Ações do HSBC atingem o menor nível em 25 anos: 5 itens para prestar atenção em relação a Bitcoin esta semana

LinkedIn

O Bitcoin (BTC) começa uma nova semana ainda em busca de suporte de US$ 11.000, à medida em que os macromercados oscilam com o coronavírus e as atividades criminosas dos bancos.

Aqui estão cinco fatores que podem moldar a ação do preço do BTC nos próximos dias.

Bancos enfrentam dilúvio de lavagem de dinheiro

Enquanto os bancos centrais enfrentavam mudanças dramáticas na política econômica dos Estados Unidos, novos arquivos vazados mostraram ainda mais evidências de lavagem de dinheiro em larga escala.

Um grande acervo de documentos da Rede de Execução de Crimes Financeiros (FinCEN), apelidado de Arquivos FinCEN, chegou a jornalistas investigativos em todo o mundo neste mês, e o foco é claro: atividades ilegais que passaram despercebidas.

Um exemplo envolve o HSBC, que continuou permitindo que fundos passassem por suas contas, apesar de ser notificado de suas origens criminosas. As ações do banco caíram para o mínimo de 25 anos nesta segunda-feira.

Outras revelações incluem muitas atividades ligadas à elite russa usando bancos do Reino Unido para evitar sanções ocidentais.

Os proponentes do Bitcoin foram rápidos em apontar a ironia da situação, dado o histórico de muitos bancos nos arquivos alegarem que o próprio Bitcoin tenha facilitado crimes.

Um conjunto de anúncios para Bitcoin e HSBC em Hong Kong resumiu ironicamente o status quo, com o estatístico Willy Woo tweetando:

“‘Seja seu próprio banco. A história continua ‘. O HSBC vai no ponto! “

Os bancos centrais de todo o mundo continuam a lidar com a crise do coronavírus nesse meio tempo, e o Banco Central Europeu (BCE) se reunirá para discutir sua resposta – e possíveis implicações para o euro – esta semana.

Conforme relatado pelo Cointelegraph, o Banco da Inglaterra (BoE) está atualmente considerando a possibilidade de introduzir taxas de juros negativas pela primeira vez em sua história.

Ações caem enquanto o coronavírus pesa

As negociações na Ásia começaram com um tom mais fraco na segunda-feira, com o Hong Kong Hang Seng Index caindo 1,5% – impulsionado pelas ações do HSBC atingindo seu nível mais baixo desde 1995.

Uma imagem semelhante veio da Europa, com o Stoxx Europe 600 caindo 1,6%. Nos Estados Unidos, antes do sino de abertura, os futuros do S&P 500 caíram 1%.

Os EUA. enfrenta uma série de problemas enquanto os políticos lutam para chegar a um acordo sobre um novo pacote de estímulo ao coronavírus, e as eleições se aproximam.

Esta semana, o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, testemunhará perante o Congresso, depois de seu discurso da semana passada sobre o extraordinário progresso da política econômica do banco central ter deixado muitos céticos sobre suas capacidades.

“Temos preocupações no sentido de os mercados reagirem mal a algumas das incertezas que enfrentamos – a eleição, potencialmente questões ligadas à Covid-19, e o fato de que ainda não temos um pacote de estímulo”, Rebecca Felton, estrategista sênior de mercado da gestora global de ativos Riverfront Investment Group, disse à Bloomberg.

“Eu pensaria que poderíamos ser voláteis para o lado negativo aqui.”

Qualquer combinação que pese sobre a força do dólar americano é atualmente uma bênção para o Bitcoin, que continua o sua correlação inversa com o índice de moeda do dólar americano (DXY).

No dia, o porto seguro do ouro subiu 0,1% em relação ao dólar, a US$ 1.953.

U.S. dollar currency index 6-month chart

Gráfico de 6 meses do índice de moeda do dólar americano. Fonte: TradingView

Fundamentos do Bitcoin atingiram novo recorde de todos os tempos

Houve mais boas notícias para os analistas de Bitcoin de olho na força da rede esta semana, já que a dificuldade e a taxa de hash permaneceram em seus máximos.

A dificuldade, sem dúvida a característica fundamental mais importante do Bitcoin, aumentou 11,35% no último reajuste automático no domingo.

De acordo com estimativas do BTC.com, o próximo reajuste em 12 dias já está definido a adicionar outros 10,2%.

A nova vantagem ressalta a competição feroz entre os mineiros de Bitcoin para ganhar recompensas em bloco – recompensas que permanecem inalteravelmente constantes em 6,25 BTC por bloco, independentemente de quantos estão competindo.

A taxa de hash, por sua vez, uma estimativa do poder de computação total dedicado à rede Bitcoin, atingiu um novo recorde de 143 exahashes por segundo (EH / s) no sábado.

Bitcoin 7-day average hash rate 6-month chart

Gráfico da média de 7 dias da taxa de hash do Bitcoin de 6 meses. Fonte: Blockchain

Uma teoria popular sugere que a alta dos preços segue os fundamentos, e a crença dos mineiros na lucratividade de longo prazo do Bitcoin agora está clara.

Nível dos US$11.000 se prova difícil para o BTC

O BTC/USD permaneceu vinculado ao longo do fim de semana, fracassando em transformar US$ 11.000 em qualquer tipo de nível de suporte.

O comportamento de variação continuou o padrão da semana passada, durante a qual Bitcoin, no entanto, conseguiu subir mais alto do suporte fundamental em US$ 10.000.

Para o analista de mercados da Cointelegraph, Michaël van de Poppe, manter US$ 11.000 e mais US$ 11.200 como resistência significa que o Bitcoin permanecerá na zona de US$ 10.000 por enquanto.

Dado que temos essa construção de limite, temos que verificar os períodos de tempo inferiores, em que o cenário mais provável é um caso de teste da zona de resistência superior de US$ 11.200 a US$ 11.400, e dada a importância desta zona de resistência, é improvável que vamos ultrapassá-la de uma vez ”, resumiu ele em uma atualização do Twitter no sábado.

Depois, o BTC/USD cumpriu a profecia, vendo a rejeição logo abaixo de US$ 11.200 no domingo.

Em termos de potencial de queda adicional, se o suporte mais baixo ceder, o gap de futuros da CME aberto em US$ 9.600 permanece em jogo. Os analistas ficaram divididos sobre se a recente queda para US$ 9.800 poderia ser classificada como suficiente para “fechar” a lacuna – o Bitcoin pode tentar atingi-la definitivamente ou deixar as baixas recentes como fundo.

Investidores se recuperam do “medo” dos US$ 9.800

De acordo com a popular métrica do Crypto Fear & Greed Index, o sentimento do investidor está se recuperando amplamente da viagem abaixo de US$ 10.000.

Na segunda-feira, o índice, que usa uma cesta de indicadores para medir o sentimento do investidor, estava na faixa “neutra” de 48/100.

Anteriormente, como o Bitcoin girava em torno de US$ 12.000, ele media quase sua pontuação mais alta – um aviso, dizem os criadores, de que o mercado precisa de uma correção.

Uma vez que isso aconteceu, uma sensação de supervalorização surgiu, lentamente equilibrando-se ao longo da semana anterior para deixar o índice em sua leitura atual.

Crypto Fear & Greed Index 1-month chart

Gráfico de um mês do Crypto Fear & Greed Index. Fonte: Alternative.me

Por William Suberg

Veja o Ranking das principais criptomoedas

Deixe um comentário