Renda pessoal nos EUA aumentou 10% em janeiro, ficando acima do esperado

LinkedIn

A renda pessoal nos Estados Unidos aumentou 10% em janeiro, após um aumento de 0,6% em dezembro, sendo ainda maior do que a estimativa de 9,5% do Dow Jones.

Uma nova rodada de cheques de estímulo do governo elevou a renda pessoal ao maior ganho mensal desde abril de 2020, embora a inflação tenha permanecido fraca, informou o Departamento de Comércio nesta sexta-feira.

O ganho veio da emissão de pagamentos de estímulo de US$ 600 que o Congresso aprovou para milhões de americanos, junto com benefícios de desemprego aprimorados. Os consumidores pegaram esses cheques e os gastaram rapidamente, fazendo com que as vendas no varejo disparassem e com que as despesas gerais aumentassem 2,4% no mês, um pouco abaixo da estimativa de 2,5%.

Os dados de gastos um pouco mais fracos do que o esperado vieram em meio a uma queda na taxa de poupança pessoal para 20,5%, ou US$ 3,93 trilhões, esse foi o nível mais alto desde maio de 2020.

O índice de preços de despesas de consumo pessoal, que é o indicador de inflação preferido pelo Federal Reserve, subiu 0,3% no mês, ligeiramente acima da expectativa de 0,2%, mas subiu apenas 1,5% ano a ano, correspondendo às estimativas do Dow Jones. Esse número foi o mesmo tanto para a taxa básica quanto para o núcleo, que exclui os preços voláteis de alimentos e energia.

Em setembro, o Fed chegou a adotar uma política oficial segundo a qual permitiria que a inflação ultrapassasse 2% por um período antes de aumentar as taxas.

No entanto, as pressões relacionadas à pandemia contribuíram para um ambiente desinflacionário geral que levou os legisladores a dizer que provavelmente ficarão em espera por anos.

(Com informações da CNBC)

Deixe um comentário