Confira os Indicadores Econômicos desta sexta-feira (24/07)

LinkedIn

ÁSIA

Na Austrália, a prévia do PMI para os Negócios de Serviços do Commonwealth Bank seguiu em expansão até o dia 20 de julho em 58,5, alta em relação aos 53,1 até 20 de junho. O resultado é o maior desde maio de 2016. A prévia do índice PMI de Fabricação está em 53,4 até 20 de julho, acima de 51,2 até 20 de junho. O resultado é o maior desde abril de 2017. A prévia do PMI de Manufatura estava em 57,9 até 20 de julho, alta ante os 52,7 de 20 de junho.

EUROPA

Na Europa, a atividade comercial na Zona do Euro aumentou pela primeira vez desde fevereiro, de acordo com dados provisórios da pesquisa PMI, crescendo na taxa mais acentuada em pouco mais de dois anos, com as economias continuando a crescer reabrir após bloqueios implementados para impedir a propagação da doença por coronavírus 2019 (COVID19). As expectativas de produção melhoraram, enquanto as novas entradas de pedidos também aumentaram e as perdas de empregos diminuíram, embora com o corte de empregos continuando generalizado, pois muitas empresas continuaram diminuindo a capacidade.

A prévia do PMI Composto da IHS Markit Eurozone subiu ainda mais em julho, ante a mínima histórica de 13,6 vista em abril, passando de 48,5 em junho para 54,8. Essa foi a primeira leitura acima do nível 50,0 desde fevereiro e indicou o maior ganho mensal de produção desde junho de 2018.

O índice de Saída Composto PMI da Zona Euro está em 54,8 para julho, ante os 48,5 em junho, com 25 meses de alta. O índice de Atividade PMI dos Serviços da Zona do Euro está em 55,1 para julho, ante os 48,3 de junho, com 25 meses de alta. O índice de Saída PMI de Produção Industrial da Zona do Euro está em 54,0 para julho, ante os 48,9 de junho, com 23 meses de alta. O índice PMI de Manufatura da Zona Euro está em 51,1 para julho, ante os 47,4 de junho, com alta de 19 meses.

Na França, também na prévia, o índice PMI de Produção Composto está em 57,6 em julho (51,7 em junho), alta de 30 meses. O índice de PMI da Atividade de Serviços está em 57,8 para julho (50,7 em junho), alta de 30 meses. O índice PMI de Saída de Produção Industrial está em 56,9 para julho (56,0 em junho), alta de 29 meses. O índice PMI de Manufatura está em 52,0 para julho (52,3 em junho), baixa de dois meses.

Na Alemanha, o índice PMI de Saída Composto está em 55,5 para julho (junho: 47,0), com 23 meses de alta. O PMI da Atividade de Serviços está em 56,7 para julho (junho: 47,3), com 30 meses de alta. O PMI de Produção Industrial está em 53,2 para julho (junho: 46,6), com 22 meses de alta. O PMI de Manufatura está em 50,0 para julho (junho: 45,2), alta de 19 meses.Os dados são do IH/Markit

No Reino Unido, o índice PMI Composto de Saída está em 57,1 para julho (junho: 47,7), alta de 61 meses. O PMI da Atividade de Negócios de Serviços está em 56,6 para julho (junho:47,1), alta de 60 meses. O PMI de Produção Industrial está em 59,8 para julho (junho: 50,7%), alta de 32 meses. O PMI de Manufatura está em 53,6 para julho (junho:50,1), alta de 16 meses. Os dados são do IHS/Markit.

No Reino Unido, em junho de 2020, o volume de vendas no varejo aumentou 13,9% em comparação com maio de 2020, uma vez que as lojas de produtos não alimentícios e de combustíveis continuam a se recuperar das quedas acentuadas ocorridas desde o início da pandemia de coronavírus (COVID-19). Em junho, enquanto as lojas de produtos não alimentícios e as vendas de combustíveis mostram fortes crescimentos mensais no volume de vendas de 45,5% e 21,5%, respectivamente, os níveis ainda não se recuperaram das quedas acentuadas ocorridas em março e abril.

As lojas de alimentos e o varejo não-loja atingiram novos patamares altos desde o início da pandemia, com o volume de vendas de alimentos 5,3% maior e o varejo não-loja 53,6% superior a fevereiro. Nos três meses até junho, o volume de vendas diminuiu 9,5% quando comparado aos três meses anteriores, com quedas em todos os tipos de lojas, exceto lojas de alimentos e varejo que não são lojas.

A proporção de gastos on-line reduziu para 31,8% em junho, em comparação com o recorde de 33,3% registrado em maio, mas é um aumento considerável em relação aos 20,0% registrados em fevereiro. Os números são do Governo Britânico.

ESTADOS UNIDOS

Nos Estados Unidos, as empresas do setor privado indicaram uma estabilização da atividade comercial no início do terceiro trimestre, com a contração na produção do setor de serviços desacelerando ainda mais e com os fabricantes sinalizando um aumento modesto na produção. No entanto, o crescimento foi impedido pelor declínio de novos pedidos, vinculado, em parte, às medidas de contenção renovadas pela doença de coronavírus.

Ajustado por fatores sazonais, o Índice de Saída PMI Composto da IHS Markit na prévia de julho está em 50,0, ante os 47,9 no final do segundo trimestre, sinalizando uma estabilização na produção do setor privado.

A prévia do índice PMI da Atividade de Negócios dos Serviços está em 49,6 para julho (junho: 47,9), alta de seis meses. O PMI de Manufatura está em 51,3 para julho (junho: 49,8), alta de seis meses. O PMI de Produção Industrial está em 52,1 para julho (junho: 47,5), alta de seis meses.

Nos Estados Unidos, o Census e o Departamento de Habitação e Desenvolvimento Urbano anunciaram conjuntamente as seguintes novas estatísticas de vendas residenciais para junho de 2020:

As vendas de novas casas unifamiliares estavam com uma taxa anual, ajustada sazonalmente, de 776 mil, o que é 13,8% (± 17,8%) acima da taxa revisada de maio de 682 mil e é 6,9% (± 13,7%) acima da estimativa de 726 mil de junho de 2019.

O preço médio de venda das novas casas comercializadas em junho de 2020 estava em US$ 329.200. O preço médio de venda foi de US$ 384.700.

Inventário para venda

A estimativa dessazonalizada de novas casas para venda no final de junho era de 307mil, o que representa uma oferta de 4,7 meses à taxa de vendas atual.

BRASIL

No Brasil, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) apresentou alta de 0,30% em julho, após o resultado de 0,02% registrado em junho. No ano, o IPCA-15 acumula alta de 0,67% e, nos últimos 12 meses, a variação acumulada foi de 2,13%, acima dos 1,92% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em julho de 2019, a taxa havia sido de 0,09%.

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, cinco apresentaram alta em julho, sendo que o maior impacto (0,22 ponto percentual) e a maior variação positiva (1,11%) vieram dos Transportes, que teve alta após quatro meses de quedas. O segundo maior impacto (0,08 p.p.) veio de Habitação, que registrou 0,50% de variação. Também tiveram elevação de preços os Artigos de residência (0,68%), a Saúde e cuidados pessoais (0,40%) e a Comunicação (0,46%).

Já entre as quedas, os destaques foram Vestuário (-0,91%) e Alimentação e bebidas (-0,13%). Os demais grupos com deflação foram as Despesas pessoais (-0,23%) e a Educação (-0,07%).

No Brasil, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas subiu 7,7 pontos em julho, para 78,8 pontos. Após três meses em alta, o índice agora está 9,0 pontos abaixo de fevereiro, último mês antes da pandemia atingir a economia brasileira. Em médias móveis trimestrais, houve alta de 6,9 pontos após uma sequência de cinco quedas.

Em julho, a satisfação dos consumidores sobre a situação atual ficou estável em relação ao mês anterior, em nível considerado baixo historicamente. Houve melhora das expectativas em relação aos meses seguintes. O Índice de Situação Atual (ISA) variou 0,4 ponto, para 71,0 pontos, maior valor desde março deste ano. O Índice de Expectativas (IE) avançou 12,3 pontos para 85,1 pontos, acumulando 30,1 pontos de alta nos três últimos meses e revertendo dois terços das perdas registradas no primeiro quadrimestre de 2020. O indicador que mede a satisfação presente dos consumidores com a economia avançou 0,7 ponto, para 73,9 pontos, enquanto o indicador que mede a satisfação com a situação financeira familiar subiu 0,2 ponto, para 68,7 pontos. Ambos os quesitos seguem registrando valores próximos aos seus respectivos mínimos históricos.

Fonte Último Instante

Deixe um comentário