China contradiz Trump e futuros dos EUA passam a cair

LinkedIn

ÁSIA: Os mercados da Ásia-Pacífico fecharam em alta na segunda-feira, com otimismo comercial entre os Estados Unidos e a China.

O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, disse na sexta-feira que as tarifas de US $ 250 bilhões sobre importações chinesas que deveriam subir para 30% em 15 de outubro não entrarão em vigor, depois do anúncio do presidente dos EUA, Donald Trump, de que ambos os lados chegaram a um “acordo muito substancial na primeira fase”, que abordará questões de propriedade intelectual e serviços financeiros e inclui compras de produtos agrícolas entre US $ 40 bilhões e US $ 50 bilhões em produtos agrícolas pela China.

Os analistas do Citi apontaram que em tempos normais, a compra de produtos agrícolas dos EUA pela China seria de cerca de US $ 20 bilhões, o que faz com que os números anunciados por Trump pareçam “excessivamente significantes”.

Os mercados da China continental avançaram: o composto de Xangai subiu 1,15% e o Shenzhen Composite subiu cerca de 1,43%. Dados alfandegários mostraram que os números de importação e exportação da China para setembro foram piores que o esperado. Em termos de dólares, as exportações chinesas caíram 3,2% no ano passado, enquanto as importações caíram 8,5% no mesmo período, informou a Reuters. A balança comercial total em setembro ficou em US $ 39,65 bilhões.

O índice Hang Seng de Hong Kong subiu 0,81% no comércio do final da tarde.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi subiu 1,11%, com os principais fabricantes de chips Samsung e SK Hynix avançando 1,73% e 0,63%, respectivamente. Na semana passada, a Samsung anunciou um guidance para o terceiro trimestre em um nível um pouco melhor do que os observadores do mercado estavam prevendo, o que levou alguns analistas a sugerir que as condições de negócios no setor de semicondutores podem estar se recuperando lentamente. Os resultados trimestrais completos da Samsung são esperados ainda neste mês.

Na Austrália, o índice de referência ASX 200 subiu 0,54%, com o subíndice financeiro fortemente ponderado subindo 0,65%. Entre as mineradoras, BHP subiu 1,7%, Fortescue Metals avançou 1,1%, Rio Tinto adicionou 2,1%. A produtora de petróleo e gás Woodside Petroleum fechou em alta de 2,5%.

Os principais índices da Índia, Singapura e Indonésia também avançaram. Os mercados do Japão permaneceram fechados por conta de feriado.

EUROPA: As bolsas europeias operam em baixa na segunda-feira, com investidores fazendo avaliações mais céticas quanto à perspectiva do pacto comercial EUA-China e um acordo para a Grã-Bretanha deixar a União Europeia.

Após um forte ganho de 3% na semana passada, o Stoxx Europe 600 cai 1,05%, com bancos e ações do setor de recursos básicos pesando sobre o pan-índice. O alemão DAX 30 cai 0,89%, o CAC 40 francês recua 1,00% e no Reino Unido, o FTSE 100 cai 0,58%.

Na Espanha, Banco Santander cai 3,80% e BBVA perde 1,69%. Entre as mineradoras listadas em Londres, Anglo American cai 2,2%, Antofagasta recua 1,7%, enquanto as gigantes BHP e Rio Tinto caem 1,6% cada.

Na sexta-feira, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou o que chamou de acordo de Fase I, o que adiará o aumento de tarifas, enquanto a China caracterizou mais tarde que havia sido acordado um progresso e não um acordo.

Os investidores acompanharão uma semana importante para o Brexit. O Parlamento da Grã-Bretanha definirá os planos do governo britânico sob o primeiro-ministro Boris Johnson. A BBC informou que o Reino Unido e a União Europeia ainda estão divididos em relação às tratativas alfandegárias, numa tentativa de fechar um acordo antes da saída da Grã-Bretanha dentro do prazo de 31 de outubro.

O Financial Times informou que centenas de empresas alemãs pediram apoio dos legisladores da UE, enquanto lutam para mitigar os impactos do Brexit, a guerra comercial EUA-China e a desaceleração global mais ampla.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA caem na segunda-feira de manhã depois que a China disse que precisava ter mais discussões antes de assinar o chamado acordo comercial da primeira fase, que o presidente dos EUA, Donald Trump, divulgou na sexta-feira.

Os contratos futuros abriram em alta no início da sessão, antes de cair depois de um relatório da Bloomberg dizendo que as autoridades comerciais da China insistem na necessidade de mais negociações até o final de outubro para definir detalhes do acordo comercial da “primeira fase”.

Não há dados econômicos importantes agendados.

Enquanto isso, os mercados de títulos dos EUA estão fechados na segunda-feira, observando o Dia de Colombo.

ÍNDICES FUTUROS – 7h20:
Dow: -0,36%
SP500: -0,40%
NASDAQ: -0,54%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário