Neoenergia: entra em operação comercial o primeiro trecho que compõem o empreendimento de Santa Luzia

LinkedIn
A Neoenergia comunica que entrou em operação comercial o primeiro trecho que compõem o empreendimento de Santa Luzia (Lote 6 –  Leilão de Transmissão nº 02/2017, de dezembro de 2017).
O comunicado foi feito pela empresa (BOV:NEOE3) nesta segunda-feira (12). Confira o documento na íntegra.
O referido trecho, LT 500 kV Santa Luzia II- Campina Grande III tem extensão de 124 km de linha e conta com uma Subestação – SE 500kV Santa Luzia II. Esta entrega foi feita com antecipação de 21 meses em relação ao prazo contratual da Aneel.
O Lote 6 conta com uma RAP anualizada de R$63 milhões, sendo que com a entrada em operação deste trecho, 40 % desse montante já é liberado.
Adicionalmente, este mesmo trecho irá escoar a energia gerada pelo Complexo Eólico de Chafariz, que se encontra com 20 unidades geradoras, que correspondem a 69,3 MW de capacidade instalada, em fase de testes, com significativa antecipação em relação ao plano de negócios.
A antecipação das entregas reforça, mais uma vez, a capacidade da Neoenergia em executar seu plano estratégico e o seu compromisso com a taxa de retorno dos projetos.

A Neoenergia pretende divulgar os resultados do 2T21 no dia 20 de julho.

Neoenergia (NEOE3): lucro líquido de R$ 1 bilhão no primeiro trimestre, alta de 75%

A elétrica Neoenergia, controlada pela espanhola Iberdrola, registrou lucro líquido de R$ 1 bilhão no primeiro trimestre, alta de 75% ante o mesmo período do ano passado.

O grupo Neoenergia atingiu a marca de 15,5 milhões de clientes depois da incorporação, em março, da distribuidora da Companhia Energética de Brasília (CEB). A empresa venceu o leilão de privatização da CEB em dezembro, com uma oferta de R$ 2,5 bilhões.

A distribuidora, que tem mais de 1,1 milhão de clientes, passou a se chamar Neoenergia Distribuição Brasília e agora faz parte do grupo que também controla a distribuidoras Coelba (BA), Cosern (RN), Celpe (PE) e Elektro (SP). A Neoenergia atua ainda na geração, comercialização e transmissão de energia elétrica.

receita operacional líquida foi de R$ 8,58 bilhões, alta de 27% versus um ano antes.

Ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – alcançou R$ 2,3 bilhões, com alta de 50% na mesma comparação.

Entre janeiro e março, a Neoenergia investiu R$ 1,8 bilhão, crescimento de 89% ante o primeiro trimestre de 2020. Segundo a companhia, foram investidos R$ 416 milhões em energia renovável, “um dos principais caminhos que a empresa acredita ser promissor para o futuro”.

Deixe um comentário