Bom dia ADVFN - Investidores aguardam discurso do Federal Reserve (EUA) e dados de empregos no Brasil na agenda

LinkedIn

Esse é o Bom dia, Investidor!  26 de Maio de 2021, com tudo o que você precisa saber antes da Bolsa abrir!

Bolsas mundiais: os índices futuros americanos voltam a subir levemente, após as bolsas fecharem a terça-feira com leves quedas. As bolsas europeias têm tendência de alta, após autoridades do Fed reduzirem o temor sobre uma mudança na política da instituição por enquanto. As bolsas asiáticas fecharam com resultados variados.

Na Ásia, os mercados fecharam com resultados variados. O índice Nikkei, do Japão, subiu 0,31%; o Kospi, da Coreia do Sul, recuou 0,1%; o Shanghai composto subiu 0,34%; enquanto que o componente Shenzhen caiu 0,355%. Em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 0,8%. No Sudeste da Ásia, as bolsas de Indonésia, Singapura e Tailândia não abriram por conta de um feriado. Os investidores continuam a acompanhar o desempenho de criptomoedas. O governo da China continua a afirmar que pretende continuar a regular o comércio de Bitcoin e outras atividades relacionadas às criptomoedas. Na sexta (21), o vice-premiê chinês Liu He afirmou, por meio de uma declaração, que é necessário “controlar a mineração de Bitcoin e o comportamento comercial” para evitar a “transmissão de riscos individuais para o campo social”. Na terça, a região da Mongólia Interior propôs punições para empresas e indivíduos envolvidos na mineração de moedas digitais -um processo que utiliza poder computacional para viabilizar a infraestrutura para a existência dessas moedas.

Na Europa, os índices europeus têm em sua maioria altas, acompanhando as falas otimistas de autoridades do Fed dos Estados Unidos. O índice Eurostoxx, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, sobe 0,23%, impulsionado por alta de 1,3% de ações dos setores de viagem e lazer. Por outro lado, bancos recuam 0,7%.

Nos Estados Unidospelo terceiro dia consecutivo, os futuros em Wall Street amanhecem no positivo, após mais funcionários do Federal Reserve se juntarem ao coro, prevendo que as pressões inflacionárias serão transitórias, o que serviu para acalmar os nervos após os últimos dados econômicos dos EUA. O vice-presidente do Fed, Richard Clarida, disse que estas pressões sobre os preços nos EUA seriam em grande parte transitórias, embora tenha acrescentado que as autoridades podem estar prontas para começar a discutir como reduzir as compras de ativos nas “próximas reuniões”. O presidente do Banco Central da França, François Villeroy de Galhau, falou sobre ajustes de estímulo em breve, enquanto o membro do Conselho Executivo do Banco Central Europeu, Fabio Panetta, disse não ver sinais de inflação sustentada que permitiria uma redução nas compras de títulos. Entre as commodities, o petróleo permaneceu estável e o ouro apagou as perdas de 2021. O Bitcoin se recuperou acima do nível de US $ 40.000 com as criptomoedas recuperando parte do terreno perdido ao longo do mês. Nesta quarta-feira, executivos dos maiores bancos dos Estados Unidos, incluindo JPMorgan Chase, Bank of America, Citigroup, Wells Fargo, Goldman Sachs e Morgan Stanley, irão testemunhar ao Comitê Bancário do Senado dos Estados Unidos.

==> Acompanhe os mercados mundiais pela ADVFN (aqui)

Os futuros internacionais de petróleo WTI (NYMEX:CLM21) estão sendo negociados a US$ 65,92, com baixa de 0,23%. O Brent (NYMEX:BZ) opera em baixa de 0,09%, negociado a US$ 68,43.

Bitcoin (COIN:BTCUSD) é negociado a US$ 40.371,91 (+5,91%). O ouro (COMEX:GCM21) é negociado a US$ 1.907,90 por onça-troy (+0,52%).

⇒ Bitcoin – Acompanhe o Mundo Cripto na ADVFN

Minério de ferro: Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com queda de 6,05%, cotados a 994,5 iuanes, equivalente hoje a US$ 155,50.

Coronavírus

O mundo registra 167.469.495 de casos de coronavírus e 3.476.932 mortes, confirmadas pela Universidade Johns Hopkins.

Painel Vacinas Covid-19 Brasil:  Doses Distribuídas pela União: 90.777.747. Doses aplicadas: 63.740.557.

