Mercados avançam na esperança de que casos de Covid-19 estejam desacelerando

LinkedIn

ÁSIA: As bolsas na região Ásia-Pacífico subiram nesta segunda-feira, na esperança de que a batalha contra a pandemia de coronavírus possa estar tendo progressos em algumas áreas bastante atingidas. Embora “ainda haja incertezas”, parece haver sinais de que o vírus possa estar diminuindo em alguns lugares, alimentando “o otimismo de que os bloqueios talvez não precisem persistir por um período prolongado”, disse um analista.

Relatórios mostraram que o número mortos parecem estar diminuindo em regiões críticas, como na cidade de Nova York, na Espanha e Itália.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, deve anunciar estado de emergência na terça-feira, para conter ainda mais a atividade pública e consequentemente conter o surto. Foi relatado também que o governo da Tailândia estava considerando expandir seu toque de recolher das 22h às 18h.

No Japão, o Nikkei subiu 4,24%, liderando os ganhos regionais, enquanto o índice Topix, mais amplo, avançou 3,86%.

Na Austrália, o  S & P / ASX 200 fechou em alta de 4,33%, em 5.286,80 pontos, enquanto as ações dos principais bancos do país registraram ganhos de mais de 3,5% cada. Entre as mineradoras, BHP subiu 5,2% e Rio Tinto avançou 2,2%. A produtora de petróleo Woodside Petroleum avançou 6,4%.

O Kospi da Coreia do Sul avançou 3,85%, fechando em 1.791,88 pontos. O índice Hang Seng de Hong Kong subiu 2,21%.

No geral, o índice MSCI Asia ex-Japan fechou em alta de 1,99%.

Os mercados da China permaneceram fechados na segunda-feira por conta de um feriado.

Os investidores continuam monitorando a evolução da pandemia global do novo coronavírus. Globalmente, mais de 1,2 milhão foram infectados e pelo menos 65.711 perderam as suas vidas por conta do vírus, segundo dados compilados pela John Hopkins University.

Os investidores também permaneceram focados nos preços do petróleo, que reduziram suas perdas na tarde do pregão asiático, depois que o CEO do fundo soberano russo RDIF disse que Moscou e Riad estão “muito perto” de um acordo de petróleo.

Os contratos futuros do Brent, de referência internacional, caíram 1,35%, para US $ 33,65 por barril, após terem operado no positivo no início da sessão. Os contratos futuros do petróleo dos EUA caíram 1,83%, para US $ 27,82 por barril.

No início da sessão, os contratos futuros de petróleo haviam caído 9% depois que uma reunião programada entre a OPEP e seus aliados,  coletivamente denominada OPEP +, foi adiada, aumentando o receio de que um corte na produção pudesse enfrentar desafios.

Na semana passada, o futuro do petróleo Brent e WTI dos EUA registraram suas melhores semanas, após a Arábia Saudita convocar uma reunião da OPEP+, sinalizando que poderia haver progresso em um corte na produção. Mas as tensões entre a Arábia Saudita e a Rússia aumentaram na sexta-feira e agora a reunião “provavelmente” será realizada na quinta-feira, segundo fontes familiarizadas com o assunto.

A reunião da organização em março terminou sem acordo, depois que a Rússia rejeitou o corte proposto por Riad, que havia sido feito em uma tentativa de sustentar a queda nos preços do petróleo à medida que o surto de coronavírus minava a demanda. Isso deu início a uma guerra de preços sem procedentes entre os dois produtores.

EUROPA: As bolsas europeias operam em alta nesta segunda-feira, sob sinais de que a disseminação do coronavírus possa estar diminuindo, confirmando que as medidas do confinamento está funcionando.

A Itália, que foi o epicentro da pandemia da Europa, antes que a Espanha a superasse em termos de número de casos, registrou o menor número diário de mortes por COVID-19 em mais de duas semanas no domingo, informou a Reuters. A Alemanha registrou uma desaceleração na taxa de novos casos no domingo pelo terceiro dia consecutivo, enquanto na Espanha, a taxa de novas infecções e mortes continuou a diminuir; O aumento no número de mortes no domingo representou um aumento de 6% no total de mortes, cerca de metade da taxa relatada há uma semana.

“Os dados desta semana e hoje confirmam a desaceleração das infecções”, disse o ministro da Saúde da Espanha, Salvador Illa, em entrevista coletiva, informou a Reuters.

O Stoxx Europe 600 avança 2,88%, após cair 0,6% na semana passada.

O alemão DAX 30 sobe 4,368%, enquanto os ganhos também foram observados no francês CAC 40 e FTSE 100 do Reino Unido, que avançam 3,66% e 2,13%, respectivamente.

Em Londres, Anglo American sobe 4,5%, BHP sobe 2,7%, Rio Tinto avança 0,4%, enquanto a produtora chilena de cobre, Antofagasta cai 1,3%. Entre as produtoras de petróleo, BP cai 1,6% e Royal Dutch Shell cai 0,7%.

Enquanto isso, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, foi internado em um hospital para exames no domingo, 10 dias após  contrair o coronavírus e pressionou a libra esterlina. Um porta-voz de Downing Street disse que foi um a“medida de precaução”, já que o primeiro-ministro continua apresentando sintomas persistentes do vírus.

EUA: Os mercados futuros dos índices de ações dos EUA operam em alta na manhã de segunda-feira, com a redução das taxas de mortalidade na Europa subsidiando esperanças nos mercados internacionais, apontando para uma forte recuperação no começo da semana.

O otimismo foi impulsionado por vários motivos: enquanto a Casa Branca reconheceu que esta semana pode estar entre os mais difíceis para regiões críticas de coronavírus como Nova York, o governo manteve um tom mais otimista em uma entrevista coletiva no domingo, observando sinais de estabilização nas taxas hospitalares. A redução das taxas de mortalidade na Europa também ofereceu esperança de que os EUA também estivessem chegando ao seu pico em breve e de que medidas de distanciamento social estivessem funcionando.
O petróleo reduziu suas perdas depois que o chefe do fundo soberano da Rússia disse que a Rússia e a Arábia Saudita estavam muito perto de um acordo sobre perdas de produção. O petróleo dos EUA ainda registra queda de 4%, mas menos que as perdas registradas nas negociações da noite, diminuindo as preocupações de que o mercado de petróleo desestabilizasse ainda mais a economia global.

Os EUA registram mais de 330.000, de longe, o país com mais casos e com 9.638 mortos. No sábado, o presidente dos EUA, Donald Trump, alertou: “haverá muita morte”, observando que os EUA enfrentará a “semana mais difícil” na luta contra o vírus.

Na semana passada, os principais índices registraram seu terceiro declínio semanal em quatro semanas. O Dow caiu 2,7%, enquanto o S&P 500 perdeu 2,1%. O Nasdaq Composite fechou na semana passada com queda de 1,7%. As preocupações com o surto de coronavírus praticamente paralisaram a economia global e atenuaram o sentimento em relação aos lucros das empresas.

Não há divulgação de balanços corporativos ou liberações de dados econômicos relevantes a serem observados na segunda-feira.

ÍNDICES FUTUROS – 7h40:
Dow: +3,65%
SP500: +3,69%
NASDAQ: +3,74%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário