Mercados avançam mesmo com o FED reiterando necessidade de juros mais altos para combater a inflação

LinkedIn

ÁSIA: Os mercados asiáticos fecharam em alta nesta quinta-feira, apesar da última ata do FED dizer que taxas de juros mais altas nos EUA podem ser necessárias para esfriar a inflação.

Na Coreia do Sul, o Kospi avançou 1,84%, para 2.334,27 pontos, após fechar em queda de mais de 2% na quarta-feira. As ações da Samsung Electronics subiram 3,19% depois que a empresa divulgou “guidance” para o segundo trimestre de 2022. O lucro operacional provavelmente subiu para 14,1 trilhões de won (US$ 10,8 bilhões) no trimestre de abril a junho, acima dos 12,57 trilhões de won no ano passado.

O Nikkei do Japão ganhou 1,47%, fechando em 26.490,53 pontos.

O S&P/ASX 200 na Austrália subiu 0,81%, a 6.648,00 pontos, à medida que as ações de mineração recuperaram terreno após a queda na quarta-feira. No entanto, analistas do UBS disseram que os preços das commodities podem cair ainda mais após queda nesta semana, com o banco rebaixando sua perspectiva de preço para minério de ferro, carvão, cobre, alumínio, alumina, níquel e zinco. O UBS também atualizou suas previsões para os preços de lítio, carvão térmico e energia, mas não alterou a classificação para qualquer ação de commodities avaliado. BHP, Rio Tinto e Fortescue permanecem classificadas como “neutras” com ganhos de curto prazo suficientes para compensar custos mais altos. Lachlan Shaw, co-chefe de pesquisa de mineração do UBS disse que “embora as ações sejam mais baratas, não estamos convencidos de que elas ainda apresentem valor suficiente para incentivar a compra em todo o setor”. A BHP subiu 3,1%, a Rio Tinto subiu 4,1% e a Fortescue ganhou 4,4%.

O UBS também elevou Woodside para o rating de “compra”, uma vez que os preços mais altos do gás asiático são previstos à medida que as exportações russas de gás para a Europa diminuem a um ritmo mais rápido do que o esperado. A Woodside Energy subiu 0,3%.

Nos mercados da China continental, o Shanghai Composite subiu 0,27%, para 3.364,40 pontos e o Shenzhen Component subiu 0,97%, para 12.935,85 pontos. Ambos os índices caíram na quarta-feira, quando as preocupações com a Covid voltaram ao foco. A cidade de Pequim disse que comprovantes de vacinação contra a Covid serão necessárias em eventos públicos a partir da próxima semana.

O índice Hang Seng de Hong Kong recuperou das perdas iniciais e fechou em alta de 0,13%, para 21.643,58 pontos.

O índice da MSCI para a Ásia-Pacífico exceto Japão subiu 0,88%.

EUROPA: As bolsas europeias estendem os ganhos nesta quinta-feira.

O pan-europeu Stoxx 600 sobe 1,44% no meio da manhã, após o índice de blue chip europeu fechar em alta de 1,7% na sessão anterior. Ações do setor de automóveis lideram os ganhos nesta quinta-feira, enquanto as ações de viagens e lazer caem nesta quinta-feira.

O alemão DAX 30 sobe 1,65%, o francês CAC 40 avança 1,55% e o FTSE MIB da Itália sobe 2,08%.

Na Península Ibérica, o IBEX 35 da Espanha sobe 1,59% e o português PSI 20 adiciona 0,85%.

Em Londres, o FTSE 100 sobe 1,27%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American dispara 7,2%, Antofagasta sobe 6,3%, BHP sobe 4,6% e Rio Tinto sobe 5,1%. A petrolífera British Petroleum sobe 4,6%.

A libra esterlina sobe com relatos não confirmados de que o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, deve renunciar nesta quinta-feira, após várias renúncias do alto escalão de seu governo à luz de uma série de escândalos.

O euro continua a deslizar em relação ao dólar. Na tarde de quarta-feira, o euro foi negociado a US$ 1,0165 na Europa, antes de se recuperar ligeiramente e ficar um pouco acima da marca de US$ 1,02 na manhã de quinta-feira, renovando a sua mínima de 20 anos. A perspectiva sombria para a economia europeia ocorre quando o BCE anunciou sua intenção de aumentar as taxas de juros pela primeira vez desde 2011, com a inflação na zona do euro atingindo um recorde de 8,6%.

