CPFL Energia (CPFE3) pagará R$ 2,075 bilhões em dividendos

LinkedIn

A CPFL Energia (CPFE3) informou, via aviso aos acionistas nesta segunda (23), que pagará o montante de R$ 2,075 bilhões em dividendos.

Acompanhe com o Guia do Investidor os detalhes a respeito desses proventos.

Informações

De acordo com a CPFL Energia, o valor total informado equivale a R$ 1,800973412 por ação ordinária. Nesse sentido, a data de pagamento prevista é o dia 30 de novembro de 2020.

Sendo assim, os acionistas com direito a esse pagamento serão os detentores de ações da companhia até o dia 27 de julho de 2020. Portanto, a partir do dia 28 de julho, os papéis começaram a ser negociados como “ex-dividendos“.

Além disso, a instituição financeira escriturária das ações da CPFL Energia é o Banco do Brasil. Dessa maneira, o BB é o responsável por fazer o depósito nas contas, bem como receber as informações cadastrais ou atualização delas, salvo os casos de ações custodiadas na B3.

Nesse caso, segundo o comunicado da companhia, as Instituições Custodiantes se encarregarão de repassá-los aos respectivos acionistas titulares.

Perfil da Companhia

A CPFL Energia se trata de uma holding do setor de energia que, por meio de suas subsidiárias, distribui, gera e comercializa energia elétrica no Brasil.

Nesse sentido, a companhia atua em 679 municípios em São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná e Minas Gerais.

Dessa maneira, ela alcança 14% de market share, fornecendo energia para cerca de 9,7 milhões de clientes ao todo.

Por fim, ela se destaca como uma das maiores companhias privadas do setor elétrico brasileiro, contando inclusive com a experiência de mais de 100 anos de história.

Agenda de Dividendos

O Guia do Investidor, com intuito de desenvolver uma ferramenta de apoio para acompanhamento dos proventos pelos acionistas, criou a Agenda de Dividendos. Por meio dela, estão listadas todas as datas de pagamento publicadas pelas empresas listadas na B3 para que o investidor possa se organizar cada vez melhor. Portanto acesse e confira!

 

Texto escrito por Victor Rodrigues.

Graduado em Economia pela PUC-SP e redator do Guia do Investidor.

Deixe um comentário