Azul: amplia serviços em 50 rotas para atender Clientes durante a alta temporada de inverno

LinkedIn

Com a flexibilização de circulação no país e o reforço nos protocolos sanitários em destinos brasileiros, a Azul (BOV:AZUL4) espera ampliar serviços em 50 rotas para atender seus clientes que quiserem viajar pelo país durante a alta temporada de inverno.

Ao longo do mês de julho, a companhia vai reforçar suas ligações para o Nordeste do Brasil, e os aeroportos de Campinas, Belo Horizonte, Santos Dumont, Recife, Salvador e Porto Seguro contarão com o maior volume de operações adicionais.

Reforçando a operação em seus centros de distribuição de voos, a Azul disponibilizará em Campinas mais frequências para Caldas Novas, Fortaleza, Maceió, Natal, João Pessoa, Porto Seguro, Salvador, Bonito e Rio, além de rotas novas para Cabo Frio, Sinop, São Luís, Ilhéus e Vitória da Conquista.

Já BH terá novas operações para Ilhéus, Salvador, Porto Seguro, Rio, Recife, Natal, Maceió e Salvador, além do retorno das frequências para Florianópolis, Cabo Frio, Foz do Iguaçu e João Pessoa.

A capital pernambucana, Recife, volta a ter ligação com Palmas, Cuiabá, Aracati e Uberlândia, assim como mais opções, principalmente, para voos com destino as demais capitais nordestinas.

A novidade da operação de inverno ficará por conta da rota inédita Congonhas-Maceió, que será operada diariamente com aeronaves modelo Airbus A320neo, para 174 passageiros.

“Estamos preparando uma alta temporada ainda mais focada em mercados de lazer do que em anos anteriores. Sabemos que as pessoas que têm viajado neste momento buscam reencontrar parentes e amigos já vacinados, aproveitar merecidos dias de folga em destinos turísticos de nosso país ou, ainda, se deslocar com toda a família para desfrutar do travel office”, comenta Vitor Silva, gerente de planejamento de malha.

“As cidades seguem com protocolos sanitários reforçados, nós continuamos adotando medidas rigorosas a bordo de nossas aeronaves e algumas regiões brasileiras já flexibilizaram a circulação de pessoas. Então, entendemos que este momento de julho pode ser favorável a um novo horizonte para nossos Clientes”, destaca Vitor.

As passagens para todas as novas rotas da malha da Azul em julho já estão à venda em todos os canais oficiais da empresa.

VISÃO DO MERCADO

Bradesco BBI

O Bradesco BBI comentou a notícia de que o Latam Airlines Group apresentou uma moção junto a acionistas e credores para apresentar seu plano de restruturação em 15 de setembro, ao invés do prazo anterior, de 30 de junho. A votação deverá ocorrer em 8 de novembro ao invés de 23 de agosto. Além disso, a empresa também pede o saque de US$ 500 milhões do financiamento “debtor-in-possession”, de US$ 2,45 bilhões.

O Bradesco avalia a notícia como positiva para a Azul e para a Latam, já que credores e a Azul terão mais tempo para trabalhar em um plano que, na avaliação do banco, pode culminar com a venda das operações domésticas da Latam para a Azul. O pedido de saque de US$ 500 milhões também sugere que a operação continua a queimar caixa e que sua liquidez de caixa deve continuar a se deteriorar nos próximos meses. Com a queda da posição de caixa da Latam, o poder de barganha da Azul deve crescer, diz o Bradesco.

Para a Latam, mantém avaliação neutra (valorização dentro da média), com preço-alvo de US$ 3, frente aos US$ 2,81 negociados na quarta pelos papéis LTMAQ na OTC Markets.

Bradesco BBI mantém recomendação de compra com preço-alvo de R$ 75,00…

Prejuízo líquido de R$ 2,6 bilhões no primeiro trimestre

A Azul registrou prejuízo líquido de R$ 2,65 bilhões entre janeiro de março deste ano, valor 56,8% menor do que os R$ 6,13 bilhões (também de prejuízo) apurados no mesmo intervalo do ano passado.

No trimestre, a companhia aérea transportou 5,25 milhões de passageiros pagantes, 20,2% menos do que nos três primeiros meses do ano passado.

receita operacional líquida totalizou R$ 1,8 bilhão no primeiro trimestre, queda de 34,9% em relação ao mesmo período de 2020, representando uma redução de 34,9% ano contra ano devida à redução de 23,0% na capacidade e 15,4% no RASK causados pela pandemia do COVID-19.

Informações Azul Linhas Aéreas

Deixe um comentário