A Alemanha registrou nesta segunda-feira seu primeiro déficit comercial de bens desde 1991, com o aumento dos preços da energia elevando os custos de importação para a maior economia da Europa, enquanto a interrupção do comércio global também sufocou as exportações. Os números estão entre uma série de dados divulgados nos últimos dias que destacaram as condições econômicas cada vez mais desafiadoras para a zona do euro. O Índice Econômico Sentix de julho divulgado na segunda-feira mostrou que o moral dos investidores em 19 países da zona do euro caiu para seu nível mais baixo desde maio de 2020, apontando para uma recessão “quase que inevitável”.

Segundo um analista, um catalisador chave que poderia reverter o fortalecimento do dólar americano, é o sinal de que o FED estaria entrando em uma pausa prolongada em seu ciclo de aperto monetário, facilitando a liberação de parte do prêmio de risco embutido no dólar, enquanto um “pico claro” nas tensões energéticas europeias por meio do fim das hostilidades na Ucrânia pode oferecer uma tendência de alta para o euro. O índice DXY do dólar americano subiu mais de 11% no acumulado do ano, com as negociações logo abaixo da marca de 107.

O Banco Central Europeu publicará sua ata da sua última reunião nesta quinta-feira, enquanto os ministros das Relações Exteriores do Grupo dos 20 se reúnem em Bali.

Entre os dados econômicos divulgados, a produção industrial alemã cresceu menos do que o esperado em maio, expandindo 0,2% em relação ao mês anterior, contra uma previsão de consenso de 0,3% e caiu 1,5% em relação ao ano anterior.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA operam em ligeira alta na manhã desta quinta-feira.

Na última ata da reunião do Federal Reserve, as autoridades do banco central reiteraram uma postura dura contra a inflação, dizendo que outro movimento de 50 ou 75 pontos-base “provavelmente seria apropriado” na reunião de 26 a 27 de julho.

Na sessão de quarta-feira, o S&P 500 registrou seu terceiro dia consecutivo de ganhos após a divulgação da ata da reunião de junho do banco central. O índice subiu 0,36%, em 3.845,08 pontos. O Dow ganhou mais de 69 pontos, ou 0,23%, fechando em 31.037,68 pontos, enquanto o Nasdaq Composite subiu 0,35%, em 11.361,85 pontos.

os investidores viram com bons olhos a maior preocupação do FED com a inflação em detrimento ao risco de recessão. O banco central americano “afirmou que vê a atividade econômica ainda bastante forte”.

O risco de recessão tem se manifestado em uma onda de quedas nos preços das commodities nesta semana, com queda nos futuros do petróleo na quinta-feira. Os futuros do cobre negociados em Nova York, um importante metal industrial, que tem a reputação ligada à demanda econômica, caíram 6%. Esse risco que derrubou os preços das commodities, estimulou uma inversão da curva de rendimento dos EUA na semana.

Os rendimentos dos títulos estendem os ganhos nesta quinta-feira, mesmo com a curva de rendimentos de 2 anos/10 anos observada de perto se mantendo invertida, um importante sinal de recessão. Os profissionais do mercado acompanham o spread entre os rendimentos do Tesouro de maior duração e os rendimentos de menor duração, sendo o primeiro tipicamente mais alto. O rendimento dos Títulos do Tesouro dos EUA de 10 anos subiu mais de 6 pontos base para 2,979% na madrugada desta quinta-feira, enquanto o rendimento do título do Tesouro de 30 anos subiu 4 pontos base para 3,165%. Os rendimentos movem-se inversamente aos preços e um ponto base é igual a 0,01%.

Na agenda econômica, os “traders” analisarão às 9h15 os números laborais da ADP, que monitora os empregos privados, com previsão de alta de junho em 200 mil. Os últimos relatórios sobre pedidos semanais de seguro-desemprego e balança comercial serão divulgados às 9h30 desta quinta-feira.

CRIPTOMOEDAS: Em dia de alta nos mercados tradicionais, o Bitcoin e outras criptomoedas também avançam.

O Bitcoin negocia acima de US $ 20.500 na manhã desta quinta-feira.

Bitcoin: +1,99%, em US $ 20.516,60
Ethereum: +3,80%, em US $ 1.183,96
Cardano: +2,21%
Solana: +2,56%
Dogecoin: +1,96%
Shiba Inu: +2,03%
Terra Classic: -6,17%
XRP: +1,85%
Litecoin: 0,28%

ÍNDICES FUTUROS – 7h55:
Dow: +0,32%
SP500: +0,20%
NASDAQ100: +0,21%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: +3,91%
Brent: +0,88%
WTI: +0,95%
Soja: -+2,23%
Ouro: +0,21%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, independente, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra, manutenção ou venda de ativos.

Deixe um comentário