Brasil registrou 2.173  mortes e 73.453 novos casos da doença na terça-feira (25), segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Os números correspondem às últimas 24 horas; sendo que no total, o país soma 452.031 mortes e 16.194.209 casos do novo coronavírus.

A farmacêutica Pfizer iniciou na terça-feira (25) os testes clínicos de eficácia de sua vacina contra a Covid-19 em mulheres grávidas. Segundo a empresa, serão 200 mulheres grávidas saudáveis, com mais de 18 anos, a participarem dos testes no Brasil. Os ensaios clínicos em andamento são da segunda fase de testes necessários para a aprovação deste uso da vacina. Ao todo, são três fases. Nesta segunda rodada de testes, a pesquisa será feita com quatro mil gestantes de todo o mundo, incluindo as 200 voluntárias no Brasil.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou na terça-feira (25) o início dos testes em humanos do soro anti-SARS-CoV-2, desenvolvido pelo Instituto Butantan. Com isso, o Butantan já pode começar a aplicação do soro em voluntários da pesquisa. Esta será a primeira vez que o soro será aplicado em humanos. Avaliações iniciais revelaram que a terapia pode diminuir a gravidade dos casos da doença.O soro funciona de forma parecida com o usado para tratar picadas de serpentes peçonhentas. Na fase de testes em animais, o vírus inativado por um processo de radiação é inoculado em cavalos, que produzem anticorpos do tipo imunoglobulina G (IgG). O plasma do sangue dos animais, então, é extraído, tratado e envasado, da mesma maneira que é feito na produção dos outros soros do Butantan.

Brasil

O Ministério da Saúde anunciou, dia 25, o início da vacinação de trabalhadores de portos e aeroportos. Na noite de ontem começaram a ser distribuídas aos estados doses para a imunização desse público, que abrange pouco mais de 200 mil pessoas. Segundo a pasta, as doses serão suficientes para atender 100% dos portuários e 78% dos trabalhadores em aeroportos. De acordo com o Ministério da Saúde, a medida foi tomada diante do cenário de circulação de uma nova variante, denominada de indiana, em menção ao país onde surgiu, cujo nome técnico é B.1.671.2.

Poderes

Após oito meses da sua chegada ao Congresso, a reforma administrativa foi aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, na terça-feira, 25, por 39 votos favoráveis e 26 contrários. O texto sofreu três mudanças nessa fase. O texto segue agora para uma comissão especial, ainda a ser criada, que terá o prazo de 40 sessões para a análise. O presidente desse colegiado deve ser o deputado Fernando Monteiro (PP-PE) e o relator, Arthur Maia (DEM-BA). Depois, precisa ser aprovada em dois turnos pelo plenário da Casa, antes de ir ao Senado. Como se trata de uma alteração na Constituição, o texto precisa do voto favorável de, pelo menos, 3/5 dos parlamentares de cada Casa, isto é, 308 dos 513 deputados e 49 dos 81 senadores, em dois turnos de votação.

Mudanças feitas à medida provisória de privatização da Eletrobras durante a aprovação do texto pela Câmara desfiguraram o projeto, que agora vai ao Senado em um formato que ameaça pressionar tarifas de energia e gerar emissões, defendeu um dos autores da proposta original de desestatização. Alterações do relator da MP, deputado Elmar Nascimento (DEM-BA), obrigam o governo a contratar 6 gigawatts em novas termelétricas a gás nos próximos anos, assim como estabelecem obrigação de favorecimento a pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) em leilões de energia agendados para este ano. Para Paulo Pedrosa –que era secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia quando o projeto de privatizar a Eletrobras foi apresentado pela primeira vez em 2016– a proposta aprovada na Câmara vai contra um plano do próprio governo para modernização da regulação do setor elétrico.

Justiça

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), também votou na terça-feira, 25, para anular a decisão do ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato, que homologou a colaboração premiada do ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, com a Polícia Federal. O placar está em 4 a 2 para tornar o acordo sem efeito. Embora a decisão que homologou a colaboração do ex-governador tenha partido do próprio tribunal, pelas mãos de Fachin, o caso está sendo revisitado no colegiado depois que vieram a público acusações de Cabral que atingiram outro integrante da Corte: o ministro Dias Toffoli. O político disse ter conhecimento de pagamentos na ordem de R$ 4 milhões em troca da venda de decisões judiciais favoráveis a dois prefeitos fluminenses no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), onde Toffoli ocupou uma cadeira entre 2012 e 2016. A discussão está sendo travada a partir de um recurso da Procuradoria Geral da República (PGR), que contesta a negociação por considerar que não foram apresentados fatos novos e que o ex-governador ‘age com má fé’. O julgamento traz como pano de fundo a discussão sobre a autonomia da Polícia Federal para fechar acordos de colaboração sem o aval do Ministério Público Federal (MPF), prerrogativa chancelada pelo próprio Supremo em 2018. Embora, até o momento, a maioria dos ministros tenha votado contra a homologação da delação de Cabral, por enquanto não houve coro para cassar o direito franqueado à PF de tocar seus próprios acordos de colaboração. Apenas Fachin, que ficou vencido no julgamento em 2018, voltou a defender que as negociações devem passar pelo MPF.

