ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for default Cadastre-se gratuitamente para obter cotações em tempo real, gráficos interativos, fluxo de opções ao vivo e muito mais.

Em Portugal, Lula volta a atacar privatização da Eletrobras e reclama dos juros altos

LinkedIn

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva repetiu a uma plateia de empresários brasileiros e portugueses, em Portugal, que o “Brasil tem um problema que é a taxa de juros muito alta”. O presidente disse que esse nível de juros – Selic em 13,75% ao ano – desestimula investimentos e impede o consumo. Em seguida, Lula defendeu um ciclo de estímulo à economia que passe pelo consumo das classes menos favorecidas.

No raciocínio do presidente, com juros baixos e aumento de consumo, o ciclo virtuoso da economia será restabelecido. “A solução do Brasil é colocar o pobre para comprar. Já fizemos isso uma vez e vamos fazer de novo”, disse.

Durante toda a sua fala no Fórum Empresarial, que acontece em Matosinhos, ao Norte de Portugal, Lula frisou que quer parcerias com os empresários brasileiros e estrangeiros para promover o crescimento e o desenvolvimento do Brasil. Nesse sentido, voltou a avisar que não venderá empresas públicas. “O que queremos é parcerias. Vendemos empresas públicas para pagar juros e os serviços não melhoraram”, afirmou.

“No Brasil, nos últimos seis anos, se vendeu muito patrimônio público, não para construir outro patrimônio, ou para construir outro ativo. Se vendeu patrimônio para simplesmente pagar juros da dívida pública”, declarou Lula. “Ou seja, nós nos desfizemos do nosso patrimônio, nosso patrimônio ficou menor, e a qualidade do serviço não melhorou”, completou.

A empresários em Portugal, Lula disse que a maior empresa de energia do Brasil, em referência à Eletrobras, foi desestatizada e a primeira coisa que se fez na companhia privatizada foi aumentar o salário da diretoria de R$60 mil por mês para R$360 mil, segundo o presidente.

As falas ocorreram em um contexto no qual Lula estava criticando o que classificou como retrocessos do que ocorreu nos últimos anos no Brasil, durante os governos de Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (PL). “Nós voltamos a governar para tentar recuperar este país”, afirmou.

O presidente garantiu aos empresários que irá promover a estabilidade política, social e jurídica, criando um ambiente para atrair investimentos. “Já fomos a sexta economia do mundo e retrocedemos para a 12ª. Vamos retomar pois o Brasil está pronto para ser grande, importante e atraente”, disse, acrescentando que passou os três primeiros meses de seu terceiro mandato restabelecendo políticas sociais, de ensino, que tinham sido “destruídas nos últimos quatro anos”.

“Em três meses, preparamos o Brasil para um salto de qualidade. Voltamos a governar para fazer o Brasil retomar a importância. Não podemos ficar trancados a quatro chaves e vamos fazer o Brasil retomar sua importância.”

Lula citou diversas áreas e setores em que o Brasil apresenta destaque e excelência e destacou o segmento de energia renovável, onde Portugal está bastante presente. “O Brasil tem 80% de energia limpa”, disse, lembrando também que este ano serão feitos R$ 23 bilhões de investimentos em infraestrutura.

O presidente afirmou ainda que uma das decisões desta visita foi a criação de uma agência da Apex em Lisboa e voltou a repetir que, depois de seis anos afastado do mundo, o Brasil está de volta ao cenário internacional.

Com informações do Estadão

Deixe um comentário