu que Berlim pode liberar cerca de 50 bilhões de euros (US $ 55 bilhões) em estímulos extras, se precisar.

Enquanto isso, o banco central da China anunciou no sábado uma importante reforma da taxa de juros destinada a reduzir os custos de empréstimos para as empresas e revigorar uma economia que está sendo impactada negativamente por sua guerra comercial com os EUA.

Os rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA, que tem causado temores globais de uma recessão depois de cair na semana passada, mostraram sinais de recuperação.

O Pan-Europeu Stoxx 600 saltou 1% no início do comércio, com todos os setores e principais bolsas negociando em território positivo.

As ações do grupo bancário britânico CYBG sobem 4,9% no início do pregão, liderando a alta do Stoxx 600. O Deutsche Bank sobe 4% após atingir a maior baixa na semana passada, seguido de perto pelo rival doméstico Commerzbank, que salta 3,5%. No outro extremo do índice blue chip europeu, a empresa de produtos químicos holandesa IMCD recua 3,3%.

As mineradoras listadas em Londres tem um dia de alta. Anglo American sobe 1,6%, Antofagasta avança 2%, BHP sobe 0,8% e Rio Tinto sobe 0,9%.

Ainda no Reino Unido, vazaram documentos do governo britânico alertando sobre o impacto negativo de um não acordo Brexit, revelando que a Grã-Bretanha poderia enfrentar escassez de alimentos, remédios e petróleo se deixasse a União Europeia sem um acordo em 31 de outubro. Michael Gove, o ministro encarregado de planejar um cenário sem acordo, disse que os documentos foram baseados no pior cenário possível, enquanto agências de notícias britânicas citaram fontes governamentais culpando o vazamento à um ex-ministro hostil, cuja a intenção era de minar o primeiro-ministro Boris Johnson nas negociações com o bloco.

O Eurostat informou que a inflação na zona do euro em julho desacelerou para 1% nos últimos 12 meses, ante 1,3% em junho e uma estimativa inicial de 1,1%. Esse foi o menor crescimento desde novembro de 2016.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA apontam para uma abertura positiva na manhã de segunda-feira. A Casa Branca tentou acalmar os investidores devido às crescentes preocupações com a guerra comercial e a economia dos EUA.

O presidente Donald Trump disse no domingo que não vê uma recessão no horizonte nos EUA depois de uma semana volátil para os mercados. “Eu não acho que estamos tendo uma recessão”, disse Trump à repórteres. “Estamos nos saindo muito bem. Nossos consumidores são ricos. Eu dei um tremendo corte de impostos e eles estão cheios de dinheiro”.

O presidente Trump também disse no domingo que não quer fazer negócios com a gigante de tecnologia chinesa Huawei, alegando que a empresa representa uma ameaça à segurança nacional. Mais cedo, o The Wall Street Journal e a Reuters informaram que o Departamento de Comércio estava se preparando para estender sua licença por 90 dias, o que permitirá à Huawei continuar negociando com as empresas dos EUA para atender os clientes existentes. O acordo atual está marcado para terminar na segunda-feira. O negócio da Huawei nos EUA é um dos pontos mais controversos da guerra comercial em curso com a China.

O CEO da Apple, Tim Cook, conversou com Trump no domingo e alertou que a Apple seria penalizada pelo aumento das tarifas que serão impostas à China, beneficiando a rival Samsung que não enfrentará o mesmo nível de tarifas, visto que sua base de fabricação situa-se na Coreia do Sul. O presidente dos Estados Unidos disse que Cook fez um “bom argumento e que iria pensar no caso”.

O principal assessor econômico de Trump, Larry Kudlow, previu previu um forte desempenho no segundo semestre para a economia dos Estados Unidos e disse à Fox News que o governo estava “olhando” para um corte de impostos de 10% para pessoas de renda média sugerido por Trump antes das eleições de 2018. Enquanto isso, o conselheiro comercial da Casa Branca, Peter Navarro, disse que é uma “certeza” de que os EUA terão uma “economia forte até 2020 e além com um mercado altista”, graças ao estímulo das principais economias e ao “maior acordo comercial da história”. 

Wall Street encerrou a sessão de sexta-feira com uma nota positiva, devido uma recuperação nos rendimentos dos títulos, o que aliviou os receios de recessão. 

Na sexta-feira, o Dow Jones Industrial Average ou DJIA, subiu 1,20%, enquanto o índice S & P 500 avançou 1,44% e o Nasdaq Composite Index  adicionou 1,67%. 

O Dow caiu por três semanas consecutivas e perdeu 401,43 pontos ou 1,53% na semana passada. O índice S & P 500 encerrou a semana em queda de 1,03%, a terceira semana de perdas.

Entre as notícias corporativas, a Estee Lauder e a Baidu devem relatar seus lucros na segunda-feira. Enquanto isso, não há grandes lançamentos de dados econômicos programados para hoje.

ÍNDICES FUTUROS – 7h50:
Dow: +0,98%
SP500: +0,97%
NASDAQ: +1,11%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário