BoE anuncia medidas, mas volatilidade nos mercados mundiais persistem.

LinkedIn

ÁSIA: Os principais mercados da Ásia-Pacífico caíram na quarta-feira, enquanto os investidores continuavam observando a evolução dos estímulos do governo, com o coronavírus continuando a se espalhar.

O ASX 200 da Austrália caiu 3,6%, fechando em 5.725,90 pontos, com o índice entrando em “bear market”, ou seja, ficou abaixo de 20% em relação à sua alta de 52 semanas. Entre as mineradoras, BHP caiu 0,9%, Rio Tinto recuou 0,9% e a produtora de petróleo Woodside Petroleum recuou 3,7%.

As ações da Qantas Airways caíram 9,21% na quarta-feira, depois que a empresa anunciou na terça-feira “novos cortes” em seus vôos internacionais, com a sua capacidade sendo reduzida em “quase um quarto pelos próximos seis meses”. A companhia aérea disse que os cortes ocorreram após “uma queda repentina e significativa na demanda de viagens futuras” à medida que o coronavírus se espalha pela Europa e América do Norte.

As ações sul-coreanas também estavam entre as maiores perdedoras entre os principais mercados da região. O Kospi caindo 2,78%, enquanto o índice Kosdaq caiu 3,93%.

No Japão, o Nikkei caiu 2,27%, enquanto o índice Topix caiu 1,53%.

Na China continental, o dia também foi de baixa. O composto de Xangai recuou 0,94%, enquanto o composto de Shenzhen caiu 1,48%.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng caiu 0,63%.

No geral, o índice MSCI Ásia ex-Japão caiu 1,14%.

As preocupações em torno do surto global de coronavírus fez com que os mercados aumentassem a volatilidade nos últimos dias. A doença já atingiu pelo menos 113.851 pessoas e levou mais de 4.000 vidas até agora, segundo os últimos dados da Organização Mundial da Saúde.

Enquanto isso, os investidores buscam medidas de estímulo dos governos para combater o impacto do coronavírus. O governo da Austrália anunciou na quarta-feira um pacote para a área de saúde de 2,4 bilhões de dólares australianos (aproximadamente US $ 1,56 bilhão) que, segundo ele, forneceria ”apoio sem precedentes em cuidados primários, idosos, hospitais, pesquisa e o estoque médico nacional”.

Enquanto isso, um funcionário da Casa Branca disse que o presidente dos EUA, Donald Trump, quer isentar imposto sobre salários para empregadores e funcionários pelo resto do ano, durante uma reunião com legisladores republicanos no Capitólio nesta terça-feira. O Japão também divulgou um pacote no valor de US $ 4 bilhões na terça-feira para lidar com o surto de coronavírus, segundo a Reuters.

EUROPA: Os mercados europeus avançam na quarta-feira de manhã, enquanto os investidores continuam acompanhando a disseminação do coronavírus, os preços do petróleo e questões geopolíticas.

O pan-europeu Stoxx 600 sobe 1,64% no pregão da manhã, as ações de bancos liderando os ganhos. DAX 30 da Alemanha sobe 1,55%, FTSE 100 do Reino Unido avança 0,44% e CAC 40 da França sobe 1,44%. O FTSE MIB da Itália sobe 1,10%.

O Banco da Inglaterra (BOE)  anunciou nesta quarta-feira de manhã de maneira inesperada, um corte emergencial nas taxas de juros, numa tentativa de limitar o impacto econômico do coronavírus. O banco central reduziu sua taxa de juros de 0,75% para 0,25% e anunciou um novo esquema de financiamento a prazo para apoiar pequenas e médias empresas, além de medidas para ajudar os bancos a emprestarem mais.

As mineradoras registram volatilidade em Londres, Anglo American subia 1,2% mas devolve parte da alta, agora em 0,6%, Antofagasta e BHP subiam 1,7% cada e agora a primeira avança 0,9% e a segunda sobe 0,7%, enquanto Rio Tinto sobe 2,6%.

Os preços do petróleo recuam na quarta-feira, após subir na sessão anterior, reforçados pelas esperanças de que os produtores americanos cortem a produção depois que o grupo OPEP e seus aliados (OPEP+) liderados pela Rússia não concordaram em prolongar ou reduzir a produção na semana passada.

EUA: Os mercados futuros de ações dos EUA operam em queda acentuada nesta manhã de quarta-feira, apontando para outra sessão volátil em Wall Street.

As quedas nos contratos futuros ocorrem depois que os principais índices recuperaram uma parte de suas recentes perdas na terça-feira. O Dow avançou mais de 1.100 pontos, enquanto o S&P 500 teve seu melhor desempenho diário desde 26 de dezembro de 2018.

Os investidores continuam monitorando o impacto do coronavírus em todas as principais economias. Analistas também analisam as respostas fiscais e monetárias. O presidente Donald Trump sugeriu na terça-feira uma taxa de imposto sobre salários de 0% que pode durar até o final do ano.

O número de casos de coronavírus no mundo totaliza mais de 100.000, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins. Somente nos EUA, mais de 1.000 casos já foram confirmados.

Na agenda econômica, haverá a divulgação da inflação ao consumidor às 9h30 da manhã e os números do orçamento federal, às 15h00.

Não há relatórios de ganhos corporativos importantes programados para esta quarta-feira.

ÍNDICES FUTUROS – 7h30:
Dow: -2,05%
SP500: -2,18%
NASDAQ: -1,88%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário