Mercados mundiais recuam, aguardando dados de desemprego dos EUA

LinkedIn

ÁSIA: A maioria dos principais mercados de ações na Ásia fechou em queda nesta quinta-feira, enquanto os investidores aguardavam a divulgação dos dados de seguro desemprego dos EUA.

As ações no Japão lideraram perdas entre os principais mercados da região. O Nikkei caiu 4,51%, fechando em 18.664,60 pontos, enquanto o índice Topix caiu 1,78%. A gigante varejista Fast Retailing despencou 13,16%,

Na China continental, o composto de Xangai fechou 0,60% menor, em 2.764,91 pontos e o composto de Shenzhen caiu 0,80%.

O índice Hang Seng de Hong Kong  caiu 0,74%, enquanto o Kospi da Coreia do Sul encerrou o pregão em baixa de 1,09%, a 1.686,24 pontos.

O S & P / ASX 200 da Austrália subiu 2,3%, fechando em 5.113,30 pontos. Entre as produtoras de commodities, BHP subiu 0,7%, Fortescue Metals avançou 3,9%, Rio Tinto fechou em alta de 6,1% e a produtora de petróleo Woodside Petroleum subiu 5,2%.

No Sudeste Asiático, o índice de referência de Jacarta, Indonésia, disparou 9,6%, mas o Straits Times de Singapura caiu 1,34% depois de uma previsão do governo de que a economia encolherá 10,6% no trimestre atual em comparação com os três meses que terminam em dezembro. Singapura está preparando seu segundo pacote de estímulo à medida que mais empresas são fechadas e mais controles sobre a atividade pública são reforçados.

As ações de fornecedores da Apple na Ásia sofreram depois que as ações da gigante de tecnologia de Cupertino caíram nos EUA, após um relatório da Nikkei Asian Review considerar o adiamento do lançamento anual do iPhone por meses. No Japão, as ações da Taiyo Yuden caíram 3,75%, enquanto Murata Manufacturing caiu 4,97%. Em Taiwan, Hon Hai Precision Industry (também conhecida como Foxconn) caiu 0,56%. As ações da AAC Technologies listadas em Hong Kong subiram 5,47%.

EUROPA: Os mercados europeus segundo seus pares asiátios, recuam na quinta-feira, aguardando a divulgação dos dados de reivindicações de seguro desemprego nos EUA.

Após subir 11,75% nos últimos dois dias de negociação, o maior movimento desde 14 de outubro de 2008, o Stoxx Europe 600 cai mais de 2% na sessão da manhã, com ações de petróleo e gás e recursos básicos liderando a perdas. DAX 30 da Alemanha cai 2,11%, FTSE 100 do Reino Unido recua 1,81% e CAC 40 da França perde 1,57%.

Em Londres, Anglo American cai 2,7%, BHP tomba 5,4%, Rio Tinto recua 4,2%, enquanto as produtoras de petróleo Royal Dutch Shell e BP caem 5,9% e 2,9%, respectivamente.

Os líderes da UE realizarão uma reunião virtual para discutir sua resposta ao surto de coronavírus em meio a algumas críticas sobre a falta de resposta coordenada frente à crise. A região problemática da Lombardia na Itália, viram um crescimento de novos casos. Itália e Espanha são os países mais atingidos na Europa, com o número de mortos em cada país na casa de 7.000 e 3.500, respectivamente.

De acordo com o Deutsche Bank, a Itália e EUA podem superar a China no total de casos de coronavírus até o final de semana. O número de mortos nos EUA já ultrapassou 1.000.

EUA: Os futuros de ações dos EUA caem no início da manhã de quinta-feira, com os investidores aguardando os dados semanais de reivindicações de seguro desemprego que sairá às 9h30 da manhã (horário de Brasilia).

Economistas estão projetando números recordes. O Citi é o mais pessimista, com estimativas de aproximadamente 4 milhões de solicitações na semana que finda em 21 de março. A estimativa do Dow Jones está em 1,5 milhão de reclamações. Na quarta-feira, o governador da Califórnia, Gavin Newsom, disse que apenas o estado registrou 1 milhão de pedidos de desemprego em menos de duas semanas, devido à pandemia que levou empresas a serem fechadas em todo o estado.

O Dow subiu mais de 13% nos dois últimos dias, antecipando ao estímulo do governo. Na quarta-feira, o Dow subiu mais de 2%, ou 495,64 pontos, fechando em 21.200.55 pontos. A Boeing e a Nike sustentaram o índice de 30 ações, disparando 24% e 9%, respectivamente. O S&P 500 também registrou ganhos ao subir 1,1%. O Nasdaq Composite caiu 0,5%, com o  Facebook, Amazon, Apple, Netflix e Alphabeth, dona do Google fechando em baixa.

Em um período de extrema volatilidade para o mercado, foi a primeira vez que os índices conseguiram registrar ganhos consecutivos desde fevereiro. Apesar dos ganhos, os principais índices ainda tem muito o que compensar antes de voltar ao recorde. O S&P 500 está 27% abaixo da máxima histórica de fevereiro, enquanto o Dow está negociando 28,3% abaixo do seu recorde.

O Senado apressou e aprovou nesta madrugada o projeto o pacote de ajuda econômica de US $ 2 trilhões na quarta-feira por unanimidade, visando amortecer as consequências do surto de coronavírus. O projeto de lei de estímulo agora segue para a Câmara, que será pressionado a aprová-lo na sexta-feira de manhã, já que a maioria dos representantes está fora de Washington. A pressa se deve porque dados de hoje devem mostrar um aumento substancial nas solicitações de seguro desemprego depois que as empresas fecharam para tentar diminuir a propagação do surto

O Federal Reserve também interveio em um esforço para fortalecer a economia, com o surto de coronavírus e a subsequente desaceleração dos negócios continuando a causar estragos nos mercados globais. Entre outras medidas, o banco central reduziu as taxas de juros para quase zero e anunciou um programa de flexibilização quantitativa ilimitada e sem precedentes.

O ex-presidente do Fed Ben Bernanke disse na quarta-feira que o atual presidente Powell tem sido “extremamente pró-ativo”, ao mesmo tempo em que observa que os mercados ainda podem sofrer quedas mais acentuadas pela frente. ″É possível que ocorra uma recessão muito acentuada, curta, espero, no próximo trimestre, porque tudo está parando, mas ele expressou otimismo, dizendo que também poderia haver uma “recuperação bastante rápida”.

Segundo a Universidade Johns Hopkins, o número de casos do Covid-19 nos EUA subiu para mais de 55 mil na noite de ontem, com 1.041 mortes, sendo apenas superado pela Itália e a China.

Ao mesmo tempo que será sairá os pedidos de seguro desemprego, será divulgado o PIB americano.

ÍNDICES FUTUROS – 7h55:
Dow: -0,71%
SP500: -1,19%
NASDAQ: -0,08%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário