ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for smarter Negocie de forma mais inteligente, não mais difícil: Libere seu potencial com nosso conjunto de ferramentas e discussões ao vivo.

Bolsas recuam com tensão geopolítica e desaceleração chinesa

LinkedIn

ÁSIA: A maioria dos mercados asiáticos fechou em queda nesta segunda-feira, com investidores reagindo aos dados chineses, aumento de infecções por coronavírus na região, bem como preocupações com o impacto a longo prazo do colapso do governo afegão.

As vendas no varejo na China aumentaram 8,5% em julho em comparação com o ano anterior, de acordo com dados oficiais divulgados nesta segunda-feira, muito menor do que o aumento de 11,5% previsto por analistas em uma pesquisa da Reuters, enquanto a produção industrial cresceu 6,4% em julho, também ficando aquém das expectativas de um aumento de 7,8% em relação ao mesmo mês do ano anterior, de acordo com a pesquisa da Reuters.

O Escritório Nacional de Estatísticas da China citou o impacto de uma série de fatores, incluindo crescentes incertezas externas, a epidemia de Covid-19 em andamento e inundações. O bureau acrescentou que a “recuperação econômica ainda é instável e desigual”.

As ações da China Continental fecharam sem direção, com o composto de Xangai fechando em ligeira alta de 0,03%, em 3.517,34 pontos, enquanto o Shenzhen Component caiu 0,72%, para 14.693,74 pontos. O índice Hang Seng de Hong Kong caiu 0,80%, fechando em 26.181,46 pontos.

No Japão, o Nikkei caiu 1,62% para fechar em 27.523,19 pontos, enquanto o índice Topix caiu 1,61% no dia, fechando em 1.924,98 pontos. O PIB do Japão cresceu 0,3% no segundo trimestre em comparação com os três meses anteriores, quando contraiu 0,9%, de acordo com estimativas preliminares oficiais divulgadas nesta segunda-feira. Os dados de abril a junho superaram as previsões do mercado de um aumento de 0,2%, de acordo com a Reuters. As ações da Fast Retailing e SoftBank Group cairam mais de 2% cada.

O Índice FTSE Bursa Malaysia KLCI na Malásia também fechou em queda depois que o palácio do país confirmou que o primeiro-ministro Muhyiddin Yassin e seu gabinete apresentaram sua renúncia ao rei na segunda-feira.

Na Austrália, o S & P / ASX 200 caiu 0,61%, fechando em 7.582,50 pontos, perdendo a marca psicológica de 7.600 pontos, com os principais bancos e mineradoras recuando. O índice vinha pressionando para novas altas durante a maior parte das duas últimas semanas, à medida que os ganhos corporativos impressionava e os investidores permaneciam otimistas de que a economia do país se recuperará quando a tempestade do COVID passar. BHP caiu 1,3%, Fortescue Metals recuou 1,7% e Rio Tinto fechou em baixa de 1,5%. As perdas para as produtoras de petróleo foram mais íngremes. Oil Search caiu 2,5% e Santos recuou 2,7%.

A BHP Group disse que está em negociações com a Woodside Petroleum para um potencial acordo para combinar a unidade de petróleo da BHP com a empresa australiana de energia e que o possível acordo incluiria uma distribuição das ações da Woodside aos acionistas da BHP. Segundo a empresa, esta é uma das várias opções que a BHP está olhando como parte de uma revisão estratégica de seu negócio de petróleo. A Woodside confirmou que estava em negociações com a mineradora. As ações da Woodside Petroleum despencaram 4,2%.

O índice MSCI para a Ásia-Pacífico exceto Japão caiu 0,5%.

Os mercados da Coreia do Sul permaneceram fechados na segunda-feira por conta de um feriado.

Analistas disseram que o calendário de vacinação lenta na Ásia está empurrando para baixo os sentimentos dos investidores. Japão, Tailândia e Malásia estão entre as nações que relatam vários casos diários recordes recentemente.

EUROPA: As bolsas europeias caem nesta segunda-feira, acompanhando os mercados asiáticos à medida que os investidores reagem a dados econômicos mais fracos do que o previsto e monitoram de perto as preocupações geopolíticas no Afeganistão, onde o Talibã assumiu o poder após a retirada das forças americanas.

O pan-europeu Stoxx 600 cai 0,69% durante os negócios do meio da manhã, com ações do setor de mineração lideraram as perdas.

O alemão DAX 30 cai 0,55%, o francês CAC 40 recua 0,89%, enquanto o IBEX 35 da Espanha e o FTSE MIB da Itália perdem 0,72% e 0,54%, respectivamente.

Em Londres, o FTSE 100 cai 0,99%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American cai 2,5%, Antofagasta recua 2,4%, BHP tomba 1,8% e Rio Tinto negocia em baixa de 2,2%. Entre as gigantes petrolíferas, BP e Royal Dutch Shell recuam 1,9 e 1,8%, respectivamente.

EUA: Os contratos futuros vinculados aos principais índices de ações dos EUA caem nas negociações matinais desta segunda-feira, com Wall Street pairando em território recorde após os modestos ganhos da semana passada.

O índice Dow Jones terminou a semana passada em um fechamento recorde de 35.515,38 pontos, enquanto o S&P 500 terminou a sexta-feira em 4.468,00 pontos, seu 48º recorde de fechamento de 2021 e alcançando seu melhor resultado de todos os tempos. O Nasdaq Composite avançou 0,04%, em 14.822,90 pontos.

O Dow e o S&P 500 fecharam a semana com ganhos discretos de 0,8% e 0,7%, respectivamente. O Nasdaq Composite apresentou desempenho inferior na semana, com queda de pouco menos de 0,1%.

O rendimento da nota do Tesouro de 10 anos de referência foi visto em 1,283%. Os rendimentos dos títulos caem à medida que seus preços aumentam.

Os investidores digeriram dados econômicos mistos na semana passada. A leitura mais notável foi o relatório de inflação mais suave do que o esperado, divulgado na quarta-feira, que mostrou que os preços ao consumidor excluindo itens voláteis como energia e alimentos subiram menos do que o esperado em julho. Enquanto isso, o Departamento do Trabalho disse na quinta-feira que os pedidos de seguro-desemprego semanais chegaram a 375.000 na semana passada, igualando as estimativas e recuando pela terceira semana consecutiva. O sentimento da Universidade de Michigan para agosto ficou em 70,2, a leitura mais fraca desde dezembro de 2011 e os preços ao produtor subiram mais do que o esperado.

Os próximos dados econômicos relevantes incluem uma atualização sobre as vendas no varejo que sairá na terça-feira, bem como licenças para o início da construção de casas e o lançamento da última ata da reunião do Federal Reserve na quarta-feira.

Na agenda desta segunda-feira, está prevista a divulgação do Empire State Manufacturing Index, um relatório sobre manufatura na área de Nova York, às 9h30.

Os principais índices de ações atingiram novos recordes durante grande parte do mês passado com base nos resultados de ganhos corporativos robustos, com 87% das empresas do S&P 500 relataram lucros positivos por ação de maneira surpreendente no segundo trimestre, o que pode marcar a maior porcentagem de empresas do S&P 500 relatando números positivos desde que a FactSet começou a rastrear esses dados em 2008.

ÍNDICES FUTUROS – 7h20:
Dow: -0,37%
SP500: -0,31%
NASDAQ100: -0,43%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: +2,29%
Brent: -1,24%
WTI: +-1,36%
Soja: +0,30%
Ouro: -0,06%
Bitcoin: +2,27%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra ou venda de ativos.

Deixe um comentário

Seu Histórico Recente

Delayed Upgrade Clock