Confira os Indicadores Econômicos desta quinta-feira (28/01/2021)

LinkedIn

Confira os principais indicadores econômicos desta quinta-feira (28/01/2021), em destaque o número de americanos que entraram com o pedido de seguro-desemprego pela primeira vez aumentou menos do que o esperado na semana passada.

Brasil

A taxa de desemprego foi de 14,1% no trimestre encerrado em novembro de 2020, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada hoje (28) pelo IBGE.

A taxa foi a mais alta para esse trimestre móvel desde o início da série histórica da pesquisa, em 2012. Em relação ao trimestre encerrado em agosto (14,4%), o cenário é de estabilidade. Na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior (11,2%), o aumento é de 2,9 pontos percentuais. O número de desempregados foi estimado em 14 milhões.

Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) subiu 2,58% em janeiro, percentual superior ao apurado em dezembro, quando havia apresentado taxa de 0,96%. Em 12 meses o índice acumula alta de 25,71%. Em janeiro de 2020, o índice havia subido 0,48% e acumulava alta de 7,81% em 12 meses.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) subiu 3,38% em janeiro, ante 0,90% em dezembro. Na análise por estágios de processamento, a taxa do grupo Bens Finais variou 1,09% em janeiro. No mês anterior, o índice havia registrado taxa de 2,04%. A principal contribuição para este resultado partiu do subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de 2,29% para 0,32%, no mesmo período. O índice relativo a Bens Finais (ex), que exclui os subgrupos alimentos in natura e combustíveis para o consumo, variou 0,77% em janeiro, ante 1,34% no mês anterior.

estoque total de crédito no Brasil cresceu 1,6% em dezembro na comparação com novembro e foi a 4,018 trilhões de reais, equivalente a 54,2% do Produto Interno Bruto (PIB), divulgou o Banco Central nesta quinta-feira.

No mês, a inadimplência no segmento de recursos livres caiu a 2,9%, ante 3,0% em novembro. Já o spread bancário no mesmo segmento foi a 20,9 pontos percentuais, abaixo dos 21,3 pontos do mês anterior.

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) da Fundação Getulio Vargas recuou 3,6 pontos em janeiro, para 111,3 pontos. Após oito meses de altas consecutivas, esse é o primeiro resultado negativo do setor. Em médias móveis trimestrais, o índice se manteve estável.

Em janeiro, 14 dos 19 segmentos industriais pesquisados registraram queda da confiança. O resultado negativo do mês ocorre influenciado por uma piora da satisfação dos empresários em relação à situação atual e de uma diminuição do otimismo em relação as perspectivas para os próximos três e seis meses. O Índice de Situação Atual (ISA) caiu 3,6 pontos para 116,3 pontos, e o Índice de Expectativas (IE) diminuiu 3,3 pontos para 106,3 pontos, menor nível desde setembro de 2020 (105,9 pontos).

O empoçamento de recursos do governo federal fechou o ano em R$ 21,7 bilhões, segundo dados do Tesouro Nacional. O fenômeno ocorre quando os recursos já estão à disposição dos ministérios, mas não são gastos e não podem ser remanejados a outras áreas por causa de restrições impostas pelo Orçamento. A pasta que ficou com o maior volume de recursos empoçados foi o Ministério da Educação, com R$ 4,5 bilhões.

Em seguida vêm os ministérios da Economia (R$ 3,7 bilhões), do Desenvolvimento Regional (R$ 2,5 bilhões), da Saúde (R$ 2,2 bilhões), Infraestrutura (R$ 2,0 bilhões) e Agricultura (R$ 1,6 bilhão). O secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, destacou que o nível de empoçamento ficou alto de junho a novembro, mas caiu em dezembro do ano passado.

Estados Unidos

O número de americanos que entraram com o pedido de seguro-desemprego pela primeira vez aumentou menos do que o esperado na semana passada, à medida que o lançamento da vacina Covid-19 continuou sob a nova administração Biden e os empregadores esperavam por um apoio financeiro contínuo do Congresso.

Os pedidos de seguro-desemprego totalizaram 847.000 na semana encerrada em 23 de janeiro, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira. Economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam que os pedidos iniciais totalizassem 875.000. O nível da semana anterior (para a semana encerrada em 16 de janeiro) foi revisado para cima em 14.000, de 900.000 para 914.000.

