ADVFN Logo

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Registration Strip Icon for charts Cadastre-se para gráficos em tempo real, ferramentas de análise e preços.

Mercados iniciam a semana em compasso de espera, aguardando a reunião do Fed

LinkedIn

Bem-vindo à sua leitura matinal de cinco minutos de como os mercados estão reagindo ao redor do mundo nesta manhã.

ÁSIA: As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta segunda-feira, depois que dados chineses apontaram pressões inflacionárias persistentemente baixas resultantes da fraca procura interna.

O índice de preços ao consumidor caiu 0,5% em termos anuais, mais do que a queda de 0,1% esperada pelos economistas e o recuo mais rápido desde novembro de 2020, enquanto o índice de preços ao produtor caiu 3% em termos anuais, em comparação com a queda de 2,6% de Outubro e expectativas de uma queda de 2,8%. O PPI também marcou o 14º mês consecutivo de perdas e o mais rápido desde agosto. A agência estatal de comunicação Xinhua informou na sexta-feira que o principal órgão de decisão do Partido Comunista no poder disse que a política fiscal do país “deve ser moderadamente fortalecida” para estimular a recuperação econômica.

O índice Hang Seng de Hong Kong caiu 0,84%, fechando em 16.187,00 pontos, enquanto na China continental, o Shanghai Composite subiu 0,74%, em 2.991,44 pontos, enquanto o Shenzhen Component subiu 0,82%, em 9.632,61 pontos.

O Nikkei do Japão saltou 1,5%, em 32.791,80 pontos, com apostas crescentes de que o banco central poderá manter as taxas de juros inalteradas na próxima semana.

O Kospi da Coreia do Sul fechou 0,30% mais alto, para 2.525,36 pontos.

Na Austrália, o S&P/ASX 200 começou a semana com alta de 0,06%, em 7.199,00 pontos, terminando na maior alta de três meses. O setor de energia subiu. A gigante de energia Woodside subiu 1,5%, Santos subiu 0,6% e a produtora de carvão Whitehaven Coal subiu 0,3%. As ações de mineração puxaram para baixo o mercado acionário australiano. Entre os pesos-pesados do setor, BHP caiu 0,42%, Fortescue subiu 0,7% e Rio Tinto subiu 0,2%. As produtoras de ouro Newmont e Northern Star Resources caíram 1,2% e 2,1%, respectivamente.

EUROPA: A cautela impera nos mercados europeus nesta segunda-feira, com os investidores globais aguardando a reunião de política monetária desta semana do Federal Reserve.

O índice pan-europeu Stoxx 600 negocia próximo da estabilidade no final da sessão matinal, com os serviços financeiros liderando os ganhos, enquanto as mineradoras continuam sofrendo.

O alemão DAX 30 cai 0,1%, enquanto o CAC 40 da França avança 0,1%.

Em Londres, o FTSE 100 cai 0,4%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American sobe 2,1%, Antofagasta soma 1,4%, enquanto as gigantes BHP e Rio Tinto caem 1% e 1,3%, respectivamente. A petrolífera BP cai 0,7%.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA negociam em ligeira baixa nesta segunda-feira, enquanto os investidores aguardam a reunião do Federal Reserve para quarta-feira, a última do ano, em busca de indicadores de quando o banco central começará a cortar as taxas de juro.

Na sessão regular de sexta-feira, o Dow Jones avançou 0,36%, fechando em 36.247,87 pontos, o S&P 500 adicionou 0,41%, em 4.604,37 pontos, enquanto o Nasdaq Composite subiu 0,45%, em 14.403,97 pontos.

Todos os principais índices terminaram a semana com ganhos. O S&P 400 saltou 0,2% no período e o Dow terminou em ligeira alta. Ambos os índices cravaram a sextaa semana consecutiva de alta, a mais longa desde 2019. O Nasdaq avançou 0,7%.

O S&P 500 registrou seu fechamento mais alto do ano na sexta-feira, mas ainda não havia ultrapassado sua máxima intradiária de 2023, estabelecida em julho. No ano, o benchmark subiu cerca de 20%. Os dados de consumo da Universidade de Michigan sinalizaram uma atividade econômica resiliente e um arrefecimento da inflação, alimentando esperanças de um cenário muito cobiçado de “aterrissagem suave” nos EUA.

O relatório sobre o emprego divulgado na sexta-feira continua a retratar uma economia que “não está à beira da recessão”. Segundo um analista, “enquanto as perspectiva de uma aterragem suave para a economia permanecer intacto, a tendência para as ações e os ativos de risco permanecerá positiva”. O relatório de novembro do Payrolls mostrou uma queda inesperada na taxa de desemprego. A taxa de desemprego caiu para 3,7% em novembro, ante 3,9% no mês anterior. Esperava-se que permanecesse inalterada. A economia americana criou 199 mil empregos, ligeiramente acima da estimativa de 190 mil do Dow Jones e bem acima dos 150 mil empregos criados em Outubro.

Os dados levantaram inicialmente preocupações de que a economia estava demasiadamente quente para que a inflação arrefecesse o suficiente para que a Fed começasse a recuar na sua política de taxas elevadas. Alguns traders esperam que o Fed comece a cortar as taxas já na próxima primavera. Por outro lado, o relatório mensal sobre o emprego também apoiou a ideia de que a Fed está guiando a economia dos EUA para uma aterragem suave, ou seja, uma recuperação econômica constante num contexto de queda da inflação. O rendimento médio por hora, visto como um indicador avançado da inflação, aumentou conforme o esperado em novembro, uma vez que a economia criou mais empregos do que no mês anterior.

CRIPTOMOEDAS:
Btcoin: -2,94 em US $ 43.416,4
Ethereum: -3,20% em US $ 2.250,00

ÍNDICES FUTUROS – 7h40:
Dow: -0,01%
S&P 500: -0,04%
NASDAQ: -0,13%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: -0,37%
Bent: -0,37%
WTI: -0,51%
Soja: +0,49%
Ouro: -0,26%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, independente, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra, manutenção ou venda de ativos.

Deixe um comentário

Ao acessar os serviços da ADVFN você estará de acordo com os Termos e Condições

Support: (11) 4950 5808 | suporte@advfn.com.br