Preocupações com o Coronavírus pesam sobre as bolsas nesta segunda-feira

LinkedIn

ÁSIA: Em meio à feriados na Ásia, as bolsas que abriram, sucumbiram nesta madrugada, com investidores temerosos com o rápido avanço do coronavírus.

O índice Nikkei do Japão caiu 2,03%, enquanto o índice Topix caiu 1,61%. Ações relacionadas à viagens caíram: a maior companhia aérea do Japão, ANA, caiu 3,02%, enquanto as ações da agência de viagens HIS despencaram 6,77%. As ações da Airtech, que fabrica produtos especializados em sistemas de ar limpo e são utilizados por hospitais, dispararam 17,06%. O iene japonês, considerado uma moeda de refúgio, fortaleceu e fechou a 109,06 por dólar, ante 108,72 na sessão anterior.

Na Índia, o Nifty 50 caiu 0,4%, enquanto o Sensex caiu 0,44%.

Os mercados da Austrália, China, Hong Kong, Singapura, Coreia do Sul e Taiwan permaneceram fechados por conta de feriados.

A incerteza sobre o coronavírus continua a se espalhar, pesando sobre os mercados. Mais de 2.700 pessoas na China foram infectadas pelo vírus mortal que causa pneumonia, conhecida como coronavírus. As autoridades chinesas disseram que 461 pessoas estão em estado crítico, enquanto 80 pessoas morreram. A escala do surto de vírus já está afetando a economia chinesa, de acordo com dados preliminares. Já foram relatados casos em países como Estados Unidos, Singapura, Austrália e Coreia do Sul entre outros.

Os preços do ouro subiram na segunda-feira, pois o metal precioso também é visto como outro ativo-refúgio em tempos de incertezas. O ouro à vista subiu 0,57%, para US $ 1.579,29 a onça, enquanto nos EUA, o ouro futuro subiu 0,45%, para US $ 1.578,9.

Os preços do petróleo caíram durante o horário comercial asiático, com os operadores preocupados com a demanda por petróleo à luz do surto do coronavírus. Os contratos futuros de petróleo caíram 2,36%, para $ 52,91 por barril, enquanto o índice Brent de referência global caiu 2,22%, para $ 59,34.

EUROPA: As bolsas europeias caem nesta segunda-feira, à medida que os temores sobre as conseqüências econômicas do surto do coronavírus chinês se intensificam.

O pan-europeu Stoxx 600 abriu em queda de 1,4% no início da sessão, com ações ligadas à recursos básicos mergulhando 3,5% e liderando as perdas no pan-índice, a medida que as principais bolsas negociaram em território negativo.

O DAX 30 da Alemanha cai 1,8%, o FTSE 100 do Reino Unido recua 2,4%, enquanto o CAC 40 da França negocia em baixa de 1,92%.

Entre as mineradoras listadas em Londres, que são fortemente sensíveis à China, registram pesadas perdas. Anglo American mergulha 5,6%, Antofagasta cai 4,8%, BHP recua 4,3%, enquanto Rio Tinto perde 4,6%.

Na Itália, o partido de direita, Liga, fracassou em sua tentativa de derrotar o Partido Democrata (PD), de centro-esquerda, em seu reduto histórico no norte de Emilia-Romagna, nas eleições regionais realizadas no domingo. Governada pela esquerda desde a sua instituição, em 1970, a região de Emilia-Romagna era vista como um atalho para Salvini voltar ao poder na Itália. Seu projeto era colocar a Liga no governo de uma das regiões mais “vermelhas” do país e aumentar a pressão sobre o primeiro-ministro Giuseppe Conte, que comanda uma instável coalizão entre partidos de esquerda, de centro e o M5S, formada com o objetivo de evitar eleições antecipadas.

Entre as notícias corporativas, a Reuters informou nesta segunda-feira, citando fontes, que a Autoridade Suíça de Supervisão do Mercado Financeiro está investigando o papel do conselho do Credit Suisse em um recente escândalo do banco.

As ações de viagens sofrem um impacto significativo devido aos temores do coronavírus, com a Lufthansa, a easyJet e a Air France KLM caindo mais de 4,5%.

O Tullow Oil caiu 5,2% e lidera a baixa no benchmark europeu, à medida que os preços do petróleo caem, enquanto a empresa de moda de luxo Burberry caiu 5,2%. A empresa farmacêutica francesa Ipsen sobe 2% e lidera o benchmark depois de perder um quarto de seu valor na sexta-feira devido à interrupção de testes de um de seus medicamentos.

Nenhum dado econômico importante na região está programado para esta segunda-feira.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA indicam perdas acentuadas na abertura de Wall Street, continuando a queda observada no final da semana passada, à medida que crescem preocupações com as consequências do coronavírus da China, com o número de mortos e infectados subindo dramaticamente.

Na sexta-feira, a disseminação do vírus na China pesaram sobre as bolsas americanas. O Dow Jones caiu 0,58%, em 28.989,73 pontos, enquanto o S&P 500 recuou 0,90% ao terminar em 3.295,47 pontos. O Nasdaq caiu 0,93% depois de alcançar um novo recorde intradiário no início do pregão, mas fechou em 9.314,91 pontos.

Na semana, o Dow perdeu 1,2%, enquanto o S&P 500 recuou 1% e o Nasdaq caiu 0,8%.

A China estendeu o feriado do Ano Novo Lunar em 3 dias, para que as pessoas evitem ou ao menos adiem, viagens de retorno e tomou medidas mais drásticas para impedir a propagação do coronavírus, em meio aos avisos de que estava ficando mais contagioso (para não dizer incontrolável). Dezenas de milhões de chineses viajaram para suas cidades natais ou fizeram viagens de turismo durante o feriado, que começou na sexta-feira, 24 e acabaria na quinta-feira, 30. Agora, o país seguirá parado até o domingo, dia 2. A reabertura das escolas após as festividades foram suspensas por tempo indeterminado.

Mais de 30 mil pessoas que tiveram contato com pacientes infectados estão em observação na China, segundo o governo. Também há registros da doença nos Estados Unidos, no Canadá, na Austrália, na França e em diversos países asiáticos.

O presidente chinês, Xi Jinping, qualificou a situação como grave e disse que o governo está fazendo esforços para restringir viagens e aglomerações, enquanto despacha equipes médicas para Wuhan, a cidade onde o surto começou. Na segunda-feira, a contagem de mortes subiu para 80, das 26 vistas no fechamento das bolsas americanas na sexta-feira e o número de infectados se aproximou de 3.000, ante 830 casos confirmados. Nos EUA, existem agora cinco casos confirmados, com relatos de infecções em outros países, como França e Japão.

Enquanto isso, os Estados Unidos aguardam por mais clareza da UE sobre os planos de um imposto sobre o carbono. O secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, disse que os EUA protestará se o novo imposto fosse considerado protecionista.

Os investidores acompanham mais uma semana de balanços, com quase metade dos 30 componentes da Dow devendo resultados, incluindo a Apple e a Microsoft, juntamente com outras empresas não pertencentes à Dow, como o Facebook e Amazon.

Arconic, DR Horton, F5 e Whirlpool devem informar seus números antes do sino de abertura.

Na agenda econômica, está prevista a divulgação das vendas de casas novas às 12h00 e os números de manufatura do Fed de Dallas às 12h30.

ÍNDICES FUTUROS – 7h30:

Dow: -1,43%

SP500: -1,45%

NASDAQ: -1,91%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário