Eletrobras: Eletronorte assina contrato para venda de 49% da NBTE para a Leovac Participações

LinkedIn

A Eletrobras assinou o contrato de venda da Norte Brasil Transmissora de Energia (NBTE), pela controlada Eletronorte e a Leovac Participações, detida pela Ontario Teachers’ Pension Plan Board (OTPP), por meio do qual a Eletronorte comprometeu-se a alienar a totalidade de sua participação de 49% na NBTE.

O fato relevante foi feito pela companhia (BOV:ELET3) (BOV:ELET5) (BOV:ELET6) nesta quinta-feira (09). Confira o comunicado na íntegra.

No CCVA está previsto que a Eletronorte receberá pela operação o valor de R$ 700 milhões, referenciado a 31 de dezembro de 2020.

A operação será concluída após a obtenção das devidas aprovações da ANEEL, CADE e credores, da realização do pagamento e da transferência das ações no Livro de Registro e Transferência de Ações da NBTE.

A referida operação está no escopo da iniciativa de racionalização das participações societárias da Eletrobras, nos termos do Plano Diretor de Negócios e Gestão (“PDNG 2021-2025”) divulgado ao mercado por meio de Fato Relevante em 23 de dezembro de 2020.

VISÃO DO MERCADO

Guide Investimentos

Vemos a venda da participação na NBTE com bons olhos para a Eletrobras, que segue o plano diretor 2021-2035, que tem entre as iniciativas, a racionalização das participações em Sociedades de Propósito Específico (SPEs) através de alienação, para buscar a sinergia operacional, econômico-financeira e societária entre as empresas da holding Eletrobras por meio da reestruturação societária Eletronorte.

Eletrobras (ELET3): lucro líquido de R$ 2,5 bilhão no 2T21, alta de 439%

Eletrobras obteve lucro líquido de R$ 2,5 bilhões no segundo trimestre do ano, alta de 439% na comparação anual. O lucro líquido recorrente, que considera ajustes não mencionados nos destaques, teve alta de 601% no período, para R$ 4,5 milhões na mesma base de comparação.

O lucro do 2T21 foi impactado positivamente pelos resultados em transmissão, em decorrência da Revisão Tarifária Periódica com efeitos a partir de julho de 2020 e pela melhora nos resultados de geração devido, principalmente, ao aumento do volume e preços praticados e novos contratos bilaterais do ACL e maior receita no mercado de curto prazo decorrente da liquidação na CCEE devido ao aumento do preço do PLD, e negativamente pelas provisões para contingências de R$ 1.099 milhões, com destaque para R$ 600 milhões relativos ao empréstimo compulsório.

A receita operacional líquida atingiu R$ 7,959 milhões no 2T21, um crescimento de 49%, influenciada pelo efeito na receita de transmissão da revisão tarifária, melhor performance nos contratos bilaterais e maior de receita de liquidação junto à CCEE.

ebitda – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – avançou 61,7% na mesma comparação, para R$ 3,222 bilhões. O Ebtida recorrente apresentou aumento de 116%, de R$ 2.219 milhões no 2T20 para R$ 4.794 milhões no 2T21.

Deixe um comentário