Mercado acalma após pânico na sessão anterior

LinkedIn

ÁSIA: As bolsas de valores asiáticas tomaram fôlego com os recentes declínios na terça-feira,  após recente liquidação mundial.

No Japão, o Nikkei se recuperou da forte queda anterior, fechando em alta 0,85%, enquanto o índice Topix subiu 1,28%. Os dois índices haviam declinado mais de 3% no início da sessão de terça-feira.

Na China continental, o dia também foi de alta, com o composto de Xangai subindo 1,82%, para 2.996,76 pontos, enquanto o composto de Shenzhen subiu 2,42%.

O índice Hang Seng em Hong Kong saltou 1,59% a partir de sua hora final de negociação, com as ações dos gigantes chineses da tecnologia Tencent e Alibaba aumentando 2,6% e 3,36%, respectivamente.

Enquanto isso, o ASX 200 da Austrália subiu 3,11%, fechando em 5.939,60 pontos. No início da sessão, o benchmark havia caído para o território chamado “bear market”, definido como uma queda de mais de 20% ante suas máximas de 52 semanas. As mineradoras tiveram um dia de recuperação. BHP subiu 3,7%, Fortescue Metals avançou 5,6% e Rio Tinto avançou 3,5%.

O Kospi da Coreia do Sul encerrou o pregão em alta de 0,42%, em 1.962,93 pontos.

No geral, o índice MSCI Asia ex-Japan foi 1,29% maior.

Os investidores continuaram observando a evolução da disseminação global do coronavírus, bem como a guerra de preços do petróleo que foi desencadeada após a OPEP e seus aliados não conseguirem chegar a um acordo sobre cortes de produção, enquanto a Arábia Saudita anunciou grandes descontos nos preços de  suas venda oficiais para abril.

Em resposta ao surto global de coronavírus, o grupo das sete nações devem anunciar medidas de estímulo. O ministro das Finanças do Japão, Taro Aso, disse que o governo do país deve apresentar um segundo pacote de medidas na terça-feira para combater o surto de coronavírus, informou a Reuters.

O presidente dos EUA, Donald Trump, também anunciou na segunda-feira que se reunirá com o Senado e com os republicanos na terça-feira para discutir uma ”possível medida de redução de impostos” em resposta ao surto de coronavírus nos Estados Unidos.

Na tarde do pregão asiático de terça-feira, os futuros do petróleo Brent subiram 7,68%, para US $ 37 por barril, enquanto  os futuros de petróleo bruto WTI subiram 7,65%, para US $ 33,51 por barril.

Os preços do petróleo tiveram o pior dia desde 1991 na segunda-feira, com o Brent caindo 24%, para US $ 34,44 por barril. O WTI caiu 24%, para US $ 31,13 por barril.

EUROPA: Os mercados europeus avançam nesta terça-feira, depois que os mercados em todo o mundo afundaram na segunda-feira, com investidores globais se preparando para a disseminação do coronavírus e queda dos preços do petróleo após o colapso das negociações da OPEP.

O pan-europeu Stoxx 600 salta 3,7% no meio da manhã, com ações de petróleo e gás e recursos básicos liderando a recuperação.

Entre as mineradoras listadas em Londres, Anglo American sobe 6,4%, Antofagasta sobe 5,8%, BHP sobe 6%e Rio Tinto avança 6,6%.

As atenções permanecem na Itália, onde o governo agora estendeu suas medidas de quarentena para todo o país em meio ao pior surto de coronavírus fora da Ásia. O primeiro-ministro Giuseppe Conte disse na segunda-feira que a população da Itália, que totaliza cerca de 60 milhões, não deve viajar, exceto por conta de trabalho ou emergências.

Entre outras notícias, os preços do petróleo subiram durante o horário comercial asiático, após a queda de mais de 20% de segunda-feira, quando o petróleo bruto Brent e WTI registrarem seus piores declínios desde 1991.

EUA: Os futuros de ações avançam na manhã de terça-feira, após o presidente Donald Trump dizer que vai pedir ao Congresso “um possível corte nos impostos sobre os salários”, numa tentativa de acalmar os receios nos mercados financeiros sobre o impacto da epidemia de Covid-19.  Os possíveis incentivos fiscais será além do pacote de gastos de US $ 8,3 bilhões que Trump assinou no mês passado.

O mercado sofreu uma liquidação histórica na sessão anterior, com o Dow e o S&P 500 caindo 7,8% e 7,6, respectivamente, ambos com o pior desempenho diário desde 2008. A queda de 2.013 pontos do Dow também foi a maior queda em pontos do índice em todos os tempos.

Com a queda de segunda-feira, o S&P 500 está 19% abaixo da máxima intra-diária de 3.393,52 pontos de 19 de fevereiro. O índice entraria em território de mercado de baixa se cair 20% ou mais ante seu pico de 52 semanas.

Enquanto isso, os preços do petróleo tiveram alguma pausa na terça-feira. Is contratos futuros do petróleo WTI sobem 10,16%. Os contratos futuros do Brent aumentam 9,9%.

Isso ocorreu depois de uma guerra de preços do petróleo que abalou os mercados já preocupados com as conseqüências econômicas do rápido crescimento do coronavírus. O petróleo registrou seu pior dia desde 1991, com o WTI caindo mais de 24% na segunda-feira, depois que a  Arábia Saudita cortou os preços de venda do petróleo em abril, após o colapso das negociações da OPEP.

Não balanços corporativos importantes programados para terça-feira.

ÍNDICES FUTUROS – 8h00:
Dow: +4,17%
SP500: +4,63%
NASDAQ: +4,41%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Comentários

  1. Ronald diz:

    É a melhora da morte !!!!!

Deixe um comentário