Ouro fecha em alta impulsionado por uma queda no dólar e nos rendimentos dos títulos dos EUA

LinkedIn

O ouro fechou em alta nesta quinta-feira, impulsionado por uma queda no dólar e nos rendimentos dos títulos dos EUA, enquanto dados sombrios de desemprego nos EUA obscureceram as perspectivas de uma recuperação econômica, aumentando o apelo de refúgio seguro do metal.

O ouro à vista subiu 1,2% para US$ 1.727,86 por onça, o ouro para junho fecha em alta de 0,74%, a US$ 1,728,40 a onça-troy.

O número de americanos entrando com novos pedidos de seguro-desemprego aumentou inesperadamente na semana passada, disse o Departamento do Trabalho.

O índice do dólar recuou de uma alta de cinco meses na sessão anterior, tornando o ouro mais barato para outros detentores de moeda. Os rendimentos de referência do Tesouro dos EUA também diminuíram.

Na quarta-feira, Biden anunciou seu tão esperado plano de empregos de mais de US$ 2 trilhões, que exigia um uso abrangente do poder do governo para remodelar a economia americana.

Com o ouro sendo sobrevendido e o Federal Reserve mantendo as taxas baixas, os investidores em ouro veem uma oportunidade surgindo, disse Michael Matousek, negociador-chefe da US Global Investors.

Embora o ouro seja considerado uma proteção contra a inflação de estímulos generalizados, os rendimentos mais altos dos títulos neste ano ameaçaram esse status, pois se traduzem em um custo de oportunidade mais alto de manter o ouro.

“Um recuo nos rendimentos, especialmente no principal Tesouro dos EUA em 10 anos, à medida que as pressões inflacionárias recuam, abre a possibilidade de uma recuperação nos preços do ouro”, escreveu James Steel, analista-chefe de metais preciosos do HSBC em uma nota.

A prata subiu 0,9% para US$ 24,61 por onça, enquanto a platina subiu 1% para US$ 1.199,34 e o paládio subiu 1,1% para US$ 2.647,69.

(Com informações da CNBC)

Deixe um comentário