Bom dia ADVFN - Volta do feriado tem projeção de abertura difícil para o Ibovespa

LinkedIn
Esse é o Bom dia, Investidor! 12 de junho de 2020, com tudo o que você precisa saber antes da Bolsa abrir!

É quase impossível que o índice futuro do Ibovespa não abra no vermelho profundo, tentando ajustar as perdas vistas pelas ações brasileiras ontem em Nova Iorque, enquanto a B3 permanecia fechada.

Após uma quinta-feira de forte correção nos mercados globais, as ações europeias sobem junto aos futuros de ações nos EUA nesta manhã de sexta-feira. As fortes quedas da véspera surgiram devido a crescente preocupações com a segunda onda de infecções por coronavírus e a perspectiva de uma recuperação econômica mais prolongada em decorrência disso.

O temor dos investidores é que ocorra uma nova onda de contaminação do coronavírus no momento em que as principais economias ainda não se recuperaram das medidas de isolamento social impostas pelo vírus e que começaram a ser adotadas, em maior grau, a partir de março.

Um exemplo do caminho a trilhar até uma recuperação é o PIB do Reino Unido divulgado nesta quinta-feira. A contração do PIB foi de 20,4% em abril na comparação com março, a maior já registrada no comparativo mensal.

E embora as principais economias do mundo estejam tomando medidas para flexibilizar o isolamento social, o vírus segue avançando. O novo coronavírus já contaminou 7,6 milhões de pessoas e causou 424 mil mortes em todo o mundo.

Na Ásia, o índice Sanghai SE ficou praticamente estável, com pequena variação negativa de 0,04% e o Hang Seng Index, de Hong Kong, recuou 0,73%. Já o Nikkei 225, de Tóquio, registrou variação negativa de 0,75%.

O WTI (NYMEX:CL\N20) está sendo negociado a US$ 36,34, com alta de 0,4%. Os futuros internacionais de petróleo Brent (NYMEX:BZ\Q20) também operam em alta de 0,8%, negociado a US$ 38,65.
Bitcoin é negociado com alta de 1,97%, a US$ 9.463 e o ouro tem leve alta de 0,2%, negociado a US$ 1.734.

Coronavírus

O Brasil ultrapassou as 40 mil mortes, segundo atualização do Ministério da Saúde divulgada no início da noite de ontem (11). O balanço apontou 1.240 novas mortes e 30.412 novos casos de covid-19 nas últimas 24h. Com esses acréscimos às estatísticas, o país chegou a 40.919 falecimentos em função da pandemia do novo coronavírus e 802.828 pessoas infectadas. O país conta ainda com 416.314 pessoas em observação e 345.595 estão recuperados.

O mundo registra 7.531.872 de casos de coronavírus e 421.801 mortes, confirmadas hoje pela Universidade Johns Hopkins.

Brasil

Vale a pena ficar de olho na reação do investidor à volta do presidencialismo de coalizão, com a recriação do Ministério das Comunicações e entrega do comando a um parlamentar do centro político.

Com a missão de pacificar a conturbada relação entre Congresso e Planalto, o presidente Bolsonaro nomeou o deputado federal Fábio Faria como titular da pasta. Faria tem um bom histórico de intermediar crises e possui boa interlocução não apenas no parlamento, como também entre os ministros do STF, além de ter amizade com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

Outra mudança parece estar sendo preparada: o presidente pode separar o ministério da segurança pública da pasta da justiça, colocando como ministro Alexandre Ramagem, recentemente impedido pelo STF de assumir o comando da PF, mas ainda não há uma confirmação oficial, nem mesmo uma data estipulada para a mudança.

As páginas policiais voltaram a ganhar espaço na política brasileira: a pedido do MP de São Paulo, a justiça quebrou o sigilo do escritório de advocacia do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles e de sua mãe, que é sócia no escritório, em investigação que apura suposto enriquecimento ilícito.

Ibovespa e dólar de ontem

A B3 esteve fechada por causa do feriado. O índice S&P500 desabou quase 6%, ficando pertinho do limite de oscilação de 7% que desencadearia uma pausa obrigatória nos negócios. Papéis de companhias aéreas, de cruzeiros e de turismo sentiram de novo o peso do temor de novas infecções.

O EWZ, principal fundo de índice do Brasil, desabou 7,84%, acelerando a queda à tarde, quando os EUA informaram que os novos casos de covid-19 voltaram a subir em vários estados americanos. Destaque foi o tombo de quase 22% da Azul.

Com o dólar se fortalecendo mundo afora, o câmbio por aqui demanda atenção redobrada do investidor.

Agenda Econômica

No exterior, o calendário norte-americano traz os preços de importação e de exportação em maio (9h30), além da versão preliminar deste mês do índice de confiança do consumidor (11h).
A sexta-feira espremida entre o feriado ontem no Brasil e o fim de semana esvazia a agenda econômica doméstica.

Usuários ADVFN acompanham, gratuitamente e em tempo real, a cotação de todas as ações negociadas na B3 (BOV:IBOV) e em mais de 80 bolsas mundiais através das ferramentas Monitor, Cotação e Gráfico

Deixe um comentário