A economia dos EUA se contraiu em seu ritmo mais acentuado desde a Segunda Guerra Mundial em 2020, quando a COVID-19 devastou empresas de serviços como restaurantes e companhias aéreas, tirando milhões de americanos do trabalho e na pobreza.

O Produto Interno Bruto do quarto trimestre nesta quinta-feira também mostrou a recuperação da pandemia perdendo força conforme o ano terminava em meio a um ressurgimento de infecções por coronavírus e esgotamento de quase US$ 3 trilhões em dinheiro de ajuda do governo.

Federal Reserve na quarta-feira, deixou sua taxa de juros de referência overnight perto de zero e prometeu continuar injetando dinheiro na economia por meio da compra de títulos, observando que “o ritmo de recuperação da atividade econômica e do emprego moderou nos últimos meses”.

As vendas de novas residências unifamiliares nos EUA aumentaram menos do que o esperado em dezembro, provavelmente restringidas por um salto nos preços das casas. As vendas de casas novas aumentaram 1,6% para uma taxa anual ajustada sazonalmente de 842.000 unidades no mês passado, disse o Departamento de Comércio nesta quinta-feira. O ritmo de vendas de novembro foi revisado para baixo para 829.000 unidades das 841.000 unidades relatadas anteriormente.

Economistas ouvidos pela Reuters previam que as vendas de casas novas iriam se recuperar 1,9%, para uma taxa de 865.000 unidades em dezembro. As vendas de novas casas são retiradas de uma amostra de casas selecionadas de licenças de construção e tendem a ser voláteis em uma base mês a mês. As vendas de casas novas aumentaram 15,2% na comparação anual. As vendas totalizaram 811.000 em 2020, um aumento de 18,8% em relação a 2019.

Europa

O índice de sentimento econômico da zona do euro, que mede a confiança de setores corporativos e dos consumidores, caiu de 92,4 pontos em dezembro para 91,5 pontos em janeiro, em meio à segunda onda de covid-19 na região.

Segundo dados publicados nesta quinta-feiea pela Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia. O resultado de dezembro foi revisado para cima, de 90,4 pontos originalmente. Analistas consultados pelo The Wall Street Journal previam que o indicador recuaria a 90 pontos neste mês.

Os preços anuais ao consumidor na Alemanha ficaram positivos e subiram muito mais do que o esperado em janeiro, informou o Escritório Federal de Estatísticas nesta quinta-feira, atribuindo um aumento no imposto sobre vendas e no salário mínimo como fatores por trás do aumento.

Os preços ao consumidor, harmonizados para torná-los comparáveis ​​com os dados de inflação de outros países da União Europeia, aumentaram 1,6% ano-a-ano, após queda de 0,7% em dezembro. A leitura de janeiro foi a mais alta desde 1,7% em fevereiro passado, disse o Escritório de Estatísticas à Reuters. Comparado com a previsão da Reuters de um aumento de 0,5%.

Ásia

A China deverá evitar fixar uma meta de crescimento para 2021, descartando a medida observada de perto pelo segundo ano seguido diante de preocupações de que mantê-la poderia encorajar as economias das províncias a aumentar a dívida, disseram fontes à Reuters.

A segunda maior economia do mundo registrou crescimento de 2,3% no ano passado apesar das consequências da pandemia, e irá se recuperar com uma taxa de 8,4% este ano graças à agressiva resposta do governo e à retomada global, de acordo com pesquisa da Reuters junto com economistas. Mas as autoridades temem que atrelar ambições oficiais a uma taxa específica de crescimento possa encorajar governos regionais a buscar um crescimento ainda mais alto, provocando por sua vez um aumento nocivo da dívida para atingir a meta, disseram duas fontes.

Assessores do governo que pedem que não haja meta para o Produto Interno Bruto (PIB) de novo este ano parecem estar ganhando terreno, enquanto autoridades podem de novo sinalizar uma meta de forma implícita visando emprego e outros indicadores, disseram as fontes, que pediram para não ser identificadas porque as discussões são confidenciais.

Deixe um comentário