Gol (GOLL4) 1T20: Prejuízo Líquido de R$ 2,2 bilhões; Resultados não auditados

LinkedIn

A Gol Linhas Aéreas Inteligentes adiou a divulgação do balanço do primeiro trimestre de 2020, que estava programada para esta segunda-feira (4), para o dia 15 de maio. A companhia informou também que divulgou hoje apenas os resultados não auditados após pedido de maior prazo dos auditores independentes.

A Gol reportou prejuízo líquido de 2,261 bilhões de reais no primeiro trimestre (1T20). O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) foi de 1,4 bilhão de reais e margem EBTIDA foi de 45,7%, um aumento de 16,1 pontos percentuais em relação ao 1T19.

O Lucro por ação diluído foi de R$0,44 e o lucro por ADS diluído foi de US$0,20.

A liquidez total foi de R$4,2 bilhões após pagamento de R$1,2 bilhão de principal, juros e arrendamentos.

A empresa de companhia aérea, com valor de mercado hoje de 38,8 bilhões, é negociada na B3 através do papel: (BOV:GOLL4).

Gol teve lucro ajustado por resultados não recorrentes, ganhos e perdas nos Exchangeable Notes e variação cambial de R$ 173,2 milhões no primeiro trimestre, alta de 76% na base de comparação anual.  Isso porque o resultado ajustado exclui a variação cambial e monetária negativa de R$ 2,53 bilhões, resultados não recorrentes de R$ 87,5 milhões de receita e despesa de R$ 17,9 milhões relacionados aos resultados não realizados do Exchangeable Notes e capped calls.

A receita operacional líquida da Gol atingiu R$ 3,15 bilhões entre janeiro e março, 2% inferior à de igual período do ano passado. A receita de passageiros teve baixa de 3%, a R$ 2,94 bilhões. Já a receita com transporte de cargas e outros serviços, por sua vez, subiu 16,4%, totalizando R$ 206,4 milhões.

As despesas  e custos operacionais diminuíram  para 67,4%. Em 2019, no mesmo período, esse valor atingiu 84,2%.

A GOL registrou forte geração de caixa operacional (R$1,1 bilhão), com margem de fluxo de caixa operacional de 35,6%, uma melhora de 27,7 % na comparação trimestral e amortizou R$1,2 bilhão de principal e juros de dívidas e arrendamentos no trimestre, incluindo o pagamento antecipado de R$426,6 milhões de Senior Notes. A liquidez total foi de R$4,2 bilhões, composta por R$3,0 bilhões em caixa e aplicações e R$1,2 bilhão em recebíveis.

A dívida líquida no trimestre equivaleu a 2,4 vezes o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês), ficando em linha com o nível de endividamento apurado no fim de 2019.

+ Confira o calendário de divulgação de resultados do 1T20 das empresas listadas na Bolsa de Valores.

Efeito Coronavírus e Teleconferência 1T20

“Temos experiência em navegar em tempos de estresse” , comentou Paulo Kakinoff, Diretor-Presidente da GOL. “Esse foi um diferencial competitivo da GOL, e agimos rapidamente para nos adaptar ainda quando o impacto da COVID-19 não era tão evidente”.

Em decorrência da pandemia da Covid-19, o trimestre que caminhava para resultados recordes até meados de março se deteriorou com rapidez devido a um cenário sem precedentes na indústria. Em 16 de março, a GOL iniciou a redução da sua capacidade em 50 a 60% no mercado doméstico, e em 90 a 95% no internacional.

Essa foi uma decisão prudente que refletiu a mudança na demanda dos Clientes, e seguiu as ações de muitas outras companhias aéreas em diversos países. Em 24 de março, em apoio às ações do Governo brasileiro para impedir a disseminação da COVID-19, que desde meados de mês inclui restrições à grande parte do tráfego aéreo nacional, a Companhia reajustou sua rede de 800 voos por dia para 50 voos diários essenciais entre o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, e todas as 26 capitais estaduais e Brasília.

Gol suspende negociação com Smiles

A Gol informou hoje, em vídeo publicado em seu site, que suspendeu as negociações com acionistas minoritários da Smiles para incorporação da empresa de fidelidade para preservar caixa.

“Em meio aos acontecimentos extraordinários ocorridos nos últimos meses, que compreendem o surto da covid-19, a redução repentina dos preços de petróleo e a consequente escalada do dólar americano frente ao real, a companhia entendeu que não era o momento adequado para a operação da Smiles, dadas as incertezas, além da necessidade de manter liquidez para nossas operações”, afirmou o presidente da Gol, Paulo Kakinoff, no vídeo.

Em março, a Gol anunciou o cancelamento do plano de reorganização societária da controlada Smiles. Com isso, a empresa espera manter uma liquidez de cerca de R$ 1,5 bilhão de caixa.

Dívidas de mais de R$ 1,5 bilhão

Gol tem a pagar neste ano dívidas de mais de R$ 1,5 bilhão, informou em vídeo o vice-presidente financeiro da companhia aérea, Richard Lark.

O executivo citou como dívidas relevantes que vencem no ano o pagamento, em agosto, de um financiamento internacional de longo prazo de US$ 300 milhões. Em setembro, vence o prazo para pagamento de R$ 150 milhões em debêntures emitidas pelo Banco do Brasil e Bradesco.

O executivo observou que, no primeiro trimestre, a Gol amortizou R$ 1,2 bilhão em dívidas, sendo R$ 924 milhões em pagamento de empréstimos e arrendamentos e R$ 234 milhões em pagamentos de juros.

A Gol suspendeu o pagamento de taxas de navegação e taxas de aeroportos públicos, prorrogou prazos de pagamento de manutenção de motores, rolou vencimentos de empréstimos bancários, entre outras medidas. As iniciativas, segundo Lark, vão gerar economia de mais de R$ 2 bilhões.

Como foi o desempenho das ações

Em 2020, o papel oscilou entre a mínima de R$ 4,81 e R$ 44,62 na máxima. Até o momento, a empresa desvalorizou 66,36% e foi uma das mais afetadas pela pandemia do coronavírus.
Nos últimos 5 anos, o papel atingiu a mínima de 1,13 e a máxima de R$ 44,62 com preço médio de R$ 15,76.
A empresa não pagou dividendos nos últimos anos.

Visão do mercado

BTG Pactual

O BTG Pactual acredita que a companhia aérea vem tomando todas as medidas necessárias para manter uma posição saudável no balanço e preservar a lucratividade futura, ajustando a capacidade, com corte de custos e redução dos voos. O banco avalia que o acordo com a Boeing relacionado ao 737 MAX também trouxe alívio para o caixa da empresa

“O modelo de frota única e a menor exposição aos mercados internacionais, que deve se recuperar mais lentamente, são benéficos para a Gol, independentemente da forma que o setor de aviação opere no segundo semestre”, diz Lucas Marquiori, do BTG.

O BTG Pactual mantém recomendação de compra.

BB Investimentos

O BB Investimento destaca negativamente as despesas cambiais mas enxerga estratégia de sobrevivência visando a preservação do caixa.

“Serão trimestres difíceis pela frente. Como a Gol já mostrou êxito na estratégia de recuperação de margens e fortalecimento de sua estrutura de liquidez desde a última crise em 2015, estamos confiantes na recuperação da companhia nessa nova crise”, avalia Renato Hallgren, da Equity Research do BB Investimentos.

BB investimentos mantém recomendação Market Perform com preço-alvo de R$ 20,00 em 2020.

Xp Investimentos 

“Reportou resultados ligeiramente acima das nossas expectativas no 1T20. Em geral os resultados do 1T20 já refletem em parte os impactos referentes à redução da demanda e políticas mais restritivas de distanciamento social, bem como um câmbio desvalorizado. Acreditamos que o foco daqui para frente estará no gerenciamento da liquidez da companhia, bem como no fluxo de notícias relacionado à linha de crédito do BNDES e na evolução das políticas de distanciamento social no Brasil” avaliou a XP.

Quem é a Gol

A Gol uma das maiores empresas aéreas comercial do setor de aviação brasileiro e detém a maior malha de transporte do país.

A companhia está listada no Nível 2 de governança e apresenta 100% de Tag Along com Free Float de 48,18% no papel GOLL4.

 

Ativos Reais que rendem de 15% a 20%. Até agora, essas chances eram restritas a investidores milionários e institucionais.

Deixe um comentário