Economia

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, reafirmou na terça-feira que a instituição de fomento seguirá em sua estratégia de vender suas participações acionárias com o objetivo de realocar o capital em atividades que gerem desenvolvimento. “Estamos fazendo os desinvestimentos com parcimônia e cautela, para realocar esse capital em atividades que tenham risco, mas gerem desenvolvimento”, afirmou Montezano. Desde que assumiu o comando do BNDES, em julho de 2019, o banco já vendeu R$ 65 bilhões em ações. O próprio BNDES já informou que o próximo passo será uma oferta de seus papéis da Copel.

Agenda Econômica

Nesta quarta-feira, é aguardado o ultimo resultado do mês sobre a variação nos estoques de petróleo dos EUA, no Brasil os investidores estão de olho nas Transações correntes mensal e o Investimento estrangeiro direto mensal.

🇧🇷 INCC-M mensal (08h00)
🇧🇷 Investimento estrangeiro direto mensal (09h30)
🇧🇷 Transações correntes mensal (09h30)
🇺🇸 Variação de estoques de petróleo EIA semanal (11h30) ⭐️
🇺🇸 Leilão primário de Treasuries de cinco anos (14h00)
🇧🇷 Relatório mensal da dívida pública do do Tesouro Nacional (14h30)
🇧🇷 Fluxo cambial semanal (14h30)
🇨🇳 Lucro industrial anual (22h30)
Ibovespa e dólar no último pregão:

Ibovespa:  

Referência do mercado brasileiro, o índice encerrou o dia em baixa de -0,84% aos 122.987,71 pontos, na mínima o Ibovespa ficou em 122.700,96, e na máxima 124.695,53 pontos. O volume financeiro somou R$ 27,9 bilhões. O Ibovespa encerrou o pregão acompanhando a virada negativa das Bolsas norte-americanas na sessão e o viés baixista que atinge as empresas de mineração e siderurgia, com preocupações relacionadas às medidas de controle nos preços do aço na China.

Maiores altas do Ibovespa

CIEL3: +7,63% a R$ 4,09
COGN3: +6,65% a R$ 4,17
PCAR3: +5,47% a R$ 37,98
AZUL4: +4,11% a R$ 42,01
YDUQ3: +3,69% a R$ 31,47

Maiores baixas do Ibovespa

BIDI11: -6,97% a R$ 207,72
USIM5: -3,09% a R$ 19,44
CSAN3: -2,89% a R$ 21,87
B3SA3: -2,58% a R$ 17,00
BRAP4: -2,57% a R$ 68,15

Dólar    

dólar comercial: encerrou a terça-feira em alta de 0,23% sendo cotado a R$ 5,337 para venda e a R$ 5,337 para compra, após oscilar forte e operar sem direção única, acompanhando o desempenho de algumas moedas de países emergentes, que recua 1% ante a divisa norte-americana. Além de movimentos de correção técnica na última semana cheia de maio.

Aqui, há pouco, a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados aprovou, por 39 votos a 26, a admissibilidade da reforma administrativa, com quase duas semanas de atraso em relação ao prazo previsto pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira. A proposta seguirá para uma comissão especial, que debaterá o mérito das medidas.

Juros:

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2022 caiu cinco pontos-base a 5,00%, o DI para janeiro de 2023 teve queda de nove pontos-base a 6,71%, o DI para janeiro de 2025 recuou 10 pontos-base a 8,16% e o DI para janeiro de 2027 registrou variação negativa de oito pontos-base a 8,76%.

Ifix   

Todas as carteiras de Fundos Imobiliários para o mês de maio de 2021: a ADVFN montou um compilado de todas as carteiras recomendadas disponíveis de Fundos Imobiliários para maio.

Fonte: CNN, CNBC, Infomoney, TC, G1, Agência Brasil e BDM, estadão.

Deixe um comentário