Porto (PSSA3): lucro líquido de R$ 175,1 milhões no 1T22, queda de 40,6%

LinkedIn

A Porto registrou lucro líquido de R$ 175,1 milhões no primeiro trimestre de 2022, com uma queda de 40,6% frente a igual período de 2021.

O resultado foi influenciado pelo aumento da sinistralidade em ramos da Porto Seguros, a vertical que passou a reunir os produtos de seguro da companhia após a reestruturação anunciada em abril. Sob influência deste fator, a sinistralidade total da Porto foi de 61% no período, um aumento de 10,5 pontos porcentuais em relação ao mesmo intervalo de 2021.

O resultado financeiro atingiu R$ 150 milhões no trimestre, “o que representa uma rentabilidade das aplicações financeiras (ex-previdência) equivalente a 83% do CDI, impactado principalmente pelo desempenho dos títulos indexados à inflação e da nossa alocação em câmbio (USD), embora as alocações em renda variável tenham contribuído positivamente”.

O retorno sobre o patrimônio líquido médio (ROAE, na sigla em inglês) da Porto foi de 7,5% no trimestre, queda de 5,9 pontos porcentuais em relação ao mesmo período do ano passado. A queda no retorno em seguros, no Porto Seguro Bank e na vertical de serviços levou à baixa no indicador.

A receita total do grupo alcançou R$ 5,884 bilhões, crescimento de 21,4% na comparação anual. Entre as verticais, a Porto Seguros, braço que reúne as operações de seguros e previdência, apresentou avanço de 16%, e a Porto Saúde, que cuida das operações de seguro saúde, Porto Seguro Bank, responsável pelos produtos financeiros, e a área de Serviços tiveram crescimentos superiores a 35%.

No segmento de Serviços, as receitas cresceram 35,6%, decorrente da evolução dos negócios do Carro Fácil, que atingiu 10,8 mil contratos ativos, e do crescimento dos serviços de assistência Porto Faz e Reppara!, que juntos aumentaram a receita em 48,9% no trimestre (vs. 1T21).

Na Porto Seguros, as receitas atingiram R$ 3,9 bilhões no período, através do crescimento acima de 15% nos principais produtos: Auto, Patrimonial e Vida.

Queremos ser a seguradora mais presente na vida das pessoas, através da oferta de experiências encantadoras, soluções inovadoras e analytics profundo. Uma de nossas iniciativas para alcançar este objetivo, foi o lançamento de campanhas de marketing de massa em programas como o Big Brother Brasil e o Encontro com a Fátima Bernardes, para anunciar o novo seguro de Auto por assinatura, 100% digital, com pagamento mensal e vigência flexível, para democratizar ainda mais o acesso ao seguro automotivo. Lançamos também a nova marca da Azul, com identidade visual mais moderna e leve.

Outra novidade é o nosso novo seguro para Celular, digital e com forte potencial de penetração e crescimento além do seguro Vida Presente, com prêmios nivelados, que habilita a Porto para atuar em um segmento mais sofisticado e demandante de soluções especializadas.

Na Porto Saúde, nossas receitas cresceram 37,4%, impulsionadas pelo Seguro Empresarial, que ampliou seus prêmios em 43,2% no trimestre e adicionou 95 mil vidas nos últimos 12 meses, alcançando cerca de 370 mil vidas seguradas. Temos nos inspirado nos elementos culturais, de inovação, de tecnologia e na autêntica paixão por servir da Porto para levar a Porto Saúde a uma posição compatível com a dimensão da nossa marca.

No Porto Seguro Bank, a expansão das receitas em 36,7% foi decorrente, principalmente, do forte crescimento das receitas de Cartão de Crédito e Financiamento, com destaque para a elevação de 16% no número de contas ativas de cartão, além do aumento expressivo de Fianças Locatícias, Consórcios e do portal imobiliário Olho Mágico que já conta com mais de 50 mil anúncios ativos. Nascemos com 3,5 milhões de negócios, com a proposta de oferecer soluções ágeis, inovadoras, e focadas não apenas em tech, mas na satisfação dos nossos clientes.

No consolidado de todos os negócios de seguros, encerramos o trimestre com um Índice Combinado de 99,2%, um aumento de 5,6 pontos percentuais em comparação ao mesmo período do ano anterior, explicado principalmente pela elevação na sinistralidade do seguro Auto, impactada pela inflação de veículos e peças e pelo aumento da mobilidade, já equacionado nos nossos modelos de subscrição e precificação.

Conforme a companhia, houve elevação na sinistralidade do seguro Auto, impactada pela inflação de veículos e peças e pelo aumento da mobilidade “já equacionado nos nossos modelos de subscrição e precificação”.

A sinistralidade total dos produtos patrimoniais e de transportes aumentou 1,1 pontos percentuais no trimestre, explicado principalmente pela inflação de custos em equipamentos eletroeletrônicos e pela ocorrência de sinistros relacionados a eventos climáticos (com maior frequência sazonal no primeiro trimestre) acima da média histórica.

No 1T22, a sinistralidade consolidada do Auto atingiu 65,3%, impactada principalmente pelo aumento nos custos de indenização e reparos, em decorrência da inflação de peças e do forte aumento no preço dos carros (provocado pela interrupção da cadeia produtiva das montadoras), além do retorno da mobilidade para os níveis pré-pandemia.

A carteira de crédito total atingiu R$ 13,5 bilhões, com aceleração positiva tanto na carteira de Cartão de Crédito quanto na carteira de Financiamentos.

No Cartão de Crédito, a carteira atingiu R$ 10,9 bilhões ao final do 1T22, apresentando crescimento anual de 34,6%. Na operação de empréstimos e financiamentos, a carteira alcançou R$ 2,6 bilhões ao final do trimestre, sendo 83% em produtos com garantia. A carteira dobrou de tamanho nos últimos 3 anos, tendo crescido 13,5% no comparativo trimestral.

O Índice de Inadimplência (atrasos acima de 90 dias) está em 6,2%, um aumento de 1,8 pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano anterior. No caso do Cartão de Crédito, a inadimplência permanece abaixo dos níveis pré-pandemia, apesar da retirada gradual de restrições nas políticas de crédito implementadas em 2020. Para financiamentos, o indicador de inadimplência tem apresentado aumento nos últimos meses, devido sobretudo à desaceleração do crescimento da carteira, movimento efetuado considerando uma perspectiva de piora da inadimplência do mercado.

A companhia realizou investimentos (CAPEX) relevantes em projetos de inovação e transformação digital, tais como Auto 2.0, que simplifica o processo de cotação de seguros, o desenvolvimento do Super App, que já está operando com os produtos mais relevantes, além dos investimentos recorrentes em desenvolvimento de sistemas, aquisição de licenças de software e infraestrutura de hardware, como servidores e notebooks, destinados ao aprimoramento e controle de processos de renovação tecnológica da Companhia.

Os resultados da Porto Seguro (BOV:PSSA3) referentes suas operações do primeiro trimestre de 2022 foram divulgados no dia 09/05/2022. Confira o Press Release completo!

* Com informações da ADVFN, RI das empresas, Valor, Infomoney, Estadão, Reuters

Deixe